quinta-feira, 21 de abril de 2016

Barras paralelas no skate

Muitos skatistas acreditam que para melhorar sua performance no skate o ideal é treinar somente os membros inferiores, o que na verdade é pouco já que usamos todo o corpo para andar de skate, em especial os membros superiores que são muito importantes para as manobras de giro e principalmente para aguentar as pancadas na hora de uma queda.
Hoje falaremos sobre um exercício simples e muito antigo que pode ser feito em qualquer parque e até mesmo em casa, falaremos hoje sobre a importância da barra paralela. Este exercício, que foi popularizado pelos treinamentos físicos do exército, pode ser uma excelente maneira de potencializar o seu treino.
O exercício de barras paralelas é um multiarticular, por ter ação dos ombros e dos cotovelos. Basicamente, você deve agarrar as barras e manter-se parado com os cotovelos estendidos e bloqueados. Depois disso, desça o corpo, flexionando os cotovelos até que eles formem um ângulo de 90º. Suba novamente para a posição inicial. Parece fácil, não é?
Pois muitas pessoas tem dificuldades, devido a intensa sobrecarga que este exercício causa. É muito importante que você esteja atento para certas situações na execução. A primeira delas é referente ao posicionamento do corpo. Se você manter seu corpo reto, a ativação será muito maior sobre os tríceps. Já se você inclinar ligeiramente seu corpo a frente, terá um maior trabalho dos músculos peitorais. É importante que esta angulação não seja muito elevada, pois isto iria sobrecarregar as cápsulas articulares dos ombros.
Muitas pessoas acabam desenvolvendo lesões de ombro, por uma hiperextensão dos ombros neste tipo de exercício. Diversos estudos apontam para o fato de que uma hiperextensão que ultrapasse a linha de 90º dos ombros (para trás) sobrecarrega toda a articulação gleno-umeral, principalmente no que se refere a cápsula articular.
Além disso, é muito importante manter o corpo em equilíbrio, pois um balanço inadequado, pode vir a ser lesivo. Apesar de ser um exercício altamente eficiente, a barra paralela não é muito indicada para iniciantes ou pessoas que não tenham força suficiente para aguentar o próprio peso corporal, executar este tipo de exercício com eficiência.
Para potencializar este exercício e ter uma maior ativação muscular, é importante que você evite entrar nos pontos de descanso, que seria no início do movimento, com os cotovelos totalmente estendidos. Ao evitar esta posição, você aumenta consideravelmente a intensidade do exercício e as suas microlesões.
Ter os braços, peito e ombros fortes é muito importante para qualquer skatista devido à importância desses grupos musculares durante uma queda para proteger o corpo, indiferente da modalidade de skate que pratica, por a isso barra paralela é um ótimo exercício use em seu treino e colha os benefícios deste exercício altamente eficiente.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

