sábado, 17 de fevereiro de 2018

Liberação Miofascial no skate

A liberação miofascial hoje é uma realidade dentro do skate, trazendo inúmeros benefícios para os skatistas. Um equipamento que vem ganhando popularidade entre os skatistas é o foam roller, cilindro de espuma que é passado no corpo para tornar a musculatura mais resistente, flexível e menos suscetível a lesões.
Por mais que o equipamento realmente traga benefícios, se não usado de maneira correta pode acarretar no agravamento das dores e até no surgimento de novas lesões. O primeiro erro e muito comum é usar o foam roller em áreas ósseas, o equipamento destinado à liberação miofascial, um processo totalmente muscular. Portanto, deve-se tomar cuidado com o local onde ele está sendo utilizado.
Outro ponto importante está na velocidade que o movimento é executado, buscando ter a melhor recuperação possível, é comum que algumas pessoas massageiem a região dolorida com muita velocidade, o que não efetiva a liberação miofascial. Exagerar nos alongamentos e nas sessões de skate após o uso do foam roller também é motivo de preocupação.
No primeiro caso a soltura da musculatura pode se tornar uma lesão muscular de acordo com a força que o alongamento é realizado. No segundo a linha de pensamento é a mesma já que o skate é uma atividade de alto impacto, então a chance de ter uma distensão muscular após liberar um nó é grande ao pular um gap por exemplo.
O período de realização da soltura é de extrema importância, sendo recomendado no máximo 4 minutos para músculos grandes e entre 2 e 3 minutos para músculos menores. Agora o principal erro e que define o resultado da liberação miofascial está em passar o rolo somente no ponto da dor (ponto gatilho).
Há diversos fatores que causam um desconforto muscular, e às vezes a causa da dor pode estar espalhada por toda a musculatura que a cerca. É necessário realizar a liberação em todo o grupo muscular, não somente onde está se sentindo a dor.
Cuidar do seu corpo é cuidar de você, prolongar sua vida útil sobre o skate e aproveitar o que ele tem de melhor.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 3 de fevereiro de 2018

Lombalgia no skate

A dor lombar na parte mais baixa da coluna é uma das queixas mais frequentes entre os skatistas. Ela aparece normalmente no final da sessão e traz uma sensação de cansaço, como se estivesse carregando o mundo nas costas. As principais causas de dor nessa região são a atividade muscular inadequada e os movimentos incorretos na hora de manobrar.
Uma das causas desse problema é a instabilidade lombar Onde os músculos abdominais funcionam como uma cinta de proteção para a coluna e fazem com que ela se mova de forma segura. Sem a atividade correta desses músculos, a coluna se torna instável, o que pode gerar lesões.
Outro ponto importante está na atividade dos músculos chamados “extensores” do tronco que mantém a coluna ereta e não permite que ela caia com a força da gravidade. É muito comum observar skatistas com o corpo “largado” sobre o skate, isto é, com pouca atividade extensora. Esse padrão sobrecarrega a coluna e causa dor. Além de problemas na região lombar, esse tipo de movimento prejudica também uma parte mais superior da coluna, o segmento torácico, e até mesmo o movimento dos braços.
A limitação no quadril também está diretamente relacionada a este tipo de problema.Se o movimento da articulação do quadril estiver limitado na fase de impulsão da remada (momento em que a coxa está atrás do tronco) a coluna lombar aumenta sua curvatura como compensação. Isto gera maior compressão nas articulações vertebrais e está relacionado a casos de dores na região.
A volta das manobras é de fundamental importância para este tipo de dor. Os membros inferiores são os principais responsáveis por absorver o impacto do corpo com o solo durante a volta das manobras. Quando eles não realizam essa função de uma maneira adequada, a coluna recebe mais carga do que deveria, o que pode gerar dor.
Se você sente dores na coluna deve procurar um médico e realizar um tratamento de fisioterapia adequado, e como prevenir é melhor que remediar, faça uma preparação física adequada para o skate e minimize o risco de lesões.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.