sábado, 9 de dezembro de 2017

A importancia do descanso para o skatista

Andar de skate é muito bom, aprender novas manobras, se divertir com os amigos, aproveitar o lifestyle, mas o descanso é fundamental para qualquer skatista, principalmente aqueles que estão em tour ou filmando direto para uma parte. É na fase de recuperação, principalmente no momento do seu sono profundo, que o seu corpo se adapta ao esforço e, com isso, evolui.
Sem o devido descanso, ele começa a lutar para manter o rendimento e, frequentemente, fica muito mais cansado do que o habitual depois dos treinos. Em casos mais extremos, você pode perde até a vontade de andar por alguns dias.
Seu organismo emite alguns sinais de que você está andando demais e descansando de menos, um deles é a frequência cardíaca elevada, geralmente um indicativo de estresse físico ou emocional. Quando seu corpo está esgotado pelo esforço físico e/ou tarefas do dia a dia, ocorre a produção de substâncias que podem te deixar mais irritado e ansioso.
Outros sinais de alerta são muitos as sessões com baixo rendimento onde até as manobras mais simples demoram a sair e muitas vezes nem saem, dores musculares periódicas, infecções nas vias respiratórias (principalmente garganta) e aumento do número de lesões.
Um sono consistente é essencial para o crescimento e a reconstrução das fibras musculares, e noites de sono ruim em sequência podem ser devastadoras para a sua performance no skate. O descanso e o sono são primordiais para o seu desempenho e principalmente a prevenção de lesões.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 2 de dezembro de 2017

Dequilibrio muscular no skate

Andar de skate é muito bom, porem trás um grande desgaste para o nosso corpo. Sentir os músculos travados, muito rígidos, é algo comum, principalmente nos ombros, pescoço e lombar. Normalmente não é nada grave. O problema é que frequentemente essa tensão muscular melhora com massagens, água quente, mas acaba sempre voltando a incomodar.
A causa mecânica mais comum de tensões musculares persistentes, que vão e voltam o tempo todo, é um desequilíbrio entre os músculos da região afetada. O músculo que está muito tenso provavelmente está trabalhando a mais para compensar a falta de outro músculo, que está menos ativo do que deveria. Nossas articulações são construídas de camadas musculares. Os músculos localizados mais profundamente têm a função de estabilizar a articulação, ou seja, mantê-la firme. Já os músculos mais superficiais, que são mais fortes e maiores, são responsáveis pelos movimentos amplos.
Tomando a cervical como exemplo, os músculos longo da cabeça e longo do pescoço a estabilizam, e o trapézio, músculo grande que recobre ombros, pescoço e parte das costas, é um de seus motores. Quando o longo da cabeça e do pescoço não estão trabalhando como deveriam o trapézio fica mais tenso na tentativa de ajudar na estabilização da coluna cervical. Sendo assim, uma massagem para relaxar a região pode ajudar temporariamente, mas enquanto esse desequilíbrio muscular continuar, a tensão muscular tende a voltar.
Uma solução mais permanente seria trabalhar a estabilidade articular, fazendo com que os músculos profundos voltem a realizar a sua função, tirando assim a sobrecarga dos superficiais que estão muito tensos. Esse tipo de treino depende da articulação e do caso, e normalmente incluem exercícios isométricos leves e exercícios que desafiem a estabilidade.
Entender a causa das lesões e dores, ao invés de intervir somente nos sintomas, é sempre a melhor forma de tratamento. Cuidar do seu corpo é cuidar de você e aproveitar ao máximo os benefícios que o skate te trás.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 25 de novembro de 2017

A remada certa no skate

Andar de skate não é tarefa fácil por isso cada vez mais skatistas estão buscando diferentes formas de condicionar seu corpo para seguir evoluindo nas manobras. Uma das ferramentas que vem trazendo grandes benefícios a preparação física do skatista é o remo.
O Remo Indoor está, cada vez mais, em destaque. Talvez o CrossFit tenha ajudado a colocá-lo em evidência, como é o caso do LPO. Apesar de parecer um movimento simples o remo exercita o corpo todo. Em um total de 9 grandes grupos musculares: quadríceps, posteriores da coxa, dorsal, região do core, ombros, glúteos, tríceps, costas e bíceps. Qualquer um pode remar, desde crianças até idosos, assim como pessoas que se encontram com sobrepeso e que estejam incapacitadas de executarem outros exercícios. Isso se deve ao fato de que o remo é um exercício de baixo impacto e fácil de aprender.
Os principais benefícios de remar são o baixo impacto, principalmente nos joelhos e calcanhares; alta queima de calorias por utilizar vários grupos musculares; é benéfico para as articulações que se movem-se através de grandes amplitudes de movimento; trabalha a parte inferior do corpo, que inicia o movimento do remo; trabalha a parte superior do corpo, responsável por completar a puxada; trabalha as costas e a região abdominal; alivia o estresse; ótimo para o condicionamento aeróbico, um exercício complementar perfeito para qualquer skatista.
O remo oferece a vantagem da resistência do exercício ser criada na intensidade com que se rema, dando ao praticante total controle sobre o seu treino, o que permite melhorar muito a potência gerada no movimento.
Cuidar do seu corpo é cuidar de você, prepare seu corpo para andar de skate e aproveite ao máximo todos os benefícios que o skate tras para os seus praticantes.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 18 de novembro de 2017

Medicina Chinesa e o skate

O skate é uma atividade física de alto impacto que gera grande desgaste fisico ao nosso organismo.
É muito comum vermos skatistas com algum tipo de lesão, sejam elas simples ou mais complexas, e uma das grandes aliadas na solução destes problemas é a medicina chinesa.
Baseado em conceitos como equilíbrio energético, alimentação saudável, magnetização do corpo entre outros a Dra. Eliza vem recuperando grandes nomes do skate brasileiro que acreditam e seguem à risca o tratamento.

