sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Lesões em Skatistas Profissionais

Dando continuidade as lesões em skatistas profissionais de street skate, vimos no ultimo post que 30% das lesões destes skatistas ocorrem em membros superiores, enquanto que 70% ocorrem em membros inferiores.
Quando agrupadas as lesões em membros superiores observamos a seguinte prevalência: 27% das ocorrências foram fraturas de punho, 11% fratura de cotovelo, 11% fratura de úmero, 11% fratura de ombro, 11% ruptura dos ligamentos do ombro, 11% fratura de escafóide, 6% fratura de rádio, 6% entorse de punho e 6% entorse de cotovelo, sendo a fratura de punho a maior ocorrência supostamente devido ao apoio das mãos durante o contato com o solo na queda do skate.
Fratura de punho

Quando agrupadas as lesões em membros superiores observamos a seguinte prevalência: 43% entorse de tornozelo, 19% entorse de joelho, 7& ruptura de ligamentos do tornozelo, 7% ruptura de LCA, 5% fratura de tíbia, 5 fratura de joelho, 5% fratura de tornozelo, 5% fratura do pé, 2% luxação de quadril e 2% luxação de tornozelo, sendo o entorse de tornozelo a maior ocorrência supostamente devido a falta de fortalecimento da musculatura local e a falta de propriocepção, capacidades treináveis a qualquer individuo.
Entorse de tornozelo
Nas próximas semanas continuarei postando os dados mais relevantes deste estudo.
Bom final de ano, feliz 2009 a todos que acompanham o blog, muita saúde, skate e paz para todos nós.Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 20 de dezembro de 2008

Lesões em skatistas profissionais

Durante este ultimo ano, realizei uma pesquisa pratica sobre a prevalência de lesões em skatistas profissionais de street.
Agora com o fim deste estudo, farei uma série de posts com os principais dados encontrados que mostram um pequeno perfil das lesões dos atletas profissionais de skate brasileiros. No final da coleta de dados, foram entrevistados 32 skatistas profissionais de todo o Brasil, que humildemente contribuíram para a realização deste estudo.
Todos nós sabemos que o skate é um esporte de auto-impacto e que pode ocasionar várias lesões, e isso foi constatado no estudo com 93,8% dos skatistas entrevistados já terem sofrido algum tipo de lesão na pratica do skate.
Essas lesões quando agrupadas por segmentos mostraram que 30% destas lesões ocorreram em membros superiores enquanto que 70% das lesões ocorreram em membros inferiores, mostrando que a maioria das lesões ocorrem em membros inferiores devido a maior utilização deles na realização das manobras e na absorção de impacto.
Nos próximos posts falaremos mais sobre os principais tipos de lesões, e a forma como são tratadas pelos profissionais do street skate nacional.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Entrevista

Ir para fora do país é o sonho de muitos brasileiros, alguns para conhecer outra cultura e outros para tentar a sorte mesmo. Agora ir para fora do país e ser um vitorioso não é para qualquer um, imagine então ser um vitorioso em várias vertentes, como o skate, o rap e o business.
Esse é Andre Carneiro A.K.A AC Brasil MC, um streeteiro de Curitiba que residiu em NYC, integrante da família Mobb Depp e dono da Exit 13, única marca de skate criada por um brasileiro nos EUA. Confira agora um pouco da sua história. Nome: Andre Carneiro (AC BRASIL MC)
Idade: 29 anos
Tempo de skate: 15 anos
Rap: 7 anos
Local: Curitiba Brasil,Queens New York
SS- Como e onde foi o seu início no skate?
Em Ponta Grossa 1990 por amor, em 96 mudei para Curitiba onde tudo começou a fazer sentido, já que em Ponta Grossa skate era coisa para maloqueiro, mas em CTBA skate era um esporte, um estilo de vida.

SS- Quais foram as suas principais influencias no início?
Toninho, Martin Gringo, Bartele, Leandrinho da Látex, Gino entre outros.

SS- Quando surgiu a decisão em se tornar profissional?
Em 1999 estava andando na pista da Drop com o Ferrugem, estava dando heelflip f/s tail slide no caixote da savana. Ai do nada o Ferrugem falou: “ Caraca mano se já deveria correr como pro esse ano”.Foi bem natural da parte dele, ai falei com as marcas que ia correr como pro, que estava na hora, eles falaram sim e já era (risos) Money in bank se sabe né.

SS- Como rolou a idéia de ir para a gringa?
Então como eu tinha apoio da Vans o mano mandou eu correr o Vans World Cup, que foi da hora, final de 99 muito estilo mesmo, Koston, vários manos, conheci vários atletas.


SS- Quem eram os seus companheiros de sessão lá?
Cairo Foster,Nick Cortinas,Rodney Torres até Ted Jordan e toda a equipe da Zoo York. Andava na pista da Zoo no inverno, que era só para convidados, pois no inverno não da para andar na rua em NYC.

SS- Qual a principal diferença em ser skatista profissional aqui no Brasil e lá nos EUA?
A diferença começa de amador, as marcas te dão muito material, e pro nem se fala, outra fita. La você consegue viver de skate se você for bom mesmo, aqui muitos andam demais e não tem nada, é difícil, pois o mercado é mais pobre, lá as marcas vendem muito por isso é assim.

SS- Quais os melhores picos que você já andou?
NYCCCC é o melhor lugar do mundo para andar de skate, já fui para L.A, Miami, mas NYC é o pico.

SS- Você já se lesionou andando de skate?
Em NYC quebrei o dedo, no Brasil varias vezes me machuquei, é normal na vida de um skatista né (risos) você sabe.


SS- E o rap, como ele entrou na sua vida?
Quando cheguei foi no Queens em NYC, com certeza o lugar mais influente no rap mundial, minha casa era ao lado da favela do Nas, Moobb Deep. Eu sempre escutei rap, então imagina só tava tudo ali na minha frente, não tinha como não querer entrar.

SS- Cite os 5 melhores artistas do rap mundial para você.
Nas,Mobb Depp,B.I.G,Tupac e Jay Z.

