sexta-feira, 19 de outubro de 2018

Os diferentes tipos de cansaço no skate

Andar de skate é uma atividade física intensa e desgastante apesar de ser extremamente prazeroso. A rotina de vida da maioria dos skatistas geralmente é muito intensa, escola, trabalho, trânsito, viagens, e tudo isso somado pode acabar gerando um cansaço exagerado na hora de manobrar. Hoje falaremos sobre as diferentes formas de cansaço que um skatista acaba enfrentando em sua rotina.
O cansaço central, também conhecido como estafa, é muito mais mental, ou um acúmulo de atividades físicas (Skate por exemplo) ou não , responsabilidades, que nos deixa extremamente cansados. Cansar após um dia puxado de skate e trabalho, por exemplo, é normal. Nem por isso, nos pede menos atenção. Porque a fadiga se não tiver a recuperação necessária pode levar a problemas como insônia, perda de memória e de foco, dificuldades para executar as manobras e nas atividades do dia a dia.
Já o cansaço periférico é o cansaço físico, que acomete um ou mais grupos musculares, traz uma dor específica, uma fraqueza muscular, algo que foi muito exigido em uma sessão de skate, por exemplo. A dor física é sempre consequência de um cansaço periférico que pode ou não ter gerado uma lesão.
Algumas dicas podem ajudar a minimizar ou até resolver estes problemas, a primeira é identificar o tipo de cansaço que você está sentindo, a segunda é investir na sua saúde com momentos de descanso, medite, alongue, durma bem. Aproveite para se alimentar melhor e manter o corpo sempre hidratado.
O uso de suplementos também é indicado mas para isso consulte um nutricionista e explique para ele os seus sintomas.
Seu descanso é tão importante quanto passar o dia tentando aprender uma manobra nova, aprenda a conciliar os dois de forma eficaz para melhorar seu desempenho no skate e aumentar sua longevidade sobre o carrinho.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 6 de outubro de 2018

Fratura da clavícula no skate

A fratura de clavícula é um problema muito comum em skatistas. Provoca muita dor ao se tentar movimentar o braço afetado, inchaço e até deformação no local. Geralmente é causada por quedas sobre o ombro ou traumas direto na região da clavícula.
O tratamento para a fratura da clavícula depende do tipo de fratura, mas normalmente é feito com a imobilização do braço sem utilização de gesso, para manter a estabilidade da clavícula.
A imobilização ocorre no braço do lado da clavícula afetada com uma tipóia imobilizadora, para permitir que a clavícula se mantenha no local correto, acelerando a cicatrização do osso.
 Nos casos mais graves, em que a clavícula partiu em vários pontos ou ficou exposta, pode ser necessário fazer cirurgia para colocar pequenos estabilizadores de metal no osso para fixar os pequenos pedaços de osso e permitir a recuperação.
A fisioterapia é parte importante no processo, com trabalhos para ganho de flexibilidade, mobilidade e força além do trabalho de transição para voltar a andar de skate com segurança.
 Cuidar do seu corpo é cuidar de você e prolongar sua vida útil sobre o skate.
 Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.