quinta-feira, 14 de abril de 2016

O risco de morte súbita no skate

O skate cresce a cada dia, número de praticantes, mercado e também em intensidade. A evolução das manobras está trazendo o skate para um novo patamar e o cuidado com a saúde dos skatistas é fundamental.
O skate por ser uma atividade física e não um esporte de alto rendimento com treinadores, regras e cronogramas acaba sendo um prato cheio para algumas doenças fáceis de se diagnosticar, como os problemas cardíacos. Um episódio de morte súbita em atletas traz grandes repercussões, pois ocorre em um indivíduo jovem e considerado pelo senso comum como uma pessoa saudável. A divulgação pelos meios de comunicação é ampla e imediata, já que geralmente o fato ocorre diante da torcida e das câmeras.
A morte súbita é definida como um evento inesperado, com perda abrupta da consciência em até uma hora após o início dos sintomas. Ocorre, geralmente, em indivíduos sem sintomas relevantes, porém em quase 90% dos casos há uma doença cardíaca não diagnosticada previamente, o que no skate é muito mais fácil de ocorrer já que para se andar de skate não é necessário apresentar nenhum atestado médico comprovando seu real estado de saúde. Durante a sessão de skate, o skatista com esse tipo de problema pode desenvolver arritmia maligna e parada cardiorrespiratória (inesperada parada do funcionamento do coração e perda da consciência). Se o quadro não for revertido prontamente, em alguns minutos leva à morte.
Nos skatistas jovens, com menos de 35 anos, as principais causas de morte súbita podem ser as doenças cardíacas congênitas, aquelas presentes desde o nascimento, mas que podem ser silenciosas ou só se manifestarem tardiamente. Pode haver sintomas premonitórios, como dor no peito, palpitações, falta de ar e desmaio, ou a primeira manifestação pode ser já a morte súbita.
Pesquisas recentes mostram que a avaliações médicas realizada antes do início da prática do skate, associada aos exames cardiológicos, principalmente o eletrocardiograma, é fundamental na detecção das doenças cardíacas que podem levar à morte súbita. Essa avaliação, feita de forma criteriosa e por profissionais habilitados, é capaz de detectar a maioria das doenças que podem trazer complicações durante a sessão de skate e, assim, proporcionar que o skate seja feito com maior segurança. Se for encontrada alguma anormalidade, pode haver a necessidade de tratamento específico ou, em casos raros e extremos, afastamento definitivo do skate.
Nos skatistas com mais de 35 anos de idade, a principal causa de morte súbita é o infarto agudo do miocárdio (ataque cardíaco) como ocorreu com a lenda Jay Adams. Para a prevenção, além da avaliação médica, todos devem ser incentivados e orientados a adotar um estilo de vida saudável, com alimentação correta, prática regular de exercícios físicos e controle dos fatores agressores do coração – ou seja, aqueles que aumentam o risco cardíaco: obesidade abdominal, tabagismo, hipertensão arterial, diabetes e dislipidemia (elevação do colesterol ou dos triglicérides). Na avaliação médica dessas pessoas, muitas vezes há a necessidade de realização de outros exames, como o ecocardiograma e o teste ergométrico.
A solução do problema está na prevenção, procure seu médico regularmente para saber como está sua situação física a fim de transformar o skate ou qualquer outra atividade física como uma ferramenta de lazer e saúde e não em risco de um problema irreversível.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

quinta-feira, 7 de abril de 2016

Lesões no punho do skatista

Cair é uma parte do processo de evolução e aprendizado no skate, indiferente do nível de skate ou do tempo prática a queda é uma constante na vida de qualquer skatista.
A principal forma de defesa em uma queda é usar as mãos para tentar absorver o impacto antes de outras partes do corpo, isso é normal, em muitos casos isso ajuda bastante mas por outro lado o número de lesões no punho também tem sido alto.
Umas das consequências mais comuns é o surgimento de tendinite no punho, uma doença inflamatória que afeta os tendões dos músculos do antebraço. Ela gera sintomas como dor localizada no punho, sendo agravada ao realizar movimentos de rotação com as mãos. Esta não é uma emergência médica, mas também requer tratamento para evitar a complicação do quadro e evitar uma possível cirurgia.
O diagnóstico da tendinite no punho é feito pelo médico, após observar a região e ouvir a história clínica do indivíduo. O fisioterapeuta também é capaz de fazer o diagnóstico da tendinite ao realizar testes específicos e ouvir a história clínica do indivíduo. Os exames de imagem não são estritamente necessários mas podem ser úteis para verificar se já houve calcificação do tendão e qual a gravidade da lesão.
O tratamento para a tendinite no punho é feito através de analgésicos, anti-inflamatórios e fisioterapia. O anti-inflamatório pode ser em forma de comprimido ou em forma de bálsamo para passar na região do punho afetado, ambos devem ser utilizados pelo tempo determinado pelo médico.O tratamento fisioterapêutico para a tendinite no punho pode ser feito com a utilização de aparelhos de eletroterapia, termoterapia e através de exercícios que venham a aumentar a mobilidade e a força dos músculos enfraquecidos.
Cuide sempre da sua saúde e aumente sua vida útil sobre o carrinho, seu corpo é sua principal ferramenta para andar de skate.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

