sábado, 29 de dezembro de 2007

Entrevista

Para encerrar este primeiro ano da Skate Saúde com chave de ouro, uma entrevista com o atleta profissional Laurence Reali, uma pessoa que se destaca pela alegria e pela energia que passa a todos durante a sessão. Manobras de alto impacto, geralmente cercada de amigos e regada a muito profissionalismo são também algumas características marcantes deste profissional de ponta do skate brasileiro.

Nome: Laurence Reali Rodrigues
Idade: 23 anos
Tempo de skate: 10 anos
Local: Guarulhos / SP
Patrocínio: Lost, Libra e Fire

SS- Como e onde foi o seu inicio no skate?
O inicio foi aqui em Guarulhos, no bairro onde eu morava, eu pedia o skate dos moleques emprestado e andava, pegava o skate do moleque da rua do Bodão para a gente ir andar junto, ai fui pegando gosto pela coisa e não parei mais.

SS- Qual o seu pico preferido?
Quadra da Brama em Guarulhos.

SS- Qual manobra você sente mais prazer em acertar?
As que eu ainda não acertei.

Foto:www.solto.com.br Manobra:Nollie Crooked
SS- Você já se lesionou alguma vez andando de skate?
Só algumas torções leves no tornozelo.

SS- Quais skatistas te influenciaram?
O Bambam até hoje e meus camaradas. Minha maior influencia são as pessoas boas com quem eu ando.

SS- O que você acha desse projeto da Skate Saúde?
È bom porque normalmente todo mundo chega e já quer andar e não adianta querer só andar, tem que ter a saúde, a diversão e a pratica do skate, para você ter um bom condicionamento físico e não se preocupar com a saúde.

Foto:Renato Custódio Manobra:Switch Back Tail
SS- Na sua avaliação, que prejuízo o skate sofre com tão poucos eventos profissionais?
O prejuízo é para os atletas profissionais, com menos eventos os atletas aparecem menos e divulgam menos as suas marcas e ruim também para a molecada que tem os atletas profissionais como espelho e não assistem eles andando nas suas citys.

SS- Você tem noção da importância de ser uma referencia no skate nacional?
A partir do momento que você tem o skate como profissão, você é uma referencia. Por isso você tem que ser uma referencia boa, para incentivar os moleques a andar de skate e também ajudar as marcas a crescerem. Você tem que ser uma boa referencia para poder ser bem aceito.

SS- Se você tivesse que eleger um momento na sua carreira como o mais especial, qual seria?
Agora. Sempre o agora para mim é o mais importante. Tudo passa e o agora não passou ainda.




SS- Quais são os seus planos para o futuro?
Poder me estabilizar com o skate e viver em função das minhas prioridades.

SS- Qual o recado para a molecada que esta começando agora?
Nunca desistir, pois quem desiste nunca alcança a sua meta. Se você não desistir, você irá conseguir.

Agradecimentos: a Deus e as pessoas que me incetivam.



sábado, 22 de dezembro de 2007

Entorses

Dando continuidade a nossa série sobre as principais lesões no skate, vamos falar um pouco hoje sobre uma lesão muito comum infelizmente durante as sessões, os entorses.

O entorse é a ruptura parcial ou completa das fibras de um ligamento, uma lesão traumática de uma articulação, com distensão arrancamento ou laceração de um ou vários ligamentos, sem deslocamento das superfícies articulares.
No skate os locais de maior índice deste tipo de lesão, são o tornozelo e o joelho e geralmente são causadas devido a movimentos bruscos de giro sobre a articulação e principalmente por fraqueza muscular.

A lesão provocada pela deformação brusca, geralmente produz o estiramento dos ligamentos na articulação ou perto dela. Os músculos e os tendões podem ser estirados em excesso e rompidos por movimentos repentinos e violentos. Uma lesão muscular poderá ocorrer por três motivos distintos: distensão, ruptura ou contusão profunda. O entorse manifesta-se por um dor de grande intensidade, acompanhada de inchaço e equimose no local da articulação. A pessoa que for realizar o primeiro atendimento, deve evitar a movimentação da área lesionada, pois o tratamento do entorse, também consiste em imobilização e posterior encaminhamento para avaliação médica.

Em resumo, o objetivo básico da imobilização provisória consiste em prevenir a movimentação dos fragmentos ósseos fraturados ou luxados. A imobilização diminui a dor e pode ajudar a prevenir também uma futura lesão de músculos, nervos, vasos sangüíneo, ou ainda, da pele em decorrência da movimentação dos fragmentos ósseos.
Se a lesão for recente, esfrie a área aplicando uma bolsa de gelo ou compressa fria, pois isso reduzirá o inchaço, o hematoma e a dor.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.


sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

Promo-Vídeo

video

Depois de um tempo no forno, finalmente esta no ar o promo-video do skatista Daniel Quadrado (Apoio:Fire Skateboard e Bally Bagus, Patrocínio: Skate Saúde), que vem mostrando uma evolução muito rápida e o resultado disso é um skate de alto nível como podemos ver a seguir.
Um vídeo com muitas manobras técnicas e que mostra um pouco do que esse skatista das ruas de Guarulhos é capaz de fazer.
A Skate Saúde busca sempre a evolução do skate , e nada melhor que os vídeos de skate para mostrar isso, vejam agora Daniel Quadrado , atleta da Skate Saúde em ação.

