sábado, 18 de janeiro de 2020

A importancia da avaliação clinica no skate

Se você é do tipo que só vai ao médico quando se sente mal, é hora de rever essa mentalidade. Passar por uma avaliação médica antes de dar o start em mais um ano andando de skate é simples e pode, literalmente, salvar sua vida.
O cardiologista, clínico geral ou médico do esporte vai fazer e pedir exames para saber se você tem alguma restrição para andar e não possui um problema de saúde "silencioso", que pode se manifestar na hora de andar, como doenças do coração, diabetes e pressão alta.
O ideal é que esse check-up seja feito antes de começar a andar e repetido ao menos uma vez por ano, independentemente do seu estilo de vida. A seguir, veja os exames mais indicados.
O primeiro é a Glicemia em jejum que mede a quantidade de açúcar presente no sangue, apontando se há hipoglicemia (quando o nível está baixo) ou hiperglicemia (se está alto). Os dois quadros podem estar associados ao diabetes --por isso a importância do teste.
Já o Colesterol total e frações avalia a quantidade de colesterol e seus subtipos. O teste também pode medir o nível de triglicérides, um outro tipo de gordura. O resultado serve para mensurar o risco de entupimentos das artérias e doenças cardiovasculares causadas por níveis desequilibrados de gordura no sangue. Caso o indivíduo tenha alguma grande alteração nesses indicadores e não tome os devidos cuidados ao andar, há risco de sofrer picos de pressão alta e ter complicações como insuficiência cardíaca e infarto.
Os exames T3, T4 livre e TSH são específicos para acompanhar a saúde da tireoide. Quando ela está em desequilíbrio, pode causar hipotireoidismo (queda na produção hormonal) ou hipertireoidismo (produção elevada). Níveis elevados de hormônio da tireoide podem levar a arritmia cardíaca, aumento de temperatura corporal e destruição muscular com lesão renal, o que pode ser intensificado com o exercício. Pessoas com índices baixos não toleram muito bem o exercício e podem ter mais dores musculares e articulares.
Agora o Eletrocardiograma (ECG) identifica alterações no ritmo cardíaco. Deitado, o paciente recebe eletrodos colocados no tórax, punhos e tornozelos que captam a velocidade e o número de batimentos do coração. O aparelho imprime gráficos capazes de diagnosticar se há arritmia, sopro, inflamação das paredes do coração e até risco de infarto.
O Ecocardiograma é uma espécie de ultrassom do coração, que capta alterações, das grosseiras às mais sutis.
E para finalizar o Teste ergométrico que é feito na esteira com eletrodos que estão ligados a um equipamento que informa sobre como seu corpo reage ao esforço. Avalia o ritmo do coração durante o exercício, o panorama da capacidade física por meio da frequência cardíaca (o que dá uma noção do limite de condicionamento) e a pressão arterial. Todos esses parâmetros podem, ainda, ajudar a identificar um problema chamado isquemia miocárdica, que ocorre quando há um desequilíbrio na oferta de oxigênio para o coração e para o sangue.
Andar de skate traz muitos benefícios à saúde física e mental de quem pratica, porém estar com a saúde em dia é regra principal para andar e colher todos estes benefícios.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 11 de janeiro de 2020