Neste vídeo temos o exemplo do skatista profissional Marcelo Garcia, que vinha sofrendo sucessivas lesões e relata como foi o processo de tratamento e a mudança do seu estilo de vida através da medicina chinesa.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 11 de novembro de 2017

Glúteo Médio e o skate

O músculo glúteo médio não é o mais forte e nem o maior do corpo, mas com certeza é um dos mais importantes para os skatistas.
Ele se encontra na lateral da bacia e exerce um papel no alinhamento e estabilidade de toda a perna. Sua fraqueza pode gerar desde lesões no quadril e joelho, até problemas no tornozelo. Por isso, manter esse músculo trabalhando bem é um dos segredos para uma boa biomecânica.
Temos três músculos chamados de glúteo: o mínimo, o médio e o máximo. O mais conhecido e visível é glúteo máximo, que dá formato às nádegas. Um pouco abaixo dele, indo para a lateral da pelve, está o médio e, mais profundamente nas camadas musculares, se encontra o mínimo.Esses três músculos trabalham tanto na remada como na hora de manobrar o skate e são importantes, porém o glúteo médio costuma ganhar mais atenção pois ele é o responsável por manter o alinhamento do joelho.
Quando estamos com o peso do corpo em cima do joelho, é o glúteo médio que mantém a perna no lugar. Sem a sua ação o joelho "cai" para dentro, o que é chamado de valgo dinâmico, fenômeno relacionado à várias lesões, como a síndrome da banda iliotibial e a condromalácia.
Além do joelho a falha na ação do glúteo médio pode influenciar até o tornozelo. Quando esse músculo está muito fadigado o pé fica mais instável, e com maior tendência a torção. A fraqueza desse músculo também pode gerar lesões nele mesmo, pelo déficit de força de em si e pela piora da postura que acontece como consequência. A tendinite em seu tendão e inflamação na bursa que existe entre ele e o osso do fêmur são as lesões comuns (chamada de bursite trocantérica).
Nesses casos é importante dar um tempo de descanso para o corpo se recuperar e após a diminuição da inflamação investir em fortalecimento. Exercícios como agachamento, mountain climber, perdigueiro, prancha e elevação de quadril podem ajudar a sanar este problema.
O corpo funciona como uma cadeia totalmente interligada. Cuidar do músculo do glúteo médio é importante para manter uma boa biomecânica e diminuir os riscos de lesão. Cuide do seu corpo e aproveite ao máximo todos os benefícios que o skate trás.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 4 de novembro de 2017

Hérnia de Disco X Skate

Hoje vamos abordar um tema que está se tornando cada vez mais comum no skate, a hérnia de disco que é uma lesão frequente no esporte e causa comum de dores nas costas. Dependendo do caso, um skatista com esse problema pode ficar afastado por meses. Entretanto, com um tratamento adequado podem encontrar alívio nos discos e voltar a andar tranquilamente.
Os discos intervertebrais de nossa coluna são estruturas localizadas entre as vértebras e são formados pelos anulos fibrosos, parte externa densa de cartilagem e um centro gelatinoso chamado núcleo pulposo. Eles atuam como amortecedores das vértebras. Sua função está ligada à transmissão de energia cinética pela coluna e auxiliar nos movimentos de flexo-extensão e rotação.
Ao contrário do que se pensa, são estruturas fortes. Uma pessoa sentada, por exemplo tem duas vezes o seu peso corporal sobre os discos intervertebrais e, durante a corrida, chega a três vezes, imagina o quanto ela suporta na volta de uma manobra de um gap por exemplo.
Alguns fatores estão ligados ao enfraquecimento do disco: idade, fatores genéticos, tabagismo, pouca ingestão de água, sobrepeso e o sedentarismo. Por este motivo, são mais suscetíveis à lesão skatistas que não realizam preparação física, com faixa etária entre 35 e 50 anos e que andam de skate sem regularidade.
Uma vez lesionado, o anulo fibroso rompe-se e joga seu conteúdo para fora de seu espaço. Isso gera reação inflamatória intensa, que, se associada ao pressionamento dos nervos espinhais, pode levar a um quadro extremamente incapacitante, com perda de força e sensibilidade nos membros. Dependendo da localização da hérnia de disco, o atleta pode experimentar diferentes sintomas. Uma hérnia de disco lombar, que ocorre na parte inferior das costas, pode causar fraqueza, formigamento ou dormência na perna ou nádegas e uma dor ardente no pescoço. Já uma hérnia de disco na coluna cervical, localizada no pescoço, pode causar formigamento, dormência ou fraqueza em um dos braços e uma dor ardente nos ombros, pescoço e braço.
Sintomas neurológicos mais graves como fraqueza e dormência indicam gravidade da lesão com possível tratamento cirúrgico. No entanto, o tratamento de um médico qualificado pode fazer o skatista voltar à ativa.
O tratamento primário é clínico, realizado com descanso, fisioterapia e medicamentos para aliviar os sintomas da dor. Se os métodos mais conservadores não funcionam, pode-se optar pelas infiltrações da coluna. Se os sintomas persistirem após algumas semanas de tratamento não-cirúrgico, a cirurgia pode ser considerada. Geralmente, envolve a remoção de toda ou parte da hérnia de disco para aliviar a pressão sobre os nervos.
Cuidar do seu corpo é cuidar de você e prolongar sua vida útil sobre o skate.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 28 de outubro de 2017

