sábado, 30 de janeiro de 2021

Skate Saúde X Psicologia Radical

Recentemente fui convidado pelo meu amigo Alberto do Psicologia Radical a bater um papo sobre a importância das ciências da saúde no skate. 
O bate papo virou um vídeo e o resultado você confere agora.
   
Aproveite e inscreva se no canal para acompanhar um conteúdo de muita qualidade que ele desenvolve e que tem agregado bastante na vida de vários skatistas. 
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sexta-feira, 8 de janeiro de 2021

Conexão SP X BCN

 

O ano que passou talvez tenha sido o pior ano de nossas vidas, inúmeras perdas e a distância das pessoas que amamos tornaram este período difícil para todos nós.
Mas toda esta loucura de distanciamento nos fez perceber que mesmo a distância estamos “conectados”. A tecnologia nos ajudou a falar com os familiares, estudar e até trabalhar a distância.No meio de toda essa confusão, recebi uma mensagem de um skatista profissional que eu sempre admirei, o William Damascena, me pedindo auxílio para fazer um tratamento a distância, já que ele estava em Barcelona. Conversamos bastante, expliquei que nunca tinha feito nada parecido e topei o desafio. O resultado vocês podem ver neste vídeo produzido por ele assim que começou a se sentir mais confiante em andar.  
Tenho ficado bem satisfeito com os resultados e muito feliz com todo este aprendizado, uma oportunidade única de evoluir profissionalmente no meio de todo este caos que estamos vivendo. 
Como diz o Brown “tenha fé porque até no lixão nasce flor” e foi com este espírito que iniciamos um novo ano de trabalho e aproveitando todas as oportunidades que vem surgindo.
Obrigado Damascena pela confiança e por acreditar sempre no meu trabalho. 
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sexta-feira, 23 de outubro de 2020

Importância dos membros superiores no skate

Hoje a preparação física é uma realidade dentro do skate, tendo muitos skatistas profissionais e amadores com uma rotina de treino bem definida. 
Acompanhando alguns skatistas em seus treinos e até mesmo pelas redes sociais, fica clara a preocupação de todos com a melhora da performance sobre o skate, e com isso a predominância dos exercícios para membros inferiores e o core.

 

Mas e os membros superiores onde ficam ? Realmente a importância dos membros superiores pensando na biomecânica das manobras em especial no street é muito pequena ou quase nula. Mas o treino para os membros superiores são de fundamental importância para os skatistas. 
Toda vez que erramos as manobras indiferente do seu nível de skate e caímos, geralmente são os membros superiores (braços e troncos) que suportam o impacto da queda e por isso precisam ter a mesma força, potência, mobilidade e flexibilidade que os membros inferiores para aguentar as pancadas sem maiores consequências. 
Olha esse tombo que o Jonh Shanahan levou, será que se ele não tivesse com os membros superiores fortes ele teria voltado a andar ?
   
Sem contar que hoje é cientificamente comprovado a importância de exercícios multiarticulares e do treinamento integrado para qualquer faixa de idade ou nível de condicionamento. O Treinamento Integrado visa ampliar nosso repertório motor e nos ajudar a readquirir os padrões fundamentais do movimento humano, que foram perdidos com o decorrer da vida, mas deveriam ser a base para o início de um programa adequado de treinamento. 
Treinar integrado significa treinar com eficiência, integrando grandes e pequenos grupos musculares e suas articulações, diferente de um treino com máquinas, que visa ao máximo o isolamento muscular. Os benefícios do treinamento integrado ao longo da vida são imensuráveis. Muito além da estética, vai da segurança e eficiência à qualidade de vida. 
É com esta questão que ressalto que a performance no skate tem uma grande importância, porém treinar o corpo como um todo tem uma importância para a sua segurança no skate e ainda maior para a sua saúde. 
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 18 de julho de 2020