A importancia da pré-temporada no skate atual

O aguardado ano de 2020 chegou, o ano que gerou muitas discussões nos últimos tempos, o famigerado e aguardado ano olímpico. Este ano teremos pela primeira vez na história, o skate dentro das olimpíadas, um formado inédito e que vai trazer novas diretrizes para nossa comunidade assim como ditar tendências para o futuro, em especial pensando no skate como esporte, que precisa de toda uma periodização para os skatistas chegarem no auge da sua forma física e técnica na Olimpíada e em suas competições classificatórias. Pensando desta forma, a pré-temporada tem um papel fundamental em todo ciclo de treinamento, e uma disciplina tem total importância neste período, a fisiologia.
A fisiologia do esporte é uma área da educação física, dedicada a estudar a integração dos sistemas orgânicos através das respostas basais e sobre uma condição de estresse (exercícios físicos), podendo ser eles de efeito agudo ou crônico.
Em outras palavras, é a ciência que analisa e investiga as respostas aos estímulos gerados a curto, médio e longo prazo, proporcionando análises mais precisas sobre a real condição física do skatista. Possibilitando unir a outras informações da equipe multidisciplinar e assim direcionando o melhor planejamento físico e técnico de acordo com os objetivos pretendidos.
Os skatistas são submetidos a uma sequência de testes e avaliações (Força, potência, Resistência, velocidade, entre outras) e que por meio dos resultados, se torna possível compreender como condicionar o corpo e quais os melhores tipos de treino para cada valência, conseguindo um melhor resultado de acordo com os objetivos pretendidos.
A pré-temporada da o direcionamento do que precisa ser aprimorado dentro do ano como por exemplo prevenção de lesões, aprimoramento físico, melhora das habilidades técnicas entre outros objetivos mais específicos.
Portanto não só os skatistas olímpicos precisam ter este tipo de trabalho, não só pensando em competições ou entrar para o “game” mas sim pensando na longevidade sobre o skate e na evolução das manobras.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 23 de novembro de 2019

A importancia da propriocepção no skate

O joelho é o segundo ponto de lesão mais comum entre os skatistas. Uma das lesões que mais ocorrem no joelho dos skatistas é no LCA (ligamento cruzando anterior).
A ruptura do ligamento cruzado anterior do joelho (LCA) e sua posterior reconstrução não impedem o retorno as sessões de skate. Porém, alguns cuidados são importantes para evitar uma sequela, que é a diminuição da capacidade de controlar a flexão do joelho.
O processo de reabilitação imediato do LCA envolve, principalmente, ganho da amplitude de movimento normal da articulação, melhora gradativa da força muscular e um trabalho chamado de propriocepção. Propriocepção é o termo utilizado para nomear a capacidade em reconhecer a localização espacial do corpo, sua posição e orientação, a força exercida pelos músculos e a posição de cada parte do corpo em relação às demais.
Esse termo, embora conhecido, pode ter uma aplicação prática muito vaga. Treinar propriocepção não é apenas ficar em cima de uma cama elástica, e sim devolver um bom controle neural do membro operado. Ou seja, fazer com o que sistema nervoso central (cérebro) controle adequadamente os movimentos.
Após a cirurgia, é comum que o cérebro iniba o músculo quadríceps (anterior da coxa). Especificamente no skate, essa inibição pode causar uma falta de controle da flexão do joelho, tanto na hora de agachar para dar o ollie, como na volta da manobra onde precisa absorver o impacto.
Essa limitação após anos da reconstrução do LCA. A força muscular e a articulação já estavam normais, porém o skatista não consegue dobrar o joelho, por uma falha no controle neural do movimento. Algo que era para ser apenas passageiro, após a cirurgia, acabou se tornando o novo “padrão normal” do movimento.
Por isso, no processo de reabilitação do LCA, é muito importante treinar o gesto esportivo é indispensável para evitar problemas a longo prazo e restabelecer a biomecânica normal do esporte.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