Horário de verão e o skate

O horário de verão começou em algumas cidades do Brasil o que para nós skatistas é sinônimo de alegria já que com o dia mais longo temos mais tempo para manobrar. Mas este período do ano também é preocupante, o calor vem com tudo e alguns cuidados são fundamentais na hora de andar de skate, o principal deles é a hidratação.
A água é o elemento mais abundante no nosso corpo. Uma pessoa adulta possui um percentual de 60% a 75% de água. A quantidade dela no organismo humano varia em função da idade (com o envelhecimento diminui o percentual de água corporal), do sexo (mulheres possuem menor quantidade de água do que homens) e da composição corporal (quanto maior a quantidade de tecido adiposo menor a quantidade de água corporal).
O corpo não estoca água, precisando repor diariamente as perdas de 24 horas. Recomendação: Ingestão de 35 a 40ml água/kg de peso/dia. (Exemplo para uma pessoa de 70kg: 2800ml de água por dia) Estar hidratado na hora de andar de skate é fundamental para manutenção do equilíbrio dos fluidos corporais, preservação do nosso sistema imunológico e a regulação da temperatura corporal. O aquecimento corporal e a desidratação estão relacionados à redução de desempenho, fadiga e cãibras.
Por isso é importante beber água antes, durante e após a sessão garantindo sempre uma boa quantidade de água no organismo.
Em sessões mais longas além de líquido, é necessário a reposição dos eletrólitos que pode ser feita pela utilização de bebidas isotônicas ou ainda aquela água de côco.
Curta o verão com seu skate sem se descuidar da sua saúde.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 21 de outubro de 2017

Frio X Calor

O uso de gelo ou bolsa de água quente é comum entre os skatistas, pois são recursos de utilização simples e bastante acessíveis. Porém, eles causam resultados diferentes no corpo e é muito importante saber em qual ocasião utilizar cada um. Afinal, por mais que pareçam inofensivos, sua utilização incorreta pode agravar o caso.
Os sinais que indicam inflamação são: dor, inchaço, vermelhidão, aumento da temperatura do local e diminuição da função (como amplitude de movimento ou força). O gelo nessa situação ajuda a reduzir o inchaço e a dor, além de limitar a extensão da lesão. Em casos de lesões agudas, como entorses de tornozelo que são comuns no skate, quanto mais rápido o uso do gelo melhor.
Uma proteção deve ser utilizada entre o gelo e a pele, como um pano ou plástico, e o tempo da aplicação deve ser de no máximo 20 minutos. É necessário um período de no mínimo duas horas entre uma aplicação e outra, mas se você não tem recomendação médica faça uso do gelo no máximo duas vezes ao dia.
Outro ponto importante está na questão da quantidade de dias em que o gelo deve ser usado. Para uma lesão melhorar, tem que chegar células inflamatória naquele local. Pois ela não serve só para gerar dor e problema, mas também para reparar o tecido lesionado. Se você botar gelo dias depois da lesão iniciada, inibe demais a chegada dessas células, que são benéficas. Por isso estudos recentes recomendam o uso do gelo de dois a três dias após a lesão.
Já a bolsa de água quente ajuda no relaxamento muscular devido ao calor gerado.Sendo assim deve ser utilizado em casos de tensões musculares esporádicas. Se você tem alguma tensão muscular crônica, isto é, você sempre sente algum músculo tenso, o calor vai aliviar a contração muscular excessiva apenas temporariamente, e o real motivo dessa tensão deve ser diagnosticado e tratado por um profissional.
Nunca use bolsa de água quente logo após uma lesão ou se o local apresenta alguns dos sinais inflamatórios. O calor irá piorar o quadro. A temperatura deve ser alta porém suportável, sem causar queimadura, e o tempo de utilização é até não estar mais quente.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 14 de outubro de 2017

Mais mobilidade no skate

A busca dos skatistas por uma melhor mobilidade articular ganhou mais uma ferramenta, trata se de uma barra flexível.
Diferente dos já tradicionais rolinhos e bolinhas já usadas a barra permite fazer uma melhor ativação muscular antes de andar.
A barra ajuda a controlar a estabilidade e dá ao skatista opções de alongamentos, exercícios de core, glúteos, quadril, entre outros grupamentos. A resistência no bastão gera a estabilidade necessária para mobilizar o corpo corretamente e não gerar um falso alongamento, por isso a eficiência é ainda maior. A barra é usada para a preparação do movimento.
Como já venho falando a muito tempo o ganho de mobilidade é muito importante para a prevenção de lesões e até para a melhora da performance sobre o skate. Essa é só mais uma ferramenta que vai ajudar a dar uma nova dinâmica a este trabalho de suma importância para o skatista.
 Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 7 de outubro de 2017

Mobilidade X Estabilidade

Muitas das lesões que acontecem no skate como entorses são causadas pela instabilidade que o skate proporciona a articulação mas principalmente pela falta de mobilidade do skatista.
Alguns skatistas sofrem com articulações que não possuem a estabilidade necessária para fazer movimentos, muito menos suportar cargas durante as manobras executadas com perfeição e principalmente aquelas que não saem da forma correta.
As lesões resultantes do skate ocorrem principalmente em skatistas amadores quando não se conhece o corpo o suficiente. Ou seja, não existe uma estabilidade adequada para a manutenção da técnica de movimento.
 A mobilidade é a capacidade ou a habilidade de se mover e movimentar suas articulações e tecidos. Isso deve ser algo constante e para a vida toda. Muitos skatistas conseguem isso, mas acaba sendo temporário. Pois logo voltam a ficar estagnados e travados. Isso acontece pela ação da gravidade, pela falta de uma preparação física adequada e pelo e estilo de vida.
Estabilidade é a habilidade de controle da mobilidade. Ou seja, é a nossa segurança. Quando se tem uma articulação estável, você é capaz de se mover com controle, de executar os movimentos naturais daquela articulação, nos ângulos e direções que desejar. Então, somente quando se tem mobilidade e estabilidade pode-se gerar potência e força que são necessárias para se executar as manobras com perfeição.
Preparar seu corpo para andar de skate é fundamental para a prevenção de lesões, portanto procure sempre fazer este trabalho de manutenção para continuar aproveitando todos os benefícios que o skate trás.
 Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 30 de setembro de 2017