16 Dicas para você andar de skate na pandemia,

Já estamos passando pelo quarto mês de isolamento social devido a pandemia do COVID 19 neste ano de 2020.
Algumas prefeituras e governos dos Estados brasileiros já estão reabrindo locais públicos e parques e pistas de skate tem seus portões abertos, mesmo com horários reduzidos. Em São Paulo, por exemplo, a prefeitura decidiu reabrir parques no último dia 13 de julho, com um horário diferente, funcionando somente de segunda a sexta-feira.
Mesmo a gente sabendo que para o skatista brasileiro o Corona nunca foi fator de impedimento da sessão e só 7% da população skatística cumpriu de fato a quarentena, agora mais pessoas vão ir andar. Pensando nisso, pensamos em reunir informações e trazer atitudes que você pode colocar em prática na sua sessão para que o risco de contágio com essa doença maldita seja reduzido.
Uma coisa é fato: quer de fato ficar livre do Corona? Fique em casa mais um pouco. 
Embora o rolê sozinho possa não apresentar riscos de contaminação, uma eventual queda pode fazer necessário o encaminhamento para atendimento em hospitais e prontos socorros, locais cujo índices de contaminação podem ser altos. Sendo assim, priorize o rolê de manutenção, sem se colocar em riscos desnecessários para o momento.
E, sempre há probabilidade que cada um de nós tem de ser transmissor ou propagador dos vírus sem se dar conta, visto que é bem maior o número de casos em que as pessoas não apresentam sinais, os assintomáticos.
Mas se mesmo assim você quiser ir andar de skate (repetindo: não recomendamos), que tal seguir as dicas a seguir?
 Os exemplos práticos deste guia serão divididos em três grandes blocos:
1 - Preparando o rolê e cuidados ao sair de casa:
 - Se você costuma levar mochila para carregar suas coisas para o rolê, se atente ao modo como organizar seus itens. Poucas coisas, leve o que vai ser útil para o rolê. Coisas a mais farão você carregar mais peso e ter mais coisas para desinfectar na volta para casa.
 - Se puder, leve um kit de higiene na mochila. O álcool em gel (além do desodorante porque você vai feder) é hoje o seu melhor amigo. Vai que você quer comer algo durante a sessão ou beber água na fonte do pico. Melhor estar com a mãozona limpa, né?
 - Leve consigo o seu álcool gel, e no mínimo duas máscaras, afinal uma delas vai molhar de suor e certamente vai ficar mais difícil de respirar.
 - Não se esqueça de levar uma sacola plástica para colocar suas coisas após o rolê antes de voltar para casa
 - Ande em picos que sejam perto da sua casa. Assim você vai remando e tem um contato menor com qualquer aglomeração. Pegar ônibus ou metrô por enquanto ainda é contar com uma chance de encontrar o Corona por aí. Então SE VOCÊ PUDER E TIVER PICO PERTO DA SUA CASA, aproveita que a remada já esquenta as pernas e você já chega manobrando.
2 - No rolê, rua e transporte. 
 - Procure manter as recomendações que têm sido apontadas nas mídias e protocolos, distanciamento, limpeza das mãos com álcool em gel.
 - Ao chegar no pico, não precisa apertar a mão, abraçar, nem beijar ninguém. Aquele velho "salve" mostrando o sinal da paz com a mão já satisfaz o oi que precisa ser dado. Se você sentir muita falta de um calor humano, uma batida de cotovelo já pode ser o suficiente.
