sábado, 13 de julho de 2019

Skate X Inverno

Andar de skate é uma atividade prazerosa em qualquer época do ano, dia ou horário, porém conhecendo-se os mecanismos que podem lesionar o corpo, podemos minimizar os riscos vindo do inverno. Sabe-se que no inverno ocorre um aumento significativo da incidência de algumas doenças. Na maioria dos casos são doenças infecciosas (por vírus e bactérias), porque há a diminuição da imunidade do organismo em consequência do frio.
O corpo humano tem sua temperatura normal 36,5ºC. Se baixar disso, o metabolismo fisiológico deixa de produzir energia suficiente para manter a temperatura interna do corpo, levando a sérias consequências, como a diminuição da coordenação motora, as reações físicas e mentais ficam bem mais lentas e o grande risco de parada cardíaca que, se não for atendida e ressuscitada em minutos, pode ser fatal.
O skatista que anda na rua em dias muito frios, deve saber que no rosto, mãos e pés estão os mais sensíveis sensores de temperaturas, justamente onde devemos nos proteger mais das baixas temperaturas. A ingestão de bebidas alcoólicas destiladas não aquece ninguém, ao contrário do que se pensa. O álcool é um vaso dilatador da pele exposta ao frio e, na verdade científica, provoca maior perda do calor. O sangue mais frio segue para o interior do corpo e rebaixa a temperatura geral, portanto bebidas alcoólicas não aquecem o corpo.
A sensação de calor causada pelas bebidas destiladas é a sensação de queimação que se sente, que na verdade é o sintoma de leve esofagite ou gastrite aguda devido ao álcool ingerido. Essa falsa sensação de calor nos induz a acreditar que o organismo está aquecido, o que não é verdade. Assim, o perigo real é que um indivíduo alcoolizado não sente frio, podendo ter até hipotermia e suas graves consequências.
Fica claro que só a ingestão de líquidos aquecidos (chá, café, leite) realmente esquenta o corpo. No inverno, o ar está mais seco e necessitamos de reposição hídrica constante, mesmo que aparentemente se perca pouca água pelo suor, portanto beba muita água e outras bebidas isotônicas.
No inverno, o ideal é caprichar no aquecimento antes da sessão, tanto com uma roupa adequada, como o específico para o skate, salto de corda, remada e manobras de solo são alguns exemplos do que pode ser usado além de manter a hidratação do corpo, de preferência com bebidas quentes para ajudar a regular a temperatura.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 6 de julho de 2019

Tendão de Aquiles X Skate

Andar de skate exige muito do corpo, tanto da parte mental como da parte física, e alto índice de exigência às vezes tem um preço que são as lesões. Em especial uma lesão cada vez mais comum entre os skatistas que é a ruptura no tendão de Aquiles.
Geralmente as lesões no tendão de Aquiles são graves. Na maioria dos skatistas, não há relatos de ter havido uma lesão prévia, pois a ruptura do tendão de Aquiles é particularmente silenciosa.
O tendão de Aquiles é o mais espesso e forte tendão de todo o corpo, conectando os músculos da panturrilha ao osso do calcanhar. Ele foi projetado para alongar, absorver a força quando o skatista aterrissa de um salto, fornecer energia para o impulso ao dar uma remada.
Uma descrição comum de um tendão de Aquiles é que ele funciona como um elástico. Um edema ou dor na região pode significar que o tendão de Aquiles pode estar inflamado ou parcialmente lesionado, mas em nossa analogia com o elástico, o músculo ainda está conectado em ambos os lados e ainda funciona, embora com menos eficácia. Já uma lesão total significa que tendão de Aquiles, ou o elástico, estalou (sinal da pedrada) e agora não tem capacidade de se reconectar.
O tempo de recuperação varia de seis meses a um ano inteiro. E na maioria das vezes faz-se necessária a reconstrução cirúrgica.Em casos menos graves o tratamento conservador consegue bons resultados através de técnicas de eletroterapia, liberação miofascial, alongamento e fortalecimento, todas direcionadas por um fisioterapeuta em conjunto com o médico, até a liberação para a volta da preparação física e do skate.
Cuidar do seu corpo é cuidar de você.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 15 de junho de 2019