Janela de oportunidade no skate

Andar de skate apesar de divertido é extremamente desgastante para o corpo, por isso uma alimentação e o descanso são fundamentais para ajudar na recuperação muscular o que proporciona uma menor probabilidade de lesões e uma vida útil muito maior sobre o skate.
Logo após o final de uma sessão de skate, o organismo oferece uma condição propícia para se potencializar os efeitos que o exercício desencadeou. Este é o momento que se costuma chamar de “janela de oportunidade”. Um exemplo típico dessa situação é o mecanismo relacionado à absorção e utilização de nutrientes
Durante a sessão de skate, o sistema digestivo tem seu fluxo sanguíneo bastante restrito porque a prioridade passa a ser a perfusão de sangue para os músculos. Enquanto os vasos sanguíneos do sistema digestivo sofrem uma diminuição de calibre (vasoconstrição) os vasos sanguíneos dos músculos sofrem um aumento (vasodilatação). Esse ajuste vascular, que prioriza os músculos em atividade, restringe bastante a possibilidade de digerir e absorver nutrientes durante o exercício. No entanto, quando o exercício termina, imediatamente o fluxo de sangue para o sistema digestivo começa a aumentar, oferecendo a oportunidade de favorecer a digestão e absorção de nutrientes.
Neste momento, as células musculares, principalmente as dos músculos que foram mais exigidos para manobrar o skate, se tornam muito mais “permeáveis” à entrada de nutrientes. Na verdade, é criado um mecanismo transportador para a entrada de glicose (carboidrato) nas células, que será o nutriente mais importante neste momento para repor as reservas energéticas utilizadas.
Este é o momento da “janela de oportunidade” aberta. O consumo de carboidratos neste período acelera a velocidade de recuperação. Se associarmos também com a oferta de proteínas, estaremos proporcionando aos músculos melhor condição de recuperação dos “danos” causados pelo exercício. A combinação da alimentação após a sessão com liberação miofascial, alongamento e o descanso vão deixar você zerado para a próxima sessão.
Antes de começar qualquer tipo de dieta ou tomar qualquer suplemento alimentar consulte sempre um nutricionista que vai prescrever uma dieta de acordo com suas necessidades diárias.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 23 de setembro de 2017

Alongamento do quadril e a melhora do pop

A muito tempo venho falando que o quadril do skatista é uma região de suma importância para seu desempenho no skate. Sua abertura rápida gera a força para o pop das manobras, por isso trabalhar a potência da abertura do quadril ajuda a melhorar a altura das manobras.
Mas para conseguir atingir potência é necessário também ter flexibilidade e mobilidade no quadril, o que é difícil, tendo em vista a dificuldade em realizar alongamentos nos músculos flexores de quadril. Hoje falaremos sobre alguns exercícios de alongamento e mobilidade para o quadril, que podem ser realizados em qualquer lugar sem a ajuda de nenhum tipo de aparelho.
O primeiro deles é o Avanço com alongamento dos flexores de quadril, fique na posição de avanço e movimente seu quadril à frente. O alongamento do iliopsoas vai ajudar a relaxar seu quadril, reduzindo a tensão nessa articulação.
Depois temos o alongamento dos flexores de quadril, este alongamento ajuda a alinhar seus quadris. É outro alongamento para o iliopsoas, mas que também solicita o alongamento do reto femural e do sartório. Pessoas com o glúteo encurtado podem ter dificuldade em fazer esse alongamento, mas inicie com poucos segundos e aumente aos poucos.
E para finalizar temos o "melhor alongamento do mundo" (Spider Man Stretch), como o nome sugere, esse alongamento é considerado por muitos profissionais da área como o melhor agachamento que existe, pois trabalha não só os flexores do quadril, mas todo o corpo de forma integrada.
Além disso liberação ou soltura miofascial é uma excelente forma de minimizar o encurtamento nessa área. Passe um rolo ou uma bola de lacrosse nessa região diversas vezes e, se achar um ponto dolorido, reduza a intensidade da pressão mas continue passando por 20 a 40 segundos.
Cuidar do seu corpo e preparar ele para as sessões é de fundamental importância para melhorar sua performance no skate além de aumentar sua vida útil sobre ele.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 16 de setembro de 2017

ÖUS Phibo Resiliente

A muitos anos tenho uma "parceria" com a ÖUS, não somente uma parceria comercial, mas uma relação de amizade alem de uma grande admiração e respeito com o trabalho que eles desenvolvem. Constantemente eles buscam inovação nos designs e tecnologia para o conforto dos skatistas. Recentemente eles atingiram um novo divisor de águas na história da marca, o solado Phibo.
O número 1,618 representa o Phi, que é considerado o número mais belo do mundo e pode ser observado em padrões de crescimento de diversos elementos da natureza, desde uma pequena flor até o formato das galáxias. Este padrão, conhecido como sequência de Fibonacci, inspirou a criação do Phibo, uma nova estrutura de solado multicomponente.
A parte externa tem características específicas para resistência ao desgaste, com um EVA de alta resistência a abrasão e dois pontos estratégicos de borracha nas áreas de maior atrito. Na parte interna, onde ninguém vê, mas o pé sente, foi adicionado uma camada extra macia de EVA, garantindo o conforto para um dia a dia sem percalços no seu calcanhar.
A palmilha Phibo Ative completa a estrutura. Feita em uma espuma tecnológica que não deforma com o uso, é leve e absorve o suor. Esta palmilha pode ser removida para ser lavada em máquina de lavar convencional.
O Resiliente é o primeiro modelo PHIBO, combinando a leveza e conforto deste solado com um tecido de fios sintéticos feito com técnicas de tricô ultra tensionado que se adapta ao formato do pé e permite excelente transpiração. O produto final é leve, anatômico e muito confortável, ideal para o dia a dia, atendendo a demanda de quem é profissional na correria.
Não vejo a hora de conhecer os demais modelos da linha Phibo, o Resiliente além de bonito é extremamente confortável e leve, ideal para usar após a sessão de skate e dar aquele descanso merecido para os pés.
Mais uma vez a ÖUS surpreende e trás o que tem de melhor para o skatista brasileiro a um preço justo e acessível.