SS- E o contato com o Mobb Deep, como aconteceu?
Foi muito louco, eu fui na favela deles, vi o Prodigy e fui correndo para falar com ele, ai os manos entraram tudo na frente, com armas tipo segurança. Falei que era do Brasil e queria cantar com eles, mas os manos nem deram muita bola. Ai o Marbles primo do Ty Nitty do Infamous Mobb e Família Mobb Deep veio e me apresentou para o Prodigy e toda a família Mobb, então ficamos amigos de verdade e formamos o Alfa Omega junto com Rameses do Wu Latino, Wu Tang Clan.

SS- Como foi entrar para a família Mobb Deep?
Vixe muito louco cantar com Mobb no palco é louco, amo e represento o Mobb Deep. Família Mobb Deep forever!!! Infamous Mobb IM3.

SS- Atualmente você tem um novo projeto musical, fale um pouco sobre ele?
The Bridge Vol 1, meu solo com produção do DJ Cia e Fera Records. Fera é da família Wu Tang Clan, muitos MC’s da família Wu Tang e família Infamous Mobb estão marcando presença nesse meu primeiro trabalho solo que sai em 2009. Podem esperar por muitas surpresas, tipo Shyhein, Big Noyd até mesmo Prodigy nesse álbum.

SS- E o seu lado empresário, como surgiu a Exit 13, fale um pouco sobre a ela, tanto a marca como a distribuidora?
Exit 13 New York distribui com certeza algumas das melhores marcas de skate mundial, não foi fácil, mas hoje estou feliz por estar neste patamar com um showroom louco aqui em Curitiba e distribuindo para todo o Brasil. Agora a EX que é a marca da Exit 13 New York é tudo para mim, esta a frente até do rap. É um time sério com Alex Carolino, com certeza um dos atletas brasileiros do street mais respeitados la fora atualmente, DJ Cia do RZO, produtor do Racionais MC’s já trabalhou com Nature e U-God entre outros, Rafael Dias de Porto Alegre o primeiro a vestir a camisa da EX aqui no Brasil, muito orgulho e respeito por ele. Willian Truta de Maringá, esse mano pula banco de praça de umas 20 manobras diferentes, é cabreiro mesmo e o novo amador Daniel Mordzin que é uma promessa da nova geração e o fotografo Pablo Vaz que também faz parte do time e já de cara estamos lançando a sua coleção Photoex.
O Zevert desing da coleção que com certeza é o coração da EX hoje, a maquina que faz tudo isso andar (risos) e sobrou eu né, hoje ando de skate por amor e nem mais como uma profissão, agora estou direto no rap, mas sou skate de raiz, de iniciante a pro, corri 4 mundiais nos EUA, mas hoje sei que o rap é minha primeira carreira. Acho que isso faz a EX diferente é do skate para o rap, não do rap tentando ser do skate, o que é uma diferença gigante. Exit 13 New York vai ser vendida também nos EUA, mas agora com um padrão de qualidade maior até mesmo que as marcas gringas que eu represento hoje aqui no Brasil.

SS- Atualmente você patrocina alguns atletas, fale um pouco sobre o que você espera deles e como rolou esses patrocínios?
È meu dream team, meu time dos sonhos, que são parte da Ex, não os vejo como patrocinados da EX mas eles tem voz ativa dentro da marca. EX Family que eu falo, Família EX que são Alex Carolino, Rafael Dias, Willian Truta, Daniel Mordzin, DJ Cia, Pablo Vaz, Zevert, AC Brasil MC de skate até o rap. Isso é a EX!

SS- Como acontece o desenvolvimento dos produtos da Exit 13?
Eu e o Zevert juntos com alguns toques dos outros, mas sou eu quem bate o martelo no final com o Zevert, pois ele é o coração e eu a alma da marca.


SS- Quais as marcas que a distribuidora trabalha?
DGK-ORGANIKA-EXPEDITION-GOLD-IPATH-STUSSY-VENTURE-HUBBA-KR3W-VAS VIDEO –DIAMOND-FORCE -AUTOBAHN e a EX que até Janeiro estará nas ruas com certeza.

SS- Quais os seus planos para o futuro, tanto no skate, como mc e empresário?
A EX é uma companhia mundialmente conhecida. Fundei ela no Queens em 2000 e vendi para as melhores lojas de skate de NYC consecutivamente do mundo já que NY é NY. Agora com a produção no Brasil eu posso ajudar o skate daqui também, não só os meus atletas mas o esporte em geral. No rap estou fazendo, já tenho várias participações novas para 2009 e logo mais vai estourar algumas coisas novas no rádio e na TV, é só uma questão de tempo. Já como empresário estou feliz, sei que o que fiz pelo Brasil nos EUA, tanto no skate como no rap, fui a primeira marca registrada por um brasileiro em NY, e a vender lado a lado com as marcas gringas.

Agradecimentos:a todos do skate e do rap que passaram e deixaram alguma coisa boa, tanto no skate como no rap, para todos que estão presentes na minha vida, a minha família, as marcas que me ajudaram a ir morar em New York em 1999 e a conhecer a SAÍDA13 New York, a Skate Saúde pela matéria, a EX Family que são Dias, Carolino, Truta, DJ Cia, Daniel, Pablo, Zevert e todo mundo que faz pelo skate e pelo rap no Brasil e como eu sonhou, sonha e hoje esta vendo o sonho ser realizado... AC





sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Promo-Vídeo

Após uma entrevista muito comentada aqui no Skate Saúde, o atleta amador de Salvador na Bahia Lucas Martiniano o Luquinhas, acaba de finalizar seu primeiro vídeo-promo com apoio da Barsa Planeta, Armazém Skate Shop e patrocínio Skate Saúde. O próprio agradece primeiramente a DEUS, minha Família, meu irmão Thiago que não está junto comigo,a M.S.C, Daniel Quadrado, Cleyberto, Juca, Diego Chaveiro, Le, Neo, Célio , Reif, Rafinha, Cabelo, James Bambam, Laurence Reali, Zezinho, Marquinhos, Mario Romário, Bruno Inhudes Caloteiro, ao Thiago Pino, Kakão, Derick, Bruninho, Yuri, Biru, Diego M., Alex, Klebão, Jaba, Pombal, Parejo, Saúde, Pato, Ricardo Valochi, Adriano Mi, Diego e Diogo Gema, Gu, Bruno Leandro, Luís, meus primos.
As mulheres: Lays, Gisele, Camilas, Daianes, Gabi, Talita, Aline, Rebeca, Rosangela, Bianca, Priscila, Juliana, Mariana, Camila, Nayara, Dany, todas e todos que me conhecem em Guarucity.Daqui da Bahia, eu queria agradecer ao Pedro, Juninho,Duda, Heitor, Rafael Levi, Ícaro, Taliska, Leleu, Ian, Victor, Tiago A., Doga, Elvis Veloso, Rodrigo, Dentinho, Caio, Cupim,Alex Cardoso, Ivan, Arthur, Fernando, Everson, Eduardo, Edgar, Marcelo, Janderson, Igor, Haba, Babau, Wagner .A galera da escola, de Stella. Os Brothers do jardim, de Lauro e ao fotografo David Campebell.
As mulheres: Juh, Mary, Gaby, Marina, Paula, Nicolle, Beliza, Poly, July levi, Pâmela, Vanessa, Rebecca TX, Letícia, Larissa, Flavinha, Thaina, Cheli, Lindy, Silvana e a todo mundo que eu conheço aqui.
Confira agora em primeira mão o vídeo.

video

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Underground Style

Aconteceu nesta ultima terça feira no Tapas Club, na Rua Augusta, centro de São Paulo a premiere do vídeo Underground Style. O Underground Style foi realizado com a cooperação de diversos viodeomakers e skatistas, com parte dos profissionais Fabio Castilho e Sandro Sobral, além dos amadores Felipe Marcondes, Alexandre China e Leo Mendes. Este vídeo ainda conta com partes de amigos, pistas e imagens no exterior, teve a produção da BS Filmes e contou com a direção e edição do skatista profissional Gian Naccarato.
Publico lotando o Tapas Club

Pensando em não deixar boas imagens de skate arquivadas, ao mesmo tempo em que se busca capturar coisas inéditas o vídeo de aproximadamente 35 minutos mostra uma qualidade muito grande de manobras e de skatistas que muitas vezes não tem o seu devido espaço na mídia.

Gian Naccarato e amigos

Um enorme publico lotou o Tapas Club para assistir a premier e curtir a balada, quando foi aberto o espaço onde seria exibido o filme a balada parou e todos os presentes acompanharam e vibraram do início ao fim com todas as manobras que apareciam na tela.
Uma grande energia era passada através de palmas e gritos a cada manobra apresentada, mostrando a verdadeira essência do skate.
Underground Style na tela

Parabéns a BS Filmes por mais essa iniciativa e a todos que colaboraram com mais esse ótimo vídeo de skate nacional.
E como diz a frase final do vídeo:
“Apesar de todas as dificuldades, vamos andar de skate.”


sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Tribo Skate

Na edição deste mês da revista Tribo Skate saiu uma pequena matéria sobre os principais blogs de skate atualmente, e para minha surpresa o Skate Saúde apareceu nela, o que me deixou muito feliz e honrado, pois eu nem imaginava que um dia meu blog estaria nas paginas de uma revista de tamanha importancia. Gostaria de agradecer ao Giancarlo Machado, o autor da matéria pela consideração ao meu trabalho, as pessoas que sempre acreditaram no potencial desta idéia, a Famous Sport, a Sigilo Skateshop e principalmente a todos que acompanham o blog.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 15 de novembro de 2008

Apresentação

Depois de um ano de muito estudo, pesquisas teóricas e práticas, meu trabalho de conclusão de curso foi aprovado pela banca e mais um estudo sobre o skate foi mostrado para uma grande platéia de pessoas leigas no assunto, que ficaram surpresas com a complexidade deste esporte que ultrapassa para o estilo de vida. Após uma excelente nota e muitos aplausos dos presentes, fica a sensação de alegria e felicidade por poder devolver ao skate um pouco de todas as coisas boas que ele me trouxe, e já é hora de começar a pensar num novo tema de estudo sobre o carrinho.
Gostaria de agradecer a todos os meus companheiros de grupo, Willian, Israel e Ana Carolina por todos os momentos juntos e pelas memórias, risadas e roubadas que só o skate pode proporcionar, aos professores Marcelo Zaharur e Camila Prisco pela orientação, Fernando Granja pelas imagens, Ciências do Skate, Famous Sport e Sigilo Skateshop por acreditarem nesta iniciativa, a todos os skatistas profissionais que humildemente colaboraram com este estudo e principalmente a todos vocês que acompanham o Skate Saúde.

Em breve todos vocês poderão ver o trabalho sobre Prevalência de Lesões em Skatistas Profissionais da Modalidade Street Skate na revista eletrônica Ciências do Skate.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.






sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Quando chega a hora

Amanhã é um dia muito importante para mim, dia de colocar a prova um ano de trabalho duro, mas com muita alegria e descontração.
A partir das 13 horas estarei apresentando nas Faculdades de Guarulhos o meu trabalho de conclusão de curso, com o tema "Prevalencia de Lesões em Skatistas Profissionais da categoria Street Skate".
Indiferente do resultado desta apresentação o que vou levar deste ano foi a amizade deste grupo de estudo, as rizadas e momentos nobres que só o skate pode proporcionar.
A ajuda de vários skatistas profissionais, de todos os eventos que a gente compareceu e de várias pessoas que de forma direta e indireta ajudaram na realização deste trabalho.
Hora de se focar no objetivo sonhado e de tentar representar da melhor forma o skate na área academica, tentando devolver muitas das coisas boas que o skate me proporcionou.
As portas estarão abertas para todos os amigos e pessoas que colaboraram para a realização deste trabalho, contamos com todos voces em mais este momento.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Abdômen

Uma região do corpo muito falada atualmente é abdômen, principalmente no que se diz respeito à estética.
O abdômen é a parte do tronco entre o tórax e a pelve (quadril). É a maior cavidade do corpo humano e faz a sustentação da parede abdominal que contém a maioria dos órgãos, como o estômago, intestino delgado, fígado, vesícula biliar, pâncreas, baço, rins, bexiga, útero, ovários; além da artéria aorta abdominal e da veia cava inferior. O abdômen tem suas estruturas compostas por paredes musculares (reto abdominal, os oblíquos interno e externo do abdômen e o transverso do abdômen). Apenas a parte posterior é formada por vértebras, de T12 até a última sacral.
Quanto ao skate, a principal importância do abdômen é que ele funciona como o centro gravitacional do corpo, responsável direto pelo equilíbrio e postura corporal.
Quando há flacidez muscular abdominal, os órgãos se projetam frontalmente, modificando o centro de gravidade corporal. Com conseqüente sobrecarga na coluna torácica e lombar, o que pode ocasionar dores nesta região impedindo o skatista de andar, e principalmente alterar o equilíbrio do skatista, dificultando ainda mais a realização de manobras.

