sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Lesões em Skatistas Profissionais

Dando continuidade as lesões em skatistas profissionais de street skate, vimos no ultimo post que 30% das lesões destes skatistas ocorrem em membros superiores, enquanto que 70% ocorrem em membros inferiores.
Quando agrupadas as lesões em membros superiores observamos a seguinte prevalência: 27% das ocorrências foram fraturas de punho, 11% fratura de cotovelo, 11% fratura de úmero, 11% fratura de ombro, 11% ruptura dos ligamentos do ombro, 11% fratura de escafóide, 6% fratura de rádio, 6% entorse de punho e 6% entorse de cotovelo, sendo a fratura de punho a maior ocorrência supostamente devido ao apoio das mãos durante o contato com o solo na queda do skate.
Fratura de punho

Quando agrupadas as lesões em membros superiores observamos a seguinte prevalência: 43% entorse de tornozelo, 19% entorse de joelho, 7& ruptura de ligamentos do tornozelo, 7% ruptura de LCA, 5% fratura de tíbia, 5 fratura de joelho, 5% fratura de tornozelo, 5% fratura do pé, 2% luxação de quadril e 2% luxação de tornozelo, sendo o entorse de tornozelo a maior ocorrência supostamente devido a falta de fortalecimento da musculatura local e a falta de propriocepção, capacidades treináveis a qualquer individuo.
Entorse de tornozelo
Nas próximas semanas continuarei postando os dados mais relevantes deste estudo.
Bom final de ano, feliz 2009 a todos que acompanham o blog, muita saúde, skate e paz para todos nós.Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 20 de dezembro de 2008

Lesões em skatistas profissionais

Durante este ultimo ano, realizei uma pesquisa pratica sobre a prevalência de lesões em skatistas profissionais de street.
Agora com o fim deste estudo, farei uma série de posts com os principais dados encontrados que mostram um pequeno perfil das lesões dos atletas profissionais de skate brasileiros. No final da coleta de dados, foram entrevistados 32 skatistas profissionais de todo o Brasil, que humildemente contribuíram para a realização deste estudo.
Todos nós sabemos que o skate é um esporte de auto-impacto e que pode ocasionar várias lesões, e isso foi constatado no estudo com 93,8% dos skatistas entrevistados já terem sofrido algum tipo de lesão na pratica do skate.
Essas lesões quando agrupadas por segmentos mostraram que 30% destas lesões ocorreram em membros superiores enquanto que 70% das lesões ocorreram em membros inferiores, mostrando que a maioria das lesões ocorrem em membros inferiores devido a maior utilização deles na realização das manobras e na absorção de impacto.
Nos próximos posts falaremos mais sobre os principais tipos de lesões, e a forma como são tratadas pelos profissionais do street skate nacional.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Entrevista

Ir para fora do país é o sonho de muitos brasileiros, alguns para conhecer outra cultura e outros para tentar a sorte mesmo. Agora ir para fora do país e ser um vitorioso não é para qualquer um, imagine então ser um vitorioso em várias vertentes, como o skate, o rap e o business.
Esse é Andre Carneiro A.K.A AC Brasil MC, um streeteiro de Curitiba que residiu em NYC, integrante da família Mobb Depp e dono da Exit 13, única marca de skate criada por um brasileiro nos EUA. Confira agora um pouco da sua história. Nome: Andre Carneiro (AC BRASIL MC)
Idade: 29 anos
Tempo de skate: 15 anos
Rap: 7 anos
Local: Curitiba Brasil,Queens New York
SS- Como e onde foi o seu início no skate?
Em Ponta Grossa 1990 por amor, em 96 mudei para Curitiba onde tudo começou a fazer sentido, já que em Ponta Grossa skate era coisa para maloqueiro, mas em CTBA skate era um esporte, um estilo de vida.

SS- Quais foram as suas principais influencias no início?
Toninho, Martin Gringo, Bartele, Leandrinho da Látex, Gino entre outros.

SS- Quando surgiu a decisão em se tornar profissional?
Em 1999 estava andando na pista da Drop com o Ferrugem, estava dando heelflip f/s tail slide no caixote da savana. Ai do nada o Ferrugem falou: “ Caraca mano se já deveria correr como pro esse ano”.Foi bem natural da parte dele, ai falei com as marcas que ia correr como pro, que estava na hora, eles falaram sim e já era (risos) Money in bank se sabe né.

SS- Como rolou a idéia de ir para a gringa?
Então como eu tinha apoio da Vans o mano mandou eu correr o Vans World Cup, que foi da hora, final de 99 muito estilo mesmo, Koston, vários manos, conheci vários atletas.