sábado, 9 de setembro de 2017

Exercicios unipodais no skate

O equilíbrio é uma valência física básica porém muito importante para quem anda de skate e muitas vezes pode ser trabalhado em conjunto com exercícios de força, mobilidade é claro andando muito de skate.
 Os exercícios de equilíbrio geram instabilidade nas articulações trabalhadas, fazendo com que o corpo tenha que se reequilibrar para retornar ao centro de gravidade de forma correta. Este processo é atribuído aos proprioceptores articulares. Esses exercícios são excelentes para fortalecer as articulações, tais como os tornozelos, joelhos e quadril.
Uma das formas com que eu mais gosto de trabalhar balance, propriocepção e equilíbrio tanto na reabilitação como na preparação física é através de exercícios unipodais. Mas o que são exercícios unipodais?
São movimentos ou exercícios realizados com um único pé de apoio de forma alternada, dando total ênfase de força, flexibilidade ou mobilidade ao membro trabalhado além da necessidade de gerar equilíbrio para o resto do corpo.
Exercícios como Pistol, Stiff, ou salto unilaterais são alguns exemplos de movimentos que podem ser usados. Ou somente ficar se equilibrando em um disco de equilíbrio, bozu ou cama elástica já geram esta instabilidade necessária para trazer adaptação necessária.
Para os skatistas isso é de suma importância para melhorar o posicionamento do corpo na remada e principalmente para manobras que não saem com perfeição dificultando assim o surgimento de possíveis lesões.
 Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 2 de setembro de 2017

Mudando o estilo de vida no skate

A preparação física vem ganhando cada vez mais espaço dentro do skate, não só para a melhora da performance sobre o skate e para a prevenção de lesões, mas sim visando saúde e a qualidade de vida como um todo.
O skate é uma atividade que exige muito do corpo, e com os passar dos anos e a evolução das manobras essa exigência vai ficando cada vez maior. Mas nos últimos anos essa mentalidade vem mudando. Prova disso é o skatista profissional Neen Williams da Deathwish que após anos de uma vida desregrada,trocando o dia pela noite, abusando da bebida, sofreu uma lesão de LCA e teve muita dificuldade para voltar a andar devido à sua condição física.

Hoje ele mudou radicalmente seu estilo de vida, ficou completamente sóbrio, comendo saudável e aprimorando seu condicionamento físico para seguir entre os melhores skatistas da atualidade como você pode ver nesta matéria da Vice.

Cuidar do seu corpo é prolongar sua vida útil sobre o skate e seguir aproveitando todos os benefícios que o skate trás.
 Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 26 de agosto de 2017

Torcicolo e o skate

Quem nunca foi dormir pilhado para fazer um role de skate no outro dia cedo e acordou sem conseguir mexer o pescoço? Sim hoje falaremos sobre o torcicolo, problema que não atinge somente os skatistas mas boa parte das pessoas no mundo todo.
O torcicolo é uma contração involuntária dos músculos do pescoço provocada por má postura ao dormir ou ao utilizar o computador, por exemplo, causando dor no lado do pescoço e dificuldade para mexer a cabeça. É comum que a pessoa acorde com torcicolo e tenha dificuldade para movimentar o pescoço, mas em alguns casos o músculo fica tão preso que a pessoa não consegue movimentar o pescoço para nenhum dos dois lados.
Os sintomas do torcicolo incluem, principalmente, dor no pescoço e limitação para movimentar a cabeça. Além disso, também pode acontecer que um ombro fique mais elevado que o outro, ou que o rosto se apresente assimétrico.
É comum que os sintomas de torcicolo surjam de manhã devido a má postura ao dormir, mas também é frequente que aconteça depois de uma atividade física como o skate, ou devido diferenças significativas e bruscas de temperatura, e principalmente após algum acidente como uma queda repentina do skate.
Geralmente o torcicolo melhora após as primeiras 24 horas, e tende a desaparecer em 3 dias. Por isso, caso o torcicolo demore mais de 1 semana para curar ou se surgirem sintomas como formigamento, perda de força no braço, deve-se buscar ajuda médica.
O tratamento pode ser feito em casa, com compressa de água quente, massagem no local, pequenos alongamentos, repouso e principalmente paciência. Tomar remédio somente em último caso e sempre com orientação médica.
Não perca aquela sessão de skate com seus amigos por conta de um pequeno contratempo como esse. Faça alongamentos constantes, prepare seu corpo para andar de skate.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 19 de agosto de 2017