Talvez um trabalho de fortalecimento desta musculatura fora a pratica do skate, possa vir a facilitar o equilíbrio do skatista e conseqüentemente melhorar o style de suas manobras.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.


sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Pro-Model

Boas idéias e atitudes positivas são o que movem o skate para um caminho melhor, a campanha do Pro-Model idealizada pelo skatista profissional e empresário Alessandro Carvalho "Mcgregor" vem somar muito ao mercado nacional, trazendo benefício a todos.
Confira agora nas palavras do próprio McGregor como funciona este projeto. “O objetivo principal da campanha é conscientizar o consumidor do skate, que é a peça principal para que o mercado funcione corretamente, dos benefícios que o shape Pro-Model tem para o mercado do skate e em contrapartida os malefícios do shape liso.
Claro que não dá para comparar o mercado brasileiro com o mercado americano, mas é importante dizer que o shape Pro-Model é o que regulamentariza nos EUA a passagem de um atleta amador para a categoria profissional.
Mas independente de Brasil ou EUA, o shape Pro-Model tem funcionalidade em diversos aspectos para o mercado.
O shape Pro-Model é uma das principais peças do skate e de maior produção no mercado de skate, sendo assim ela é a ferramenta mais eficaz dentre as peças de skate para se criar um vínculo empresa - atleta, onde o atleta contribui com toda sua identidade, características na maneira de andar, e até o conhecimento técnico ao desenvolver o produto após anos de relacionamento para com o mercado.
O Pro-Model funciona também como uma forma de prêmio para pessoas que dedicaram parte de suas vidas praticando o esporte.
Fortalece o trabalho do atleta profissional, fazendo com que o mesmo tenha um status maior como atleta pertencente a esta categoria de elite, criando sonhos para iniciantes no esporte, servindo como uma direção do caminho a ser seguido.
Faz com que a marca tenha mais comprometimento para com o atleta. A marca que produz shape Pro-Model, consecutivamente, tem atletas pros na equipe, e ter uma equipe desse tipo mostra um comprometimento maior da marca com o mercado, pois para um atleta exercer seu trabalho é necessário uma série de outros compromissos dentro do mercado para que o mesmo desempenhe sua função.
Atletas profissionais têm bagagem e conhecimento contribuindo com a marca para que a mesma tenha uma direção melhor no mercado e trabalhe de forma correta.
Existem várias questões que envolvem o shape Pro-Model, e muitas outras que envolvem o shape liso. O shape liso funciona com um cd pirata, não ajuda ninguém a não ser o produtor do shape, ele não patrocina atletas, não faz anuncio, tampouco eventos ou qualquer outro tipo de divulgação ou trabalho que mantenha a chama do skate acesa. No site da CBSK (www.cbsk.com.br/asp/pro_model.htm), é possível ver opiniões distintas de diversas pessoas de importância no mercado.
A adesão dos atletas é quase unânime pois alguns preferem não participar de questões políticas, mas com certeza a importância de se ter shapes Pro-Model no mercado e banir os shapes lisos, são em 100% de aprovação por parte dos atletas.”
Tomara que esta iniciativa se concretize e traga bons frutos para o mercado nacional, fazendo com que o skate não pare de crescer.

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Canelite

Canelite é o nome popular da Síndrome de Estresse do Medial Tibial ou Periostite Medial de Tíbia, que é uma inflamação do principal osso da canela, a tíbia, ou dos tendões e musculos da Tibia, podendo se tornar uma fratura por estresse. É comum em atletas que praticam esportes de corrida como atletismo e de saltos como ginastica olimpica e o skate.
A canelite é aquela dor persistente na região da canela do skatista, que permanece durante a sessão e após a mesma, dificultando movimentos com o pé e impossibitando a realização de manobras de flip.
Alguns fatores podem desencadear este problema como a pronação dos pés por um longo período sobre o skate ou durante atividades do dia a dia, o uso de calçados inadequados sem a absorção de impacto adequada ou com essa absorção em local errado como vemos em muitos casos e os fatores genéticos pré disponentes. Uma dica para evitar ou minimizar este problema é alonguar o local antes de aquecer, e mais uma vez depois do aquecimento antes de iniciar as manobras mais pesadas da sessão.
Caso essa dor apareça procure uma médico para fazer uma melhor avaliação (isso pode ser uma fratura por stress) e use gelo e antiinflamatórios não esteróides no começo da inflamação, então trabalhe a flexibilidade e alongue o local acometido para ganhar maior ADM e e estimular a regeneração tecidual.
Também massageie gentilmente o músculo respeitando sua tolerancia a dor e o uso de Palmilha ortopédica pode auxiliar o tratamento e tambem prevenir que a dor volte no decorrer da sessão.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 11 de outubro de 2008

Kinesio Taping

Após algumas lesões recidivas no tornozelo, o skatista Daniel Quadrado resolveu tratar seu ultimo entorse no tornozelo com auxilio da Skate Saúde.Depois de algumas sessões de tratamento convencionais, somado a vontade de andar de skate, resolvemos aplicar a bandagem Kinesio Taping no tornozelo do skatista, método que já vem sendo utilizado em muitos esportes. Os objetivos para a aplicação desta bandagem funcional foram:
- aliviar a dor e a sensação de desconforto;
- dar suporte aos músculos em movimento (expansão)
- corrigir desalinhamentos articulares.
Espero ter um bom resultado com a aplicação desta técnica e começar a proporcionar com mais freqüência a todos os skatistas os benefícios que Kinesio Taping trás tanto para a prevenção como para a recuperação de lesões.
Em breve colocarei as fotos e a conclusão deste tratamento.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Escola de Skate