sábado, 8 de dezembro de 2007

Subluxação

Retornando a nossa série sobre as principais lesões que ocorrem em nós skatistas, falaremos um pouco hoje sobre a subluxação.
A subluxação ocorre quando as superfícies articulares são parcialmente separadas, mas ainda fica alguma parte de cada superfície em contato.
É o deslocamento parcial ou incompleto que frequentemente envolve trauma secundário aos tecidos moles vizinhos. A condição em que um osso desliza parcialmente para fora de sua articulação.
As características clinicas que surgem da subluxação são bem menos acentuadas se comparadas com a luxação, afinal a subluxação corresponde a uma luxação parcial.
Se durante a sessão ocorrer algum incidente do tipo, a melhor solução é colocar uma bolsa de gelo sobre o local e procurar um médico, que em posse de um Raio-X saberá qual a melhor conduta a ser adotada.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.


sábado, 1 de dezembro de 2007

Entrevista

Skatista profissional de manobras técnicas, uma pessoa humilde que sempre correu atrás dos seus ideais sem nunca se esquecer de ajudar o próximo. Dono de várias histórias e conquistas pessoais, este é James Bambam, entrevistado do mês na Skate Saúde, um cara que sempre se destacou pelo alto nível de skate e principalmente pelo seu carisma que aparece por onde chega.


Nome: James Williams Alves Serrano “Bambam”
Idade: 28 anos
Tempo de skate: 15 anos
Local: Guarulhos – SP
Patrocínio: Blunt e Trauma

S/S Crocked

SS- Como foi seu inicio no skate?
Comecei a andar com o skate dos meus camaradas, depois eles montaram um para mim.

SS- Quais eram seus sonhos e objetivos nessa época?
Meu sonho na época era ser professor de capoeira, nessa época eu jogava capoeira.

SS- Qual o seu pico preferido?
Não tenho pico preferido para citar, já andei em vários picos legais, o que eu gosto é de andar de skate e dar risada com os meus camaradas.

SS- Quais qualidades que um skatista deve ter?
Humildade, dignidade e perseverança.

SS- Qual manobra você sente mais prazer em acertar?
Qualquer manobra bem acertada é gratificante. Gosto de acertar as manobras na base.


SS- Quais skatistas te influenciaram?
Pietro, Anjinho, Sunab e Hiena.

SS- Você sendo atleta profissional já a algum tempo, qual a principal diferença entre a carreira de amador e a de profissional?
Hoje em dia com relação a eventos, é melhor o cara ser amador, afinal tem campeonato valendo passagem para a Europa, moto, televisão todo o final de semana, já esse ano tiveram apenas 2 eventos profissionais.
No profissional você tem um comprometimento maior com os patrocinadores e com o publico também, você passa a viver do skate.

SS- Conhecendo várias cidades e países em cima do skate, o que você acha do nível atual do skate no Brasil e no mundo?
O nível do skate no Brasil é muito alto em relação a qualquer país.
Hoje em dia, em todo lugar tem um moleque que é bom, moleque de 15 anos que é “ninja”, a diferença é que lá fora tem peça boa e lugar bom para andar, e aqui os moleques fazem o que podem com peça ruim e lugar ruim e ainda conseguem se dar bem.

SS- Nesse tempo como profissional você já correu vários campeonatos como às etapas do Brasileiro, Desafio de Rua e as etapas da WCS entre outros. Qual o formato de campeonato mais te agrada?
O que mais me agrada é o Desafio de Rua, porque não parece um campeonato, tem um pico e você tem 1 hora para andar, e se quiser você nem anda.

Fakie Tailslide

SS- Você recentemente sofreu uma lesão no joelho, como foi passar por este momento delicado?
Foi muito ruim né, não tem muito que falar. Fui cuidando durante 2 ou 3 meses e agora estou zero de novo.

SS- O que você acha desse projeto da Skate Saúde?
È uma iniciativa bem louca, se mais gente como as empresas, por exemplo, tivesse essa idéia o skate hoje seria reconhecido como esporte mesmo, com mais gente se cuidando hoje as coisas estariam bem melhores.
Os atletas se machucariam muito menos, pois estaria preparado para qualquer situação, o que seria muito bom para os atletas e para as marcas.

SS- Quais os planos para o futuro?
Não faço muitos planos para o futuro, eu vivo o presente e vamos ver no que vai dar.
Andar de skate e dar risada.

SS- Qual o seu recado para a molecada que está começando?
Primeiramente andar de skate por prazer, não pensar em ficar rico andando de skate, andar de skate com os amigos e se divertir.
Comecem a se cuidar desde cedo, fazer alongamentos, buscar um melhor condicionamento físico, assim vocês poderão andar por muito mais tempo de skate.

Agradecimentos: Primeiramente a Deus, minha família e meus amigos