domingo, 17 de novembro de 2019

A hoffite no skate

A cada dia que passa os skatistas vem ganhando a consciência de que cuidar do seu corpo é fundamental para andar de skate. Após as sessões hoje escuto muito mais skatistas falando de treino, anatomia do que de lesões, mas sempre alguém reclama de algum tipo de dor. Hoje falaremos sobre uma lesão muito comum no skate, só que ainda pouco comentada, a hoffite.
A gordura de Hoffa é uma camada de lipídios localizada atrás do ligamento patelar e quando inflamada provoca dores na região anterior do joelho, inchaço e, em alguns casos, dificuldades de movimento. Ela é caracterizada pela inflamação da região da Hoffa. Essa estrutura tem função de nutrir o tendão patelar e as estruturas adjacentes, protegendo-as contra possíveis impactos no joelho. Quando uma carga maior que a habitual é aplicada de forma constante, pode ocorrer o processo inflamatório.
Esse tipo de lesão é muito comum em skatistas devido a grande quantidade de saltos na sessão (ollie por exemplo) causando alto impacto nos joelhos. Para os skatistas com sobrepeso, fraqueza muscular e o uso de calçados inadequados são fatores que elevam a propensão da lesão. Seu diagnóstico é clínico, pela dor anterior detectada com exame físico por meio da compressão da gordura de Hoffa. Também é possível identificá-la através de ressonância magnética que aponta aumento do processo inflamatório local.
Os principais sintomas da hoffite são as dores na região anterior do joelho, inchaço localizado após as sessões de skate, aumento da temperatura local devido à inflamação e, em casos mais extremos, dificuldade de movimento principalmente na hora da extensão. Normalmente, estes sintomas ocorrem depois das sessões, quando a região lesionada recebe mais uma sobrecarga, agravando o processo inflamatório já existente.
O tratamento é simples, mas envolve necessariamente uma pausa nas sessões. O primeiro passo é repouso para evitar que a inflamação da região aumente. Além disso, a aplicação de bolsas de gelo na região do joelho e o uso de anti-inflamatórios ajudam a diminuir a dor e a normalizar o quadro na região.
Dependendo do caso, sessões de fisioterapia podem ajudar o skatista a recuperar a mobilidade da região, diminuir as dores e retomar a confiança. Após todas as doses de ant-iinflamatórios e todas as sessões de fisioterapia, o skatista não deve ter pressa e logo sair manobrando.
A volta ao skate deve ocorrer com calma, manobras de solo, nada que traga muito impacto. À medida que o skatista ganha confiança e nota ausência das dores que o atrapalhavam, pode ir aumentando progressivamente a dificuldade das manobras até retomar seu ritmo normal no skate.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

domingo, 10 de novembro de 2019

Andar de skate no verão

O verão vem chegando e os riscos de andar de skate em ambiente quente e úmido costumam aumentar. Embora os casos fatais de doenças causadas pelo calor no esporte sejam extremos, uma forma mais branda, a exaustão pelo calor, caracterizada por náusea, vômito, desmaio e tontura, é muito comum em esportes durante o verão. As doenças causadas pelo calor podem avançar rapidamente e os primeiros sinais de insolação podem ser sutis. O diagnóstico precoce e o atendimento adequado podem salvar vidas.
A insolação geralmente é causada por uma combinação de ambiente quente, exercícios extenuantes como o skate, roupas que limitam a evaporação do suor, adaptação inadequada ao calor, excesso de gordura corporal e/ou falta de condicionamento físico.O estresse térmico acontece quando o corpo não é mais capaz de manter seu equilíbrio de temperatura e a temperatura central aumenta suficientemente para interferir com outros processos fisiológicos.
A produção de calor metabólico aumenta a temperatura do corpo e o ambiente térmico aumenta a temperatura da pele; as tensões combinadas são integradas para aumentar a taxa de suor. O controle da temperatura central depende da produção adequada de suor e da capacidade do ambiente de evaporar o suor. A natureza do estresse térmico do exercício é demonstrada pela análise racional das trocas físicas de calor entre o corpo e o ambiente.
A tolerância à desidratação é maior quando os indivíduos estão fisicamente em forma e jovens, enquanto a capacidade de se adaptar ao calor diminui com a idade, níveis reduzidos de condicionamento físico e presença de doença.
Durante condições de estresse térmico, o skatista está sujeito aos seguintes sintomas como as câimbras, exaustão, desmaios e insolação.
Manter se hidratado é a principal recomendação para as sessões, assim como se alimentar bem e escolher roupas leves para andar, e sempre que possível aproveitar os momentos de sombra para descansar.
Cuidar do seu corpo é cuidar de você, previna se para seguir andando neste verão.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.