A Escola de Skate Ciência do Skate lança oficialmente o seu site para todo Brasil, o www.escoladeskate.com.br. O principal atrativo da Escola de Skate é o projeto Vida Skate.
O Vida Skate é o projeto de iniciação ao skate que tem como diretriz educar e socializar meninos e meninas, atuando dentro de colégios, clubes e condomínios. Se você estiver matriculado no ensino fundamental ou médio e estiver interessado em fazer divertidas aulas de skate, imagine as seguintes situações: 1. Você e seus amigos aprendendo as manobras mais radicais do skate, dentro do seu colégio, 2x por semana e durante o ano
todo;
2. Obstáculos de skate especiais para acelerar o seu aprendizado;
3. Você ganhando brindes de famosas marcas de skate;
4. Um professor preparado para ensinar com segurança e diversão;
5. Campeonatos e eventos de skate acontecendo dentro do seu colégio.
Gostou da idéia? Se você deseja ver isso acontecendo, você vai precisar do apoio de seus colegas, professores e certamente dos diretores. O Projeto Vida Skate pode ajudar a criar uma experiência positiva de aprendizagem para todos os envolvidos.
Um aluno entusiasmado com esta idéia pode ser o suficiente para dar o primeiro passo e fazer isso tudo acontecer. O seu primeiro passo pode ser o de discutir essas informações com seus pais, colegas e professores. Mas lembre-se, a diplomacia tem de ser um aspecto presente nesta negociação.Alunos interessados em ter o skate como atividade extra classe em seus colégios podem fazer o download do abaixo assinado “Eu Quero Aulas de Skate” através do site da escola de skate, e fazer esta idéia acontecer.
Professores interessados em trabalhar com o projeto Vida Skate também podem se cadastrar no site.
O site da Escola de Skate Ciência do Skate conta com o apoio da QIX Internacional, da MOSKA Wheels, da NEW Skate, do Curso YÁZIGI de Esteio, da Loja WTH e da CemporcentoSKATE.
Acesse o www.escoladeskate.com.br agora e conheça o site da Escola de Skate.


sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Ligamento Cruzado Posterior

Dando continuidade nas lesões que acometem os joelhos de muitos skatistas, falaremos agora sobre a lesão do Ligamento Cruzado Posterior (LCP), lesão no joelho descrita como uma ruptura, deslocamento, estiramento parcial ou completo do ligamento cruzado posterior (LCP) a partir da união do osso que forma o joelho ou em qualquer outro lugar ao longo do ligamento.
As lesões do ligamento cruzado posterior são as que envolvem os maiores danos a articulação do joelho. A literatura mostra bem menos publicações do LCP em relação ao ligamento cruzado anterior (LCA).
O ligamento cruzado posterior (LCP) é um ligamento resistente que vai da superfície superior posterior da tíbia até a base frontal do fêmur.Em uma população normal as lesões do ligamento cruzados posteriores (LCP) ocorrem entre 3% a 25% de todos os entorses de joelho. Sua função primária é prevenir que a tíbia se desloque posteriormente em relação ao fêmur. Para se diagnosticar uma lesão neste ligamento é necessário verificar a história completa do acidente, exame clínico de um médico especializado, e aspecto clínico do paciente após a lesão. Durante a coleta da história o conhecimento do mecanismo da lesão será extremamente necessário para um diagnóstico mais completo.
As lesões geralmente são causadas por traumas diretos no joelho flexionado (com a perna dobrada) ou quando o skatista salta e no pouso roda o joelho para fora, ocorrendo uma hiperextensão (extensão excessiva do joelho).
Quando diagnosticada a lesão apenas um ortopedista, especializado em joelho, poderá indicar o melhor tratamento a ser seguido, que poder ser conservador ou cirúrgico.
A dica para evitar este tipo de lesão, fica em um bom treinamento de força para membros inferiores e também um treinamento proprioceptivo junto de um alongamento antes e após as sessões.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 20 de setembro de 2008

Entrevista

É sempre muito bom ver o empenho de skatistas profissionais tentando evoluir dia após dia numa eterna batalha contra si próprio. Hoje falaremos não com um skatista profissional, mas sim com um profissional do skate que mesmo sem apoio ou patrocínio vem suando muito no dia-a-dia para elevar o nível do skate nacional e melhorar o mercado, mostrando que o amor pelo skate esta em primeiro plano sempre, confira agora as palavras de Fernando Granja, produtor do aclamado Duotone e de muitos outros trabalhos dentro do skate. Nome: Fernando Martins Granja
Idade:28 anos
Tempo de skate: desde 96
Local: São Paulo
Patrocínio: não possui

FS Crooks em Barcelo 2004 foto-arquivo pessoal

SS- Como surgiu o seu interesse pelo skate?
Através do programa de skate Grito da Rua, que passava na tv aberta em 90/ 91...

SS- Quando você começou a andar quem eram as suas influencias?
Só os amigos de bairro mesmo, aqueles que foram as testemunhas das primeiras guias subidas de ollie, das primeiras vezes de colar nas pistas Prestige, ZN e São Caetano...

SS- E o interesse em começar a filmar, quando começou?
Desde sempre na real! Um desses meus amigos tinha uma câmera Hi-8 e em 97 a gente filmava e editava de video pra video e já ficava bem feliz com o resultado!

SS- Como foi filmar o Duotone?
Foi muito gratificante, pois eu estava direto na sessão com pessoas que eu gosto e tenho amizade, então mesmo se não rendia manobra depois de um dia inteiro de suor não rolava stress. Estávamos todos muito focados no que queríamos.