Benefícios do perdigueiro no skate

A região do "core" é de suma importância para o skatista, por ser o centro de força do corpo, responsável por manter o equilíbrio sobre o skate e principalmente pela potencia das manobras.
Hoje falaremos sobre um exercício muito bom para esta região do corpo, o perdigueiro. Oriundo do pilates, este exercício já faz parte da rotina de treinos de muitos skatistas. O Perdigueiro é um ótimo exercício para trabalhar o "core" de forma geral, pois fortalece não só o abdómen e as costas, mas também os glúteos; permite o engajamento das cinturas escapular e pélvica, e melhora o equilíbrio e estabilidade.
A execução inicial é simples, comece em quatro apoios com os punhos abaixo dos ombros e joelhos, na linha dos quadris. As costas em posição neutra, o que significa que suas leves curvas devem estar preservadas. Todo o desafio deste exercício é exatamente manter a postura. Ao retirar os apoios do chão deve manter-se o mais estável possível.
O próximo passo é a retirada de uma das mãos do chão, esticando o braço à frente na expiração, para que ele acione os músculos do power house. Nesta etapa devemos ficar atentos aos ombros, pois a tendência é elevá-los. Para garantir um bom posicionamento, orientamos para que ele imagine que seus ombros querem escorregar para o bolso de trás da calça.
O desafio agora é deslizar um pé pelo chão, mantendo somente um leve contato entre eles até esticar o joelho, e então volta a dobrá-lo até a posição inicial. Esse movimento é ideal para treinar a estabilidade pélvica, evitando rotações, e para a ativação do core, impedindo a compensação em hiperlordose.
Na evolução do movimento além de esticar a perna, deve se retirar o pé do chão fazendo a extensão da coxa, mas somente até o ponto em que consiga manter todo o posicionamento. Uma boa dica para evitar a extensão da lombar é pedir para que mire o cóccix no calcanhar.
O modo avançado consiste na extensão de um braço mais a perna contralateral. O ideal é que os membros superior e inferior se elevem até a linha do tronco, ou seja, até ficarem paralelos ao solo. Mas, novamente só se deve chegar a essa posição se conseguir manter o tronco estável.
Mais um exemplo de exercício simples que não requer nenhum aparelho e pode ser realizado em qualquer lugar, só basta ter força de vontade. Cuide do seu corpo e prolongue sua vida útil sobre o skate.
 Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 12 de agosto de 2017

Tenossinovite e o skate

Como falamos no última semana o tornozelo do skatista é a região do corpo que mais sofre lesões. Hoje falaremos sobre mais uma delas, a tenossinovite.
Tenossinovite dos fibulares é a inflamação da bainha que reveste e protege os tendões. Os tendões fibulares (fibular curto e fibular longo) são estruturas que ligam a musculatura da parte lateral da panturrilha ao pé. A função destes tendões é principalmente estabilizadora, evitando as torções do tornozelo. O tendão fibular curto é mais suscetível a sofrer lesões, devido à posição que ocupa em seu trajeto desde a perna até o pé.
Suas principais causas estão diretamente ligadas ao skate como traumas repetitivos, movimentos bruscos e lesões nos ligamentos do tornozelo. Outros fatores importantes são o pé cavo, pisada supinada acentuada e a frouxidão ligamentar.
Os sintomas mais comuns são as dores na região lateral do tornozelo e do pé, edema e a instabilidade do tornozelo.
O diagnóstico é realizado através da história clínica e pelos sintomas apresentados pelo paciente, em conjunto com exames complementares tomografia computadorizada e ressonância magnética.
O tratamento é simples, analgésico e anti-inflamatório por via oral prescrito pelo médico, fisioterapia (termoterapia, mobilidade, e liberação miofascial) e o principal de todos, o repouso. Em alguns casos a imobilização também pode ser uma boa alternativa.
Cuidar do seu corpo é cuidar de você, prolongue sua vida útil sobre o skate e obtenha um melhor desempenho sobre o carrinho.
 Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 5 de agosto de 2017

A SIPT no skate

O tornozelo do skatista é uma região que trás grande preocupação, sendo a região que mais apresenta lesões dentro do skate. Hoje abordaremos um tema bem específico que é a síndrome do impacto posterior de tornozelo no skatista.
A síndrome do impacto posterior do tornozelo (SIPT) é uma lesão que ocorre na região de partes moles posterior ou no segmento ósseo do lado posterior (interno) do tornozelo. O local da lesão é a porção posterior do talus, o osso do tornozelo, que se encontra com a parte inferior da perna (tíbia). A SIPT pode ser identificada como uma questão aguda que ocorre de um incidente traumático específico ou crônica de uma flexão plantar forçada repetitiva de baixo grau, que é definida como apontar os dedos dos pés e o pé para o solo, movimento comum para realizar várias manobras no skate.
Os principais sintomas da SIPT são a dor, vermelhidão, inchaço e calor no tornozelo posterior (internamente). A dor se torna pior ao apontar os dedos dos pés e pé para baixo ou na hora de remar, saltar ou cair fora do skate quando a manobra não sai com perfeição.
Outro ponto importante são os traumas diretos no tornozelo, com o skate, solo ou em obstáculos, lesões antigas no tornozelo que não foram tratadas. O tênis usado para andar de skate também é de suma importância para evitar este tipo de problema portanto fique ligado nas marcas que desenvolvem tecnologias de proteção e conforto para os seus pés
O tratamento fisioterapico ajuda no gerenciamento da dor, restaurar a amplitude de movimento, manutenção da força muscular, aumentar o equilíbrio, recuperar as habilidades funcionais e restaurar os padrões de movimento normais. Algumas das técnicas utilizadas para reduzir a dor podem incluir massagem com gelo e estimulação elétrica.
 Para recuperar o movimento pode ser realizado mobilizações que ajudam tornozelo a começar a se mover normalmente. O fortalecimento dos músculos do tornozelo podem ajudar a auxiliar a mecânica articular adequada, diminuindo o risco de problemas futuros. Já o treino de equilíbrio pode ajudar a tornar o tornozelo mais estável em conjunto com o fortalecimento, a fim de evitar mais lesões, progredindo para atividades mais funcionais para ajudar a retornar ao skate.
Cuidar do seu corpo é fundamental para prevenir lesões e aumentar sua vida útil sobre o skate. Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 22 de julho de 2017