 - A pessoa que você está vendo andar acertou a manobra? Não precisa correr pro abraço por enquanto. Só falar "uooooooooou" e bater palma que já contempla. Evite apertos de mão e demonstrações de carinho. Seja gótico.
 - Se você fuma maconha (é ilegal mas é comum entre os skatistas, tá? Não sejamos hipócritas, aqui é um site de skate) evite dividir seu beck. Seja um pouco egoísta em prol da sua saúde, afinal, a baba do colega pode estar cheia de vírus e você pode ficar chapado de corona. Isso também vale para sua garrafa de água ou sua lata de breja: por enquanto, seja egoísta.
 - Na hora de ir embora, não precisa cumprimentar geral. Aquele "falô, firma" já deixa todo mundo ciente que você está indo embora, passe álcool gel nas mãos, organize os materiais utilizados dentro da sacola plástica, limpe novamente as mãos e siga para casa.
3 - Pós Rolê: Desinfectando skate, equipamentos e você.
 - Estabeleça uma linha divisória entre a 'zona suja' e a 'zona limpa', para que qualquer coisa que veio com você da rua fique dentro do seu limite. Se preferir passe uma fita ou organize objetos da casa para demarcar de forma clara essa zona. Ali ficarão itens que irão para lavagem ou descarte.
 - Ainda próximo a “Zona Suja”, geralmente na entrada de casa: determine um local para deixar bolsas e chaves penduradas e não as levar para dentro dos cômodos. Neste local separe um espaço para deixar tênis, mochila e skate. Só passe para a zona limpa depois de desinfectar seus materiais.
 - Limpando o skate: Temos utilizado a solução de lisoforme spray ou álcool 70 em aerosol para desinfectar a lixa, já a parte de baixo do Shape, os eixos e rodas, álcool gel 70 com um pano, e dentro das rodas novamente o aerosol.
 - Limpando o tênis: Talco antisséptico, spray Tênis Pé para a palmilha e sola do tênis, ou o Lisoforme aerosol também são boas alternativas, mas o ideal seria a lavagem completa do calçado.
 - Passando para a “zona limpa” Álcool em gel e álcool líquido 70 graus (volume 70) precisam estar disponíveis logo na entrada. Limpe as mãos com o álcool em gel. Use um pedaço de tecido para colocar álcool em gel ou líquido para limpar o celular. Antes de limpar, retire a capa de proteção e desligue o dispositivo. Passe o pano com álcool no aparelho (cuide para não passar o pano em entradas de carregador e fones) e a capa. Coloque os calçados limpos ou chinelo.
 - Vá direto pro banho. Se você já não faz isso, você é muito nojento, mas é sempre bom frisar: tome banho depois da sessão. Deixe sua roupa direto para lavar e evite misturar com as outras da casa (coloque-as em um saco plástico se não forem direto pra máquina).
Pronto. Você foi teimoso e foi andar de skate, mas seguindo essas dicas você diminui as chances do contágio do Corona Vírus. 
Vale lembrar que um monte dessas dicas acima serve não só para momentos de pandemia, como também para dias comuns. Ou você acha que vai cair no chão da Sé e vai ficar tudo bem? Acha que tomando mate e comendo falafel sem lavar a mão não vai dar nada?
Sendo um pouco mais consciente (e mais higiênicos), a gente pode evitar um monte de situação não só em relação ao Corona ao nos atentar, por exemplo, a se manter sempre com as unhas bem limpas e cortadas e caprichar em seu banho.
Mas novamente, quer ficar livre do Corona? Fique em casa.