SS- Quem eram os seus companheiros de sessão lá?
Cairo Foster,Nick Cortinas,Rodney Torres até Ted Jordan e toda a equipe da Zoo York. Andava na pista da Zoo no inverno, que era só para convidados, pois no inverno não da para andar na rua em NYC.

SS- Qual a principal diferença em ser skatista profissional aqui no Brasil e lá nos EUA?
A diferença começa de amador, as marcas te dão muito material, e pro nem se fala, outra fita. La você consegue viver de skate se você for bom mesmo, aqui muitos andam demais e não tem nada, é difícil, pois o mercado é mais pobre, lá as marcas vendem muito por isso é assim.

SS- Quais os melhores picos que você já andou?
NYCCCC é o melhor lugar do mundo para andar de skate, já fui para L.A, Miami, mas NYC é o pico.

SS- Você já se lesionou andando de skate?
Em NYC quebrei o dedo, no Brasil varias vezes me machuquei, é normal na vida de um skatista né (risos) você sabe.


SS- E o rap, como ele entrou na sua vida?
Quando cheguei foi no Queens em NYC, com certeza o lugar mais influente no rap mundial, minha casa era ao lado da favela do Nas, Moobb Deep. Eu sempre escutei rap, então imagina só tava tudo ali na minha frente, não tinha como não querer entrar.

SS- Cite os 5 melhores artistas do rap mundial para você.
Nas,Mobb Depp,B.I.G,Tupac e Jay Z.

SS- E o contato com o Mobb Deep, como aconteceu?
Foi muito louco, eu fui na favela deles, vi o Prodigy e fui correndo para falar com ele, ai os manos entraram tudo na frente, com armas tipo segurança. Falei que era do Brasil e queria cantar com eles, mas os manos nem deram muita bola. Ai o Marbles primo do Ty Nitty do Infamous Mobb e Família Mobb Deep veio e me apresentou para o Prodigy e toda a família Mobb, então ficamos amigos de verdade e formamos o Alfa Omega junto com Rameses do Wu Latino, Wu Tang Clan.

SS- Como foi entrar para a família Mobb Deep?
Vixe muito louco cantar com Mobb no palco é louco, amo e represento o Mobb Deep. Família Mobb Deep forever!!! Infamous Mobb IM3.

SS- Atualmente você tem um novo projeto musical, fale um pouco sobre ele?
The Bridge Vol 1, meu solo com produção do DJ Cia e Fera Records. Fera é da família Wu Tang Clan, muitos MC’s da família Wu Tang e família Infamous Mobb estão marcando presença nesse meu primeiro trabalho solo que sai em 2009. Podem esperar por muitas surpresas, tipo Shyhein, Big Noyd até mesmo Prodigy nesse álbum.

SS- E o seu lado empresário, como surgiu a Exit 13, fale um pouco sobre a ela, tanto a marca como a distribuidora?
Exit 13 New York distribui com certeza algumas das melhores marcas de skate mundial, não foi fácil, mas hoje estou feliz por estar neste patamar com um showroom louco aqui em Curitiba e distribuindo para todo o Brasil. Agora a EX que é a marca da Exit 13 New York é tudo para mim, esta a frente até do rap. É um time sério com Alex Carolino, com certeza um dos atletas brasileiros do street mais respeitados la fora atualmente, DJ Cia do RZO, produtor do Racionais MC’s já trabalhou com Nature e U-God entre outros, Rafael Dias de Porto Alegre o primeiro a vestir a camisa da EX aqui no Brasil, muito orgulho e respeito por ele. Willian Truta de Maringá, esse mano pula banco de praça de umas 20 manobras diferentes, é cabreiro mesmo e o novo amador Daniel Mordzin que é uma promessa da nova geração e o fotografo Pablo Vaz que também faz parte do time e já de cara estamos lançando a sua coleção Photoex.
O Zevert desing da coleção que com certeza é o coração da EX hoje, a maquina que faz tudo isso andar (risos) e sobrou eu né, hoje ando de skate por amor e nem mais como uma profissão, agora estou direto no rap, mas sou skate de raiz, de iniciante a pro, corri 4 mundiais nos EUA, mas hoje sei que o rap é minha primeira carreira. Acho que isso faz a EX diferente é do skate para o rap, não do rap tentando ser do skate, o que é uma diferença gigante. Exit 13 New York vai ser vendida também nos EUA, mas agora com um padrão de qualidade maior até mesmo que as marcas gringas que eu represento hoje aqui no Brasil.