SS- O Duotone com certeza foi um dos melhores vídeos já produzidos no Brasil e porque não no mundo, e certamente deve ter aberto algumas portas para você, quais os resultados que a produção deste trabalho lhe trouxe?
De 99 a 2004 eu trabalhei na revista 100%SKATE, comecei como estagiário de arte e saí como diretor de arte e editor assistente. Depois fui trabalhar fora do mercado de skate, mas com arte em revista ainda, porém eu não estava feliz. Mas foi nesse trampo que eu descobri que não seria feliz se não trabalhasse com skate. Então eu juntei dinheiro, comprei minha VX 2.000 (câmera que tenho até hoje), e comecei a filmar. Foram quase 3 anos trabalhando no Duotone e, logo após o lançamento, fui chamado para ser Diretor de Arte da revista SKT. Talvez esse tenha sido o fruto mais palpável do vídeo... já na SKT, estão aparecendo oportunidades de fazer vídeos como o ¡VISCA! (recentemente lançado) e o SKT na ESTRADA 2008 (lançamento setembro 2008). Mas resumindo, a principal porta que o Duotone me abriu foi a chance de conseguir voltar mais forte para trabalhar no mercado de skate.

SS- Você conhece a maioria dos picos da Europa, em especial Barcelona, tirando o skate, quais as principais diferenças culturais e as principais semelhanças entre os países europeus e o Brasil?
Eu não conheço tanto a Europa em sí, mas já fui algumas vezes para Barcelona. Essa cidade turística atrai o mundo inteiro durante o verão, e você pode encontrar com japoneses, americanos, sul-americanos, australianos e diversos europeus, claro. A principal diferença talvez seja na educação do povo, que o respeito pelos mais velhos e até o respeito pela liberdade do próximo em fazer e ser o que quiser é muito nítido. Ninguém liga para o que você esteja fazendo, desde que não incomode. Mas no fundo, somos todos seres humanos falhos, independente da condição financeira, e por eles terem uma condição melhor, faz com que sejam um pouco mais frios e independentes, enquanto nós brasileiros somos mais hospitaleiros por natureza porque a falta de condição faz com que nós nos ajudamos uns aos outros.

SS- A trilha sonora do Duotone também é muito diferenciada, como rolou a seleção das musicas para o vídeo?
A maioria eu escolhi. Foi muito louco juntar Racionais MCS com Dave Brubeck, que é um tiozinho pianista dos mais clássicos do jazz! Dai tem Relatos da Invasão, que é um grupo novo e a melodia encaixou perfeito com a parte dos amadores. O Mundo Livre S/A na parte de pistas serve pra quebrar um pouco do gelo do rap e para trazer um pouco mais de identidade brasileira ao vídeo. A música da parte do Alex&Mamá foram eles que escolheram (La the Darkman) e a idéia do mix no começo da parte do Rodrigo&Fabio foi idéia do Fabio e as músicas o Rodrigo que escolheu, dai eu fiz a mix no Final Cut. A abertura é um beat clásico para quem gosta de rap e os créditos seguem ao som descompromissado do funk carioca!

SS- O que você acha do mercado nacional, com relação patrocínios e a produção de vídeos?
Eu não gosto muito de ficar reclamando... Apesar de nunca estar satisfeito! Mas se você olhar para trás, vai ver que o mercado de vídeo de skate vem tomando corpo com os anos, a medida que a galera independente investe em equipamento e as marcas vem investindo em trabalhos também, como pequenos vídeo de tours. Hoje em dia praticamente todas as tours que as marcas fazem elas levam um videomaker, isso é um grande avanço, pois passa a dar condição de trabalho para os videomakers.

SS- Atualmente você trabalha na Revista SKT, qual a sua função dentro da revista e como funciona o seu serviço?
Eu trabalho na arte. Faço diagramação da revista, que é ajudar a escolher as fotos que serão publicadas e montá-las com o texto, bolando um fundo, escolhendo cores e fontes para dar identidade a matéria. Com essa febre de vídeos, tenho também essa porta aberta lá, qualquer projeto de vídeo que passar pela SKT tenho uma possibilidade grande de estar envolvido.

SS- Recentemente você fez o vídeo da Element intitulado ¡Visca!, comente um pouco sobre como foi mais esta produção?
Foi um sonho. Ir para Barcelona 3 semanas com 3 skatistas bons e gente fina, com tudo pago, sem stress de grana e ainda ganhando pra isso: o que mais eu vou querer?!?!?! rsrs

SS- O que você acha do projeto Skate Saúde?
Acho muito style, pois trás informação gratuita para os skatistas terem mais conhecimento sobre lesões, como prevenir e como remediar!

SS- Você como videomaker que esta sempre filmando em tours pelo Brasil e pelo mundo, de sua opinião sobre a importância de um fisioterapeuta acompanhar as sessões de skate durante estes eventos?
Tudo que envolve cuidar da saúde física ou mental do skatista é válido, se você for pensar que ele precisa do corpo e da mente sã para ter plenas condições de fazer seu trabalho. É claro que é utópico ter um fisioterapeuta 24hrs por dia durante as sessões na rua, mas seria bom se todo skatista tivesse no mínimo um acompanhamento de um profissional desse para dar mais suporte e ajudar em sua condição física, o que diminuirá o risco de lesões.

SS- Quais os seus planos para o futuro?
Evoluir como pessoa, cuidar da saúde para ter força e vontade de fazer cada vez mais coisas na vida! Tendo saúde o resto é consequência do trabalho!





sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Ligamento Cruzado Anterior

Dando continuidade as lesões que ocorrem no joelho falaremos agora sobre a lesão no LCA (ligamento cruzado anterior), que infelizmente vem acometendo uma grande quantidade de skatistas. A articulação do joelho é considerada uma das maiores e mais complexas estruturas da anatomia humana. Sua articulação é do tipo gínglimo, que permite o movimento de flexão, extensão e um certo grau de rotação. A articulação do joelho é formada por três ossos: fêmur, tíbia, patela (osso sesamóide). A última, por ser um osso sesamóide, permite movimentos diferentes dos outros, e as estruturas são cápsulas articulares, estruturas extracapsulares e intracapsulares, e membrana sinovial. A articulação do joelho contém dois ligamentos cruzados que tem a função de impedir o movimento de translação anterior ou posterior da tíbia em relação ao fêmur. Eles se chamam cruzado, porque se cruzam no centro da articulação.
As lesões do LCA ocorrem geralmente por mecanismos onde o estresse no ligamento é grande o suficiente para causar uma ruptura. As lesões podem ser parciais ou totais dependendo do movimento, força e alongamento, seu trauma pode ser direto ou indireto. Quase sempre a lesão é dada por uma manobra de torção, e desaceleração súbita geralmente seguida de estalos e hemartroses (acúmulo de sangue) presente dentro de poucas horas, ou ainda abdução com rotação externa e hiperextensão, que muitas vezes acontecem em manobras de borda, canos e gaps, dependendo do eixo em que o corpo gira após a queda.
Outro mecanismo de lesão do LCA é quando o indivíduo fica com o pé no chão e promove uma força de rotação do joelho ou seja é ocasionado por uma hiperextensão, rotações com o pé fixo no chão, onde freqüentemente são observadas lesões de ligamento colaterais e mediais, ambas envolvendo mecanismo de desaceleração do movimento, muito comum em manobras erradas onde um pé cai fora do skate e outro no shape fazendo este movimento de torção.
Um bom alongamento e fortalecimento muscular de membros inferiores é uma boa dica para minimizar as chances desta lesão, que caso ocorra poderá ter um tratamento conservador ou cirúrgico dependendo do grau da lesão.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 6 de setembro de 2008

Menisco

Um dos locais mais lesionados no skate é o joelho, onde diferentes tipos de lesões podem ocorrer. Hoje falaremos sobre uma muito comum em esportes com paradas bruscas, mudanças de direção e rotação, flexão de joelhos e alto impacto como o skate que é a lesão de meniscos. Na anatomia, os meniscos são cartilagens presentes na articulação fêmurotibial (joelho), entre os côndilos do fêmur e da tíbia. Os meniscos têm a função de diminuir o impacto e promover a adaptação (melhorar o encaixe) entre as faces articulares do fêmur e da tíbia.
São dois meniscos, um medial e outro lateral, ambos localizados acima da tíbia. Têm o formato de meia lua, com uma divisão em corno anterior, corpo e corno posterior. Como cartilagem, apresentam poucos vasos sangüíneos, o que dificulta sua capacidade de regeneração, caso sofram alguma lesão. Uma vez lesionados, dificilmente se recuperam espontaneamente.
Na lesão, a cartilagem do menisco rompe-se, causando dor súbita no lado afetado, inchaço e algumas vezes dificuldade para movimentar o joelho. Na fase aguda, o tratamento indicado é repouso, diminuição da carga sobre o joelho, gelo e medicação analgésica. Se os sintomas persistirem e os exames complementares confirmarem a lesão meniscal, o tratamento deve ser cirúrgico, já que a cartilagem não tem poder de cicatrização.
Antigamente, as cirurgias de menisco retiravam totalmente a cartilagem machucada. Hoje, porém, sabe-se que esse método causa um grande desgaste da articulação e favorece a artrose do joelho. O tratamento cirúrgico é feito, atualmente, com cirurgia artroscópica para “costurar” a cartilagem rompida ou para retirar somente a área lesionada, impedindo que pequenos fragmentos se instalem no espaço dentro do joelho, causando dor durante a atividade física.
Na maioria das vezes, o skatista lesionado pode voltar à atividade. Em alguns casos, porém, as lesões de menisco estão ligadas a lesões de outras cartilagens do joelho e a cirurgia de menisco não resolve o problema, mas são casos muito raros devido ao grande avanço da medicina e das técnicas de prevenção e reabilitação de lesões.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se

sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Ciências do Skate

No ano de 2004 quando me formei em Educação Física, escolhi como tema para o meu TCC (trabalho de conclusão de curso) as lesões que ocorriam na prática do skate.Durante a realização deste trabalho, tive uma grande dificuldade em encontrar estudos para basear a minha pesquisa, primeiro porque não haviam muitos estudos relacionados ao esporte na época e segundo que era quase impossível localizar estas referências.
Agora em 2008 estou me formando em Fisioterapia e novamente o meu TCC vai falar sobre skate, mas hoje com muito mais facilidade graças ao site Ciências do Skate, o maior acervo de referências acadêmicas sobre skate.

O site foi criado em Fevereiro de 2007 pelo educador físico Révisson Silva, que pensou em listar em um site todas as referências que tinha encontrado durante a realização de sua monografia (Contribuição da Força e Potência para a Performance do Ollie), uma ótima idéia que tinha por objetivo facilitar, qualificar e estimular a realização de outras pesquisas científicas com o carrinho. Uma iniciativa louvável que em pouco tempo ganhou uma grande popularidade entre acadêmicos e principalmente skatistas.
Em um curto espaço de tempo foram listados 100 trabalhos, todos com muita qualidade, fazendo com que o site não parasse de crescer. Atualmente o Ciências do Skate possui 267 trabalhos e 6 colaboradores de diferentes estados. Este time é formado por Giancarlo Machado de Minas Gerais, Uriel Baesso do Prado de São Paulo, Thiago Cambará e Julio Feio do Rio de Janeiro, Jerônimo Loureiro do Rio Grande do Sul e Manoel Neto do Paraná.

Hoje as empresas parceiras do site são: Qix, New Skate, Moska Wheels, Curso de idiomas Yázigi, e a loja WTH Surf Shop, e tomara que mais empresas apóiem esta iniciativa para que ela continue evoluindo.
Fico muito feliz ao ver cada vez mais pessoas estudando e engrandecendo as pesquisas cientificas sobre o skate, e iniciativas como a do Ciências do Skate que só contribuem com a evolução do esporte.
Espero que em breve mais uma contribuição minha esteja no site, que já me proporcionou muitos contatos com outros acadêmicos e principalmente me trouxe mais conhecimento sobre o skate.
Se quiser saber mais acesse www.cienciasdoskate.com.br .