 Nota: os produtos e nomes de marcas aqui citados não pertencem ou tem alguma relação econômica, monetária ou de mídia com os autores. Sendo as respectivas marcas detentoras dos direitos autorais sobre tais produtos, sendo citados aqui com o único objetivo de propiciar alternativas que possam ser utilizadas de forma clara e utilitária por parte da comunidade skatista.

domingo, 10 de maio de 2020

E quando tudo isso passar?

Já se foram praticamente dois meses em que sofremos diariamente as consequências da Covid-19, de forma direta ou indireta estamos passando por um momento muito difícil e inédito da nossa história. O isolamento social, o medo de ser contaminado, perder alguém da família ou amigos, hoje fazem parte da nossa rotina. Fora a enxurrada de notícias que muitas vezes, além de informar, acaba nos deixando presos dentro dessa situação. Fazer exercícios físicos, se alimentar bem e cuidar da sua saúde mental, ainda são fundamentais para se manter firme em meio a este turbilhão. Sonhamos com o dia “em que tudo isso vai passar”, mas será que vai passar mesmo? Corona vírus é o ponto central dessa situação, mas além disso é importante entender também o que vem junto a isso. O vírus em si pode ser controlado daqui um tempo e chegará o momento de viver o mundão lá fora de um modo até antes incomum.
Talvez as sessões de skate passem a ser diferentes, aquela reunião de amigos para se divertir talvez tenha que ser reduzida por um longo período de tempo ainda, o número de skatistas em pistas também terá que mudar, os hábitos de higiene antes e depois das sessões também não serão mais os mesmos. A situação econômica do país tende a mudar drasticamente, e com isso o poder de consumo de peças e roupas tende a diminuir, as lojas e marcas venderão menos e consequentemente muitos skatistas que tinham apoio ou até patrocínio serão dispensados. E aí, para onde correr? Andar de skate no Brasil nunca foi fácil, mas talvez quando tudo isso passar fique mais difícil ainda, e aí teremos que lidar com outros problemas que também trarão questões emocionais como consequências de toda essa pandemia. Todos nós conhecemos dentro do skate talentos e pessoas que andam ou andaram muito, gente boa e com potencial, mas acabaram se perdendo de algum modo pelo caminho. O ponto não é julgar, mas sim mudar o ponto de vista. Se essas pessoas tivessem tido acesso a ideias, ensinamentos e informações que as ajudariam a lidar com acontecimentos marcantes, poderia ser diferente a trajetória? Variação e adaptação sempre acompanhou o skate, a própria criatividade do skatista surge destes dois fatores. Além disso, o fato de cair e levantar SEMPRE fez o skatista ser resiliente ao erro, errar e reestruturar o foco e concentração para tentar novamente. Infelizmente o lado monetário do crescimento profissional e econômico provavelmente ficará no gelo, são poucas as marcas que têm fundos o suficiente para segurar a onda nos próximos meses, a grande maioria dos skatistas amadores e profissionais dependem diretamente do fluxo de caixa que uma marca tem no momento. Se a marca que me apoia ou patrocina sofrer um baque econômico que a obrigue a definir prioridades, para onde eu posso remar? Esse caminho só saberemos a partir do momento que o skatista ter em mente o que mais ele sabe e pode fazer. Coisa de colocar no papel mesmo.
O que o skate me ensinou que posso aplicar em outras coisas fora do skate? Sei desenvolver bem uma conversa? Isso me ajuda como? Pode ser numa loja trabalhando como vendedor, lidando com relacionamento e atendimento ao publico Aprendi a construir e cuidar das transições de onde costumo andar e sou bom em habilidades manuais utilizando ferramentas, posso arrumar um bico de ajudante em algum lugar que oferece serviços e reparo e manutenção? O crescimento do mundo digital foi acelerado pela pandemia, com isso todas as áreas de trabalho estão se adequando à digitalização. Minhas habilidades de editar vídeo, trabalhar com imagem etc pode ser útil para essas pessoas? Manjo de roupas e vestuário? Quais são as oportunidades que podem surgir ou no que posso empreender? Do mais básico ao mais complexo, colocar os ensinamentos propiciados pelo skate em prática para além do skate é questão de sobrevivência até as coisas melhorarem. Seja confiante e estabeleça expectativas reais sobre o que sabe fazer e as possibilidades que podem aparecer, afinal, quantos de nós já fizemos "bicos" para uma comprar peça, um rolamento que estourou ou um shape que quebrou? Reconheça suas habilidades, utilize e fortaleça sua rede de contatos - parentes, vizinhos, a própria galera do skate, demonstre no que você tem habilidade e pergunte no que você pode ajudar. E o mais importante, o skate sempre vai estar ali, para te divertir, relaxar, encontrar os amigos e te fazer seguir em frente, indiferente de trabalho ou qualquer outra coisa, siga andando por amor. Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.