quinta-feira, 31 de março de 2016

A importancia do TGU no skate

Sabemos que com a evolução do skate a preparação física vem ganhando cada vez mais importância dentro do skateboard. Hoje falaremos sobre mais um exercício que usamos na nossa rotina de treino específicos para skatistas, um exercício completo que trabalha todo o corpo, trata-se turkist get up.
O Turkish Get-Up, também conhecido como TGU é um exercício que visualmente é simples mas de execução complexa. Consiste em deitar e levantar com um kettlebell na mão seguindo uma sequência pré determinada de movimentos. Em um só exercício trabalhamos mobilidade, estabilidade e força de todo o corpo.
O ombro suporta peso durante todo o movimento, fortalecendo os músculo da região e trabalhando a estabilidade articular, tornando o ombro mais resistente a lesões que de modo geral são comuns no skate. O "core" precisa estar ativado durante todo o tempo, desde o movimento de rolar até a hora em que nos mantemos de pé, e principalmente na volta onde ele deve permanecer contraído para dar estabilidade a coluna. Esse fato de manter o "core" ativado é muito importante para o skatista pois ele é responsável direto pelo equilíbrio e manutenção da postura sobre o skate.
Outro ponto importante é o trabalho de força em membros inferiores que é de grande importância neste movimento e na execução das manobras. Com o TGU podemos identificar diversos pontos de melhora de performance e prevenção de lesões como falta de mobilidade, fraqueza muscular e instabilidade articular, e que com um pouco de treino de TGU e outros exercícios podem ser rapidamente corrigidos.
O TGU é uma ferramenta importante de treino e também um termómetro da nossa evolução física já que através dele podemos mensurar pontos importantes. Para saber mais sobre nosso método específico de treinamento físico para skatistas, basta entrar em contato e agendar uma avaliação gratuita.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

quinta-feira, 24 de março de 2016

A importancia do Kettlebell no skate

O skate de um modo geral é uma atividade física bem completa já que exige várias valências físicas do seus praticantes. A preparação física específica para skatistas tem por objetivo aumentar essas valências físicas visando uma melhora na performance do skatista e também um trabalho preventivo de lesões. Hoje falaremos de um exercício simples porém de grande utilidade no skate e de muito fácil realização, mas que trás muitos benefícios para o corpo, o kettlebell swing.
O kettlebell já descreve em seu formato a sua utilidade por se basear em uma esfera possuindo uma alça, notamos que diferente dos halteres normais, seu centro de gravidade (parte de maior peso) fica fora do pegador (alça), o que nos leva sempre que deslocarmos ele, desenvolver pequenos movimentos circulares para move-lo em seu trajeto, gerando uma adaptação de nosso core para a manutenção desse deslocamento.
O kettlebel swing , é o mais básico movimento desse instrumento, consiste em deslocar uma massa (kettlebell) que aponta para baixo e se inicia entre as pernas e desloca-la através de um pendulo até a altura de seus ombros, sempre mantendo o deslocamento da massa em um arco imaginário com a sua parte mais pesada girando para fora, a mesma técnica de execução pode ser feita unilateralmente ou alternadamente, ambas necessitando de uma maior adaptação ao instrumento.
As adaptações são inúmeras, sendo um grande trabalho de glúteos e quadríceps, tanto no inicio do movimento por manter a base do agachamento como no trajeto pois o deslocamento força muito o CORE, que se adapta para manter sua posição de base, já a cadeia posterior do corpo tem grande participação, pois ao desenvolver o arco, seu recrutamento ocorre com o intuito de lançarmos o corpo para traz fazendo com que toda estrutura posterior de seu corpo se contraia para o deslocamento do kettlebell que encontra o sua parte mais pesada na outra ponta.
Esse exercício por ser muito dinâmico, tem grande utilidade em treinos que envolvam força, potência e estabilização, tendo importância na base do conceito de transferência e produção de força que ocorre nos levantamentos olímpicos.
Acredito que suas maiores vantagens seriam, o poderoso trabalho do CORE (reto, transverso, oblíquo externo do abdômen, parte inferior do reto abdominal, reto femoral, quadrado lombar, eretor de espinha, glúteo médio e máximo) na estabilização, mas um enorme recrutamento de glúteos e quadríceps por ser iniciado com pernas e quadril fletidos e se estendendo em um movimento único e potente, a cintura escapular tem seu valor por também ser recrutada na estabilização dos ombros, não sendo o nosso foco mas podendo ser citado como ativo, ou seja um movimento de surpreendente mobilização muscular.
Essa técnica é bem compatível com o que o skate atual recruta do corpo de seus praticantes, sendo uma boa opção para os treinos. Para saber mais sobre nosso método de preparação física específico para skatistas, entre em contato para agendar uma avaliação gratuita.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.