Banda Iliotibial e a dor no joelho dos skatistas

Dor no joelho é sinal de alerta para qualquer skatista. Geralmente as dores acontecem após um trauma direto, entorse ou às vezes de forma contínua devido ao desgaste de algum componente do joelho. Mas uma dor na lateral do joelho que muitas vezes vai e volta sozinha gera muita dúvida na cabeça do skatista, trata-se da banda iliotibial.
O trato iliotibial é a continuação tendínea do músculo tensor da fáscia lata e do glúteo médio, um tecido que começa no quadril e segue pela lateral da perna até o joelho. Quando há algum desvio postural causado por falta de força muscular, por exemplo, esse tendão pode sofre atrito com o epicôndilo lateral do fêmur (osso da coxa) quando você flexiona o joelho a 30º. Esse fricção excessiva durante o movimento de embalar o skate gera irritação, que se não for tratada se torna uma inflamação.
Os sintomas característicos da lesão são dor ao toque na região lateral do joelho, tensão no trato iliotibial e no músculo vasto lateral e, em casos mais crônicos, tensão nos músculos tensor da fáscia lata e glúteo médio.
Antes pensava-se que essa lesão acontecia devido à um atrito exagerado da banda iliotibial com o osso da perna, o fêmur, porém novas descobertas apontam que a inflamação na verdade acontece devido ao estiramento exagerado dessa estrutura.
As razões para esse estiramento excessivo e prejudicial podem ter diversas origens. As mais comuns são a biomecânica inadequada na hora de remar o skate e a rigidez da próxima banda. A principal alteração biomecânica que leva ao aparecimento da síndrome da banda iliotibial é o valgo dinâmico, onde o joelho “cai” muito para dentro quando o peso do corpo está sobre ele. Para corrigir esse problema é preciso fortalecer a musculatura lateral do quadril (músculos abdutores) e realizar educativos que estimulem o joelho a permanecer alinhado.
Se a banda estiver mais rígida do que o normal, a liberação miofascial é uma boa alternativa, podendo ser feita com as mãos ou com o auxílio de uma bola ou rolo. O tratamento para a síndrome da banda iliotibial em geral evolui bem e em algumas semanas o skatista está de volta às sessões.
Porém, para que isso seja possível, é preciso iniciar o tratamento a partir dos primeiros sintomas, não deixando com que o processo inflamatório fique muito intenso e de difícil controle.
Cuidar do seu corpo é a melhor forma de prolongar sua vida útil sobre o skate.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 15 de julho de 2017

Flexibilidade e mobilidade no skate

Muitas lesões que ocorrem no skate são frutos da falta de flexibilidade e mobilidade do skatista. Mesmo começando a treinar estas valências físicas, muita gente não consegue ter o resultado esperado. Isso se deve a uma série de erros comuns no treino de flexibilidade, que poderiam ser evitados com um melhor conhecimento do assunto.
O primeiro erro quando se fala de treino de flexibilidade é entender alongamento como um nome literal. Ao contrário do senso comum, é quase impossível alongar o tecido muscular com exercícios, ele não é uma espécie de elástico que vai se enfraquecendo e se tornado mais frouxo. Isso ainda é mais absurdo quando se fala de liberação miofacial, os famosos rolinhos e bolinhas, os tecidos do corpo são fortes o suficiente para aguentar todas as pressões do dia a dia, não serão poucos minutos de massagem que irão alterar a estrutura da musculatura. Mas eles funcionam?
Sim, mas não do jeito que a maioria das pessoas acham que funcionam, fazer 30 segundos de uma postura de alongamento ou de massagem com o rolinho geram um alívio imediato, a massagem com rolinhos e similares manda sinais para o sistema nervoso relaxando a área e permitindo uma maior amplitude de movimento momentânea, o que não resolve o problema. A maioria dos resultados vem de um melhor alinhamento e de uma melhor ativação neurológica, assim a melhor forma de ganhar flexibilidade é ativar a musculatura nas posições que ela necessita ganhar amplitude de movimento.
A ativação pode ser feita simplesmente por técnicas de alongamento ativo ou com contração e relaxamento, passando mais tempo nessas posições, como agachamentos com pausas na posição mais profunda ajudam a melhorar a flexibilidade neste movimento.
É necessário se comprometer com o treino e adicionar intensidade a ele só assim será possível obter resultados significativos como vistos no Yoga por exemplo. Alongamentos ou liberação miofascial em um curto período de tempo servem como aquecimento ou relaxamento após a sessão, mas para melhorar a postura e aumentar sua flexibilidade e mobilidade é necessária uma demanda muito maior de tempo, onde para ser otimizado, deve ser avaliado o grupo muscular mais encurtado e o foco maior deve ser em cima deste objetivo até conseguir o resultado esperado mas sem deixar de lado os outros segmentos.
 Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 8 de julho de 2017

Os benefícios do Superman no skate

A região lombar é de grande importância para o skatista, tanto na hora de andar de skate como para manter a postura nas suas atividades diárias. Esta região é um local de preocupação pelos skatistas devido o risco de lesões, mas um exercício simples pode ajudar a fortalecer essa região e minimizar os problemas, o Superman.
Se você tem filhos ou já acompanhou o crescimento de uma criança com certeza já viu eles fazerem este exercício que é o primeiro exercício de nossas vidas. Esse exercício é o principal responsável pela sustentação da coluna. Primeiro passo no fortalecimento da musculatura paravertebral faz com que o bebê possa evoluir para posição de quatro apoios, engatinhar, sustentar a posição sentada e então ficar de pé.

Infelizmente depois que aprendemos a ficar de pé, esquecemos dele. A falta desse treino ao longo da vida pode trazer, além de uma má postura, desvios de coluna, dores e hérnias. A medida que crescemos nosso corpo se modifica e ele deve estar sempre sendo treinado para essas mudanças. É assim com as crianças em idade escolar, quando ganhamos ou perdemos peso, quando ficamos mais altos, quando a mulher engravida, quando nos machucamos, passamos por alguma cirurgia ou, por algum motivo, modificamos algum habito diário. Fortalecer a musculatura é o único remédio para evitar que esses problemas surjam.
A execução do movimento é simples, basta deitar no chão ou em uma superfície firme com braços e pernas juntas esticadas. Contraia os glúteos e as costas e tire os braços e as pernas do chão sem dobrá-los. Estique-se ao máximo como se alguém te puxasse pelas mãos e pelos pés. Lembre-se de manter a cabeça entre os braços com o rosto para baixo, como se estivesse voando e vendo a cidade de cima. 
Este exercício pode ser feito de duas formas, movimentando-se ou em isometria, sendo que esta forma estática é melhor para iniciantes enquanto a dinâmica para quem já domina o movimento. O ideal além de fortalecer sempre alongar está musculatura com exercícios ativos ou passivos, melhorando a força e a flexibilidade os movimentos ficarão mais fluidos.
Inclua este exército na sua rotina de treinos e sinta a diferença na hora de andar de skate, garanta uma melhor postura para sua qualidade de vida e colha os benefícios sobre o skate.
 Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 1 de julho de 2017