Ondas de choque no skate

As lesões no skate vem aumentado gradativamente nos últimos anos, não só pelo aumento exponencial do número de skatistas, mas principalmente pela evolução das manobras que estão cada vez mais complexas.
Por conta disso a forma de tratar estas lesões também vem sendo aperfeiçoado e hoje temos uma nova ferramenta para nos ajudar, o Tratamento Por Ondas de Choque (radiais ou focais) é uma nova modalidade de tratamento para os pacientes com problemas músculo esqueléticos tais como tendinites que não melhoram com os tratamentos habituais, dores musculares crônicas e falhas na consolidação de fraturas.
As Ondas de Choque são um tipo de energia mecânica e não um choque elétrico, que penetra no tecido lesado e provoca um fenômeno chamado cavitação, onde microbolhas se rompem provocando microrroturas no tecido inflamado, determinando a liberação de substâncias anti-inflamatórias locais e também estimulando um aumento na microcirculação local. Elas agem de diversas maneiras, as principais são as ações mecânicas causando formação de microbolhas que eclodem fragmentando a fibrose local; e a ação analgésica por intenso estímulo local, liberando enzimas locais que atuam na fisiologia da dor. Temos também a ação vascular que provoca uma congestão vascular e neoformação de vasos.
A terapia é realizada por equipamentos desenvolvidos para uso em ortopedia, e as indicações abrangem patologias de caráter crônico como esporão de calcâneo, tendinites calcificadas de ombro, tendinites de cotovelo, e outras tendinites que não foram solucionadas pelos tratamentos habituais. O uso das ondas de choque também tem um efeito osteogênico, quando aplicada em pacientes que tiveram fraturas de difícil consolidação, além de outras indicações. Apesar dos resultados extremamente favoráveis, até o momento o mecanismo exato de funcionamento das ondas de choque no organismo não é totalmente conhecido.
O tratamento por ondas de choque aplicada ao sistema musculoesquelético pode iniciar os seguintes processos de alterações estruturais no tecido; estimulação de crescimento ósseo; estimulação do processo regenerativo do tecido alterações e estruturais no depósito de cálcio seguido por reabsorção de cálcio pelo organismo.
Apesar dos resultados extremamente favoráveis, até o momento o mecanismo exato de funcionamento das ondas de choque no organismo não é totalmente conhecido. O tratamento por ondas de choque aplicada ao sistema musculoesquelético pode iniciar os seguintes processos de Alterações estruturais no tecido; Estimulação de crescimento ósseo; Estimulação do processo regenerativo do tecido alterações e Estruturais no depósito de cálcio seguido por reabsorção de cálcio pelo organismo.
Este método deverá ser prescrito somente por um médico, que fará uma avaliação clínica de cada caso. O tratamento não é invasivo. Não há nenhum tipo de sangramento visível. Não há cicatriz. É totalmente ambulatorial. Não há a necessidade de hospitalização. Um tratamento de terapia por ondas de choque tem duração média de 30 minutos, desde acomodar o paciente até o seu término.
O principal ponto negativo está no valor da sessão o que impede muitos skatistas de utilizar esta técnica em seus tratamentos.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 8 de junho de 2019

Musculos isquiotibiais e o skate

Os isquiotibiais são um grupo de músculos localizados na região do posterior da coxa, na parte de trás dos membros inferiores. Essa musculatura é responsável principalmente pelos movimentos de extensão do quadril e flexão do joelho, e atravessa ambas as articulações.
Ou seja, é muito exigida em atividades como o skate, pois possui um papel fundamental na biomecânica do movimento realizado nas manobras, além de controlar a velocidade na hora de remar.
Os incômodos nos isquiotibiais são geralmente causados por estiramentos, que são uma lesão muito comum em esportes que requerem grande potência muscular como o skate. Uma das melhores maneiras de evitar contusões musculares é fortalecendo a região. Alongamento e aquecimento da região também são fundamentais para evitar lesões, pois permitem que os músculos isquiotibiais possam realizar movimentos sem restrições, ou seja, com amplitudes maiores.
Porém, caso a sessão seja muito intensa, melhor não fazer alongamentos fortes com a intenção de aumentar a flexibilidade. Essa prática provoca dor e acaba alterando uma série de estruturas, levando à perda de força. O tratamento varia de acordo com a gravidade e intensidade da lesão. De imediato, em casos de dores leves, é recomendada uma pausa no skate.Em casos de dores agudas, o descanso é fundamental, com aplicação de compressas frias na região lesionada. Claro que a prioridade é consultar um fisioterapeuta, ortopedista ou médico do esporte para outras prescrições.Aliado ao descanso, o tratamento, que precisa ser seguido à risca e com paciência.
Em casos mais raros, quando a lesão é muito grave, pode ser necessária uma intervenção cirúrgica. Geralmente, no momento da contusão, é possível notar a gravidade, com um som de estalo como se a musculatura tivesse rompido, dores próximas aos glúteos ou na parte posterior do joelho, grande quantidade de hematomas na parte posterior da coxa, dificuldade de se movimentar ou fraqueza na perna lesionada são sinais de que algo mais complexo aconteceu.
Cuidar do seu corpo é cuidar de você e aumentar sua vida útil sobre o skate.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