SS- Atualmente você patrocina alguns atletas, fale um pouco sobre o que você espera deles e como rolou esses patrocínios?
È meu dream team, meu time dos sonhos, que são parte da Ex, não os vejo como patrocinados da EX mas eles tem voz ativa dentro da marca. EX Family que eu falo, Família EX que são Alex Carolino, Rafael Dias, Willian Truta, Daniel Mordzin, DJ Cia, Pablo Vaz, Zevert, AC Brasil MC de skate até o rap. Isso é a EX!

SS- Como acontece o desenvolvimento dos produtos da Exit 13?
Eu e o Zevert juntos com alguns toques dos outros, mas sou eu quem bate o martelo no final com o Zevert, pois ele é o coração e eu a alma da marca.


SS- Quais as marcas que a distribuidora trabalha?
DGK-ORGANIKA-EXPEDITION-GOLD-IPATH-STUSSY-VENTURE-HUBBA-KR3W-VAS VIDEO –DIAMOND-FORCE -AUTOBAHN e a EX que até Janeiro estará nas ruas com certeza.

SS- Quais os seus planos para o futuro, tanto no skate, como mc e empresário?
A EX é uma companhia mundialmente conhecida. Fundei ela no Queens em 2000 e vendi para as melhores lojas de skate de NYC consecutivamente do mundo já que NY é NY. Agora com a produção no Brasil eu posso ajudar o skate daqui também, não só os meus atletas mas o esporte em geral. No rap estou fazendo, já tenho várias participações novas para 2009 e logo mais vai estourar algumas coisas novas no rádio e na TV, é só uma questão de tempo. Já como empresário estou feliz, sei que o que fiz pelo Brasil nos EUA, tanto no skate como no rap, fui a primeira marca registrada por um brasileiro em NY, e a vender lado a lado com as marcas gringas.

Agradecimentos:a todos do skate e do rap que passaram e deixaram alguma coisa boa, tanto no skate como no rap, para todos que estão presentes na minha vida, a minha família, as marcas que me ajudaram a ir morar em New York em 1999 e a conhecer a SAÍDA13 New York, a Skate Saúde pela matéria, a EX Family que são Dias, Carolino, Truta, DJ Cia, Daniel, Pablo, Zevert e todo mundo que faz pelo skate e pelo rap no Brasil e como eu sonhou, sonha e hoje esta vendo o sonho ser realizado... AC





sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Promo-Vídeo

Após uma entrevista muito comentada aqui no Skate Saúde, o atleta amador de Salvador na Bahia Lucas Martiniano o Luquinhas, acaba de finalizar seu primeiro vídeo-promo com apoio da Barsa Planeta, Armazém Skate Shop e patrocínio Skate Saúde. O próprio agradece primeiramente a DEUS, minha Família, meu irmão Thiago que não está junto comigo,a M.S.C, Daniel Quadrado, Cleyberto, Juca, Diego Chaveiro, Le, Neo, Célio , Reif, Rafinha, Cabelo, James Bambam, Laurence Reali, Zezinho, Marquinhos, Mario Romário, Bruno Inhudes Caloteiro, ao Thiago Pino, Kakão, Derick, Bruninho, Yuri, Biru, Diego M., Alex, Klebão, Jaba, Pombal, Parejo, Saúde, Pato, Ricardo Valochi, Adriano Mi, Diego e Diogo Gema, Gu, Bruno Leandro, Luís, meus primos.
As mulheres: Lays, Gisele, Camilas, Daianes, Gabi, Talita, Aline, Rebeca, Rosangela, Bianca, Priscila, Juliana, Mariana, Camila, Nayara, Dany, todas e todos que me conhecem em Guarucity.Daqui da Bahia, eu queria agradecer ao Pedro, Juninho,Duda, Heitor, Rafael Levi, Ícaro, Taliska, Leleu, Ian, Victor, Tiago A., Doga, Elvis Veloso, Rodrigo, Dentinho, Caio, Cupim,Alex Cardoso, Ivan, Arthur, Fernando, Everson, Eduardo, Edgar, Marcelo, Janderson, Igor, Haba, Babau, Wagner .A galera da escola, de Stella. Os Brothers do jardim, de Lauro e ao fotografo David Campebell.
As mulheres: Juh, Mary, Gaby, Marina, Paula, Nicolle, Beliza, Poly, July levi, Pâmela, Vanessa, Rebecca TX, Letícia, Larissa, Flavinha, Thaina, Cheli, Lindy, Silvana e a todo mundo que eu conheço aqui.
Confira agora em primeira mão o vídeo.

video