A mudança no clima e as dores dos skatistas

É muito comum ouvir alguns skatistas reclamarem do aumento de dor no joelho ou em alguma outra articulação com a chegada do frio.
Embora pareça apenas superstição, há evidências científicas de que a mudança no clima pode mesmo provocar mais dores nas articulações daqueles que têm alguma patologia crônica.
Mesmo não havendo um consenso absoluto da razão desse fenômeno, ou se ele de fato é real, existem teorias plausíveis que tentam explicá-lo. A mais aceita fala sobre a mudança na pressão do ar e que ela seria a responsável pela piora da dor, e não a temperatura como se imagina.
A pressão atmosférica pode ser considerada como o “peso” do ar. Se a articulação com problema tende a inchar, quanto maior a pressão exercida por fora dessa articulação menor será esse inchaço. E a pressão atmosférica tende a cair antes da chegada do frio, o que permite maior expansão da articulação que está sensível devido à processos inflamatórios, cicatrizes ou aderência. Tudo isso é microscópico, mas para quem tem sensibilidade parece ser perceptível.
O ideal para quem sofre com a piora das dores nas alterações climáticas é manter a articulação ativa. A rigidez na região da dor pode piorar os sintomas ao invés de poupar a área dolorosa. Manter uma movimentação dentro do normal e os músculos fortalecidos é a melhor alternativa para evitar este incômodo. Seguir com as atividades normais, incluindo o skate é uma ótima opção para diminuir os efeitos da mudança do tempo sobre as articulações.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 24 de junho de 2017

Overhead Squat e o skate

Como ja falamos anteriormente, o agachamento é um ótimo exercício para os skatistas, hoje falaremos sobre um outro exercício ainda mais complexo mas que trás muitos benefícios para quem anda de skate, o Overhead Squat ou agachamento com a barra acima da cabeça. Este movimento de difícil execução exige além de força e potência muscular, mobilidade e equilíbrio, valências físicas fundamentais para qualquer skatista.
A maior exigência de mobilidade vem dos ombros, enquanto que a flexibilidade vem dos músculos do Grande Dorsal. Além da mobilidade da articulação dos ombros, é necessária a mobilidade de uma articulação muitas vezes esquecida, a do tornozelo.
Tornozelos rígidos fazem com o que o posicionamento dos pés sofram rotação externa durante a descida do movimento. Esta rotação leva a uma perda de torque, acarretando em compensação da postura nas articulações do joelho e do quadril. Outro ponto importante está no encurtamento dos músculos paravertrebrais, que são responsáveis pela estabilização da coluna vertebral.
O encurtamento nesta musculatura leva a uma flexão excessiva do tronco para frente, fazendo com que o movimento seja compensando no ombro. A falta de mobilidade/flexibilidade em alguma destas articulações e músculos, levam a um padrão de movimento incorreto, o que pode gerar lesões, portando é de suma importância o acompanhamento de um profissional na sua rotina de treinos.
Este exercício desenvolve força e potência em membros inferiores, quadril e nos músculos do core, o que é muito importante para melhorar o pop das manobras e o controle do corpo sobre o skate, além de desenvolver força em membros superiores e ombro o que é muito importante para se proteger das quedas quando as manobras não dá certo.
Em um único exercício temos muitos benefícios, apesar de sua difícil execução, seguindo os passos didáticos, trabalhando mobilidade e flexibilidade em um curto espaço de tempo é possível executar o movimento com perfeição e aproveitar todos os benefícios que ele trás para quem anda de skate.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 17 de junho de 2017

Banho de parafina no skate

Todo skatista que anda na rua leva consigo uma parafina, popularmente conhecida como "vela". Passar a vela no skate e na borda que será manobrada é primordial para fazer o skate correr. Mas a vela é muito importante também para os skatista que estão lesionados.
A parafina é uma substância branca, sólida, em forma de cera, obtida da destilação do petróleo. Para que possa ser considerada como um recurso terapêutico, ela deverá ser aquecida até alcançar seu ponto de fusão, entre 50 e 52°C. Os aparelhos de uso profissional para o aquecimento da parafina são recipientes providos de termostato para controlar a temperatura, ajustando assim seu ponto de fusão. No interior do recipiente se coloca a parafina no estado sólido, na quantidade adequada ao tamanho e à capacidade do recipiente. Será agregada a parafina, uma parte de óleo mineral (vaselina e glicerina) para cada dez partes da parafina, com função de diminuir o ponto de fusão da parafina para 45°C, diminuindo, assim, o risco de uma queimadura no paciente. Esta união de óleo mineral permite também maior maleabilidade da parafina e acelera seu derretimento.
Essa é uma técnica fisioterapêutica usada para o aquecimento de estruturas superficiais, na qual o calor é transferido para os tecidos por condução. Como a condutividade e o calor especifico da parafina são baixos, ela pode ser aplicada diretamente sobre a pele a temperaturas que normalmente não são toleráveis com a água.
A parafina pode ser usada para reduzir a dor, relaxamento muscular e melhorar a circulação local. Suas contraindicações são circulação agudas, infecções, insuficiência vascular, áreas com alterações de sensibilidade e áreas potencialmente hemorrágicas.
Com certeza este tipo de parafina é muito útil, mas com certeza usar a vela somente para fazer as manobras correrem é muito mais prazeroso e divertido.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.