domingo, 2 de junho de 2019

O uso da creatina no skate

Andar de skate é uma atividade de alta intensidade e muito impacto, o que acaba trazendo alguns danos ao nosso corpo e a alimentação é algo fundamental para diminuir os estragos e recuperar o corpo para as próximas sessões.
Nem sempre conseguimos nos alimentar de forma adequada e pensando nisso a indústria farmacêutica cada vez avança mais dentro do mercado de suplementos. Alguns suplementos prometem muitos benefícios, outros pontos específicos de melhora, mas o que mais se adequa a rotina de um skatista é a creatina.
A creatina é um dos ergogênicos nutricionais mais populares usados por esportistas amadores e por atletas profissionais em todo o mundo. Substâncias com efeito ergogênico são as que melhoram a performance, e estudos têm demonstrado consistentemente que a suplementação com a creatina aumenta as concentrações de creatina intramuscular, levando à evolução no desempenho e melhorando as adaptações ao treinamento.
É importante ressaltar que a substância não tem efeito anabolizante. O aumento da massa muscular conquistado com o uso da creatina é indireto, já que ela hidrata os músculos e melhora o desempenho físico. Pesquisas indicam que a suplementação de creatina pode melhorar a recuperação pós-exercício, a prevenção de lesões e a termorregulação. O corpo precisa reabastecer de 1 a 3 gramas de creatina por dia para manter as reservas de normais, dependendo da massa muscular. Boa parte é sintetizada no fígado e nos rins a partir de arginina e da glicina. Cerca de metade da necessidade diária é obtida a partir da dieta, principalmente em carne vermelha, peixes gordos (como o salmão), frango, fígado, bacalhau, ovos e leite. Por exemplo, um quilo de carne bovina não cozida ou de salmão fornece de 1 g a 2 g de creatina. No entanto, algumas pessoas têm deficiências de síntese de creatina devido a erros inatos enzimáticos e dependem da ingestão dietética para manter as concentrações musculares e cerebrais normais. Pessoas adeptas de dietas vegetarianas e, principalmente, veganas também podem precisar de suplementação.
O principal papel metabólico da creatina é, através de sua combinação com outros componentes do corpo, ajudar na manutenção da disponibilidade da ATP (energia usada pela nossas células), particularmente durante as sessões de skate. Em uma dieta normal, que contém de 1 g a 2 g por dia de creatina, os estoques de creatina muscular são cerca de 60% a 80% do máximo. Portanto, a suplementação dietética do composto serve para aumentar o estoque em de 20% a 40%.
A maneira mais eficaz é ingerir 5 g de monohidrato de creatina (ou aproximadamente 0,3 g / kg de peso corporal) quatro vezes ao dia por 5 a 7 dias. No entanto, níveis mais altos de suplementação por períodos mais longos de tempo podem ser necessários para aumentar as concentrações. Uma vez que as reservas de creatina muscular estejam totalmente saturadas, elas poderão ser mantidas pela ingestão de uma dose contínua mais baixa, de 3 g a 5g por dia.
O único efeito colateral relatado consistentemente da suplementação de creatina descrita na literatura foi o ganho de peso momentâneo, por causa da retenção de líquido. Estudos disponíveis mostraram consistentemente que a suplementação de creatina não traz riscos de saúde e pode na verdade gerar benefícios de saúde e desempenho.
Vale lembrar a importância de seguir a prescrição de um especialista. Jamais faça uso da creatina sem passar com profissional especialista médico ou nutricionista.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.