sábado, 23 de agosto de 2008

100% Skate

É muito gratificante quando alguém se interessa por algo que a gente faz, quando temos um reconhecimento do nosso esforço e principalmente de nosso trabalho.
Foi desta forma que eu me senti ao ver pela primeira vez a revista 100% Skate deste mês, edição 126, onde foi publicado um texto meu na seção Dando Idéia. Tomara que cada vez mais o estudo do skate e principalmente a parte de treinamento e prevenção de lesões em skatistas seja levado a sério pelas mídias, empresas e skatistas para que o nosso querido carrinho nunca pare de evoluir.
Sinto-me muito honrado em ver um texto meu com minhas idéias, resultado de vários anos em cima do skate e mais de 8 anos seguidos no estudo do carrinho publicados numa revista que revolucionou a cena do skate no Brasil e que se mantem viva aos seus ideais.
Gostaria de agradecer a revista 100% Skate pela oportunidade, em especial ao Marcelo Viegas, ao Pedro da Sigilo Skateshop e ao Rafael da Famous Sport por acreditarem no meu trabalho e principalmente a todos que acompanham o blog e fazem ele acontecer.
Aguardem, pois em breve teremos muitas novidades.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 16 de agosto de 2008

Punho

Um dos locais mais acometidos por lesão na pratica do skate é o punho. Toda vez que a manobra não é executada com perfeição e uma queda acontece, a primeira reação de qualquer skatista é tentar se proteger com a mão.
Devido a isto o punho sofre muitos traumas e de forma repetitiva, alguns micros traumas e outros traumas de maior gravidade, o que sempre acaba lesionando esta região. O punho tem a função significativa de controlar a relação comprimento-tensão dos músculos multiarticulares da mão à medida que se ajustam as diversas atividades e formas de preensão. A mão é uma ferramenta valiosa, através da qual nós controlamos nosso ambiente e expressamos idéias e talentos.
O punho é formado por um conjunto de ossos que são o radio distal, o escafóide, o semilunar, o piramidal, o pisiforme, o trapézio, o trapezóide, o capitato e o hamato. O complexo do punho é multiarticular e feito por duas articulações compostas. É biaxial, permitindo flexão (flexão volar), extensão (dorsiflexão), desvio radial (abdução) e desvio ulnar (adução).
Por isso a dica é durante a queda tentar também proteger o punho de possíveis traumas diretos e principalmente procurar um médico de imediato após qualquer lesão neste local, pois esta é uma articulação muito importante do nosso corpo.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Entrevista

O skate é uma atividade que se leva muito tempo para pegar base e começar a evoluir. Jabá é uma exceção a regra, com pouco tempo de skate já mostra muita base e um estilo próprio para jogar suas manobras. Mesmo sem patrocínio, esse skatista iniciante das ruas de Guarulhos não para de evoluir e se divertir sobre seu carrinho. Confira agora o que mais essa jovem promessa tem a dizer. Nome: Rodrigo Francis Mattos
Idade: 15 anos
Tempo de skate: 3 anos e meio
Local: Guarulhos- SP
Patrocínio: Brama Skate Park


S/S Tail

SS- Para a gente começar esta entrevista, da onde e porque surgiu este apelido de “Jabá”?
Foi de um maluco, o Ice Blue, eu colava lá na Brama e do nada ele começou a me chamar de Jabá, ai o apelido pegou e ficou.

SS- Como você começou a andar de skate?
Comecei pegando o skate emprestado do Mini, um moleque que anda lá na Brama, gostei e comecei a andar direto. Depois disso o Mini me arrumou uns trucks, o Thiago me arrumou o shape e os parafusos de base e o resto eu também fui ganhando até montar o skate.

SS- Quais foram suas influencias quando você começou a andar e quem são os caras que você anda hoje?
No começo era os moleques lá da Brama, o Marquinhos, Laurence, Daniel Quadrado, Mário Romário, Gu, Mini, Bambam, Saúde, Monteverde com quem eu ando até hoje, gosto também de ver o role do PL e do Paul Rodrigues.

F/S Flip


SS- Você anda sempre na rua, mas também costuma a correr bastantes campeonatos, tem preferência por algum dos dois?
Tenho sim, gosto de andar na rua, mas corro campeonatos pra mostrar meu skate, tentar arrumar um patrocínio bom ou pelo menos ganhar umas peças de premiação.

SS- Para você quais os melhores vídeos de skate?
Tem vários, Lakai, Plan B, Duotone, Kayo, Yesterday Future e o Time to Chine.

SS- Você já se lesionou andando de skate?Já, quebrei o dedo da mão, tentando descer um corrimão.


Noseblunt

SS- Guarulhos é um local com muitos skatistas técnicos, porque você acha que isto acontece?
Porque Guarulhos não tem pista de skate, todo mundo anda na rua e tenta puxar o nível para evoluir cada vez mais.

SS- Como é o seu dia-a-dia?
Acordo e vou para a escola de manhã, ai o resto do dia só ando de skate.

SS- O que você acha do projeto da Skate Saúde?
Acho um bagulho da hora, porque ele fala sobre as lesões que acontece com quem anda de skate.




SS- Qual o seu estilo musical preferido?
Um rap.

SS- Você pratica algum outro esporte alem do skate?
Não, só ando de skate.

SS- O que você acha do mercado brasileiro de skate na atualidade?
Acho que falta oportunidade, tem um monte de moleque bom andando por ai, sem nenhum apoio das marcas.



Nollie Nose

SS- Você tem algum sonho ou algum objetivo dentro do skate?
Tenho de evoluir cada vez mais, ter muita base no skate, e depois ir para a gringa, conhecer e andar nos picos de lá.

SS- Qual o melhor pico que você já andou até hoje?
Quadra da Brama em Guarulhos.

SS- Quais qualidades você acha que um skatista deve ter?
Humildade.


Nollie Hellflip

SS- Qual o seu melhor momento no skate?
Momentos bons têm vários, mas o melhor momento é quando eu to andando de skate.

SS- Costumo ver você andar sempre de skate, nas sessões de foto e quando a gente sai para filmar, você parece que não anda de skate, mas sim que você brinca com ele, realizando manobras com muita facilidade e um constante sorriso no rosto, como é essa sua vontade de andar de skate, de onde vem toda essa energia?
O que me faz ter vontade de andar de skate é ver os vídeos, e também ter umas peças da hora, isso motiva na hora de fazer o role.

SS- Quais são seus planos para o futuro?
Tentar ser profissional de skate e se eu não conseguir arrumar um emprego.

Agradecimentos: a todos.