domingo, 14 de abril de 2019

Joelho de skatista

As lesões nos ligamentos do joelho são comuns entre os skatistas, e quando ocorrem acabam trazendo um pouco de dor de cabeça para o skatista. A situação mais comum é quando o skatista fica com o pé fixo no chão ou no skate e o corpo gira sobre ele.
A melhor maneira de prevenir-se de lesões nos ligamentos do joelho é fazer o fortalecimento muscular e treino sensório-motor, este composto por exercícios que visam melhorar o equilíbrio postural.
A utilização de acessórios de proteção como joelheiras de compressãosão pouco eficazes, visto que durante a prática traumas diretos são muito comuns e entorses são imprevisíveis. O principal sintoma deste tipo de contusão é a dor aguda e uma consequente incapacidade funcional. Ou seja, o skatista passa a ter dificuldades para pisar no chão e de movimentar o membro machucado.
O grande problema das lesões ligamentares é a instabilidade articular causada, principalmente, se o ligamento afetado for o cruzado anterior. O joelho fica ‘frouxo’, assim impossibilitando o skatista de andar e até ter uma rotina de vida normal. Em casos de sintomas parecidos, é preciso proteger a articulação para evitar que a lesão se agrave. A aplicação de gelo também é indicada porque alivia a dor, evita o inchaço e o sangramento derivado do rompimento de vasos sanguíneos, assim facilitando o tratamento e recuperação.
Depois, é importantíssimo marcar uma consulta urgente com um ortopedista ou médico do esporte para um diagnóstico preciso através de ressonância magnética e testes específicos. Apesar de o processo cirúrgico ser comum em casos de lesões nos ligamentos do joelho, dependendo da gravidade e de qual ligamento for afetado, o médico pode prescrever um tratamento conservador baseado em medicamentos, repouso, imobilização e fisioterapia.
Preparar seu corpo para andar de skate é fundamental para diminuir o risco de lesões.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 6 de abril de 2019

Oxigenioterapia no skate

Com o crescimento do skate como “esporte” um monte de novos cuidados passam a cercar a rotina de alguns skatistas , preparação física, treino preventivo e reabilitação são palavras comuns no vocabulário, e cada vez mais novas técnicas e tecnologias vem se juntando a essa rotina.
O oxigênio, fundamental na respiração dos seres humanos, pode ajudar também no tratamento de lesões. A oxigenoterapia hiperbárica é uma modalidade terapêutica realizada dentro da câmara hiperbárica e que pode ajudar atletas a se recuperarem de lesões.

Durante o procedimento, o paciente respira oxigênio puro enquanto é submetido a uma pressão de duas a três vezes maior do que a pressão atmosférica ao nível do mar. Com a concentração de oxigênio no ambiente maior do que em condições normais, há o aumento na quantidade do gás transportado pelo sangue do indivíduo, cerca de 20 vezes o volume que circula no nível do mar. E é isso que os defensores da oxigenioterapia alegam que pode trazer benefícios. Por aumentar a concentração de oxigênio no sangue, esse tipo de tratamento pode acelerar o processo de recuperação em lesões agudas, como casos de infecções, cicatrizações e traumatismos comuns no skate. O número de sessões varia conforme a gravidade da lesão.
Quando um skatista sofre alguma lesão muscular, ligamentar, óssea ou de pele, ou seja, em qualquer lesão aguda, forma-se um foco de hipóxia localizada. O tratamento adjuvante com oxigenoterapia, acelera a recuperação celular e tecidual, muito importante para um skatista que precisa voltar o quanto antes a andar.

O skate evolui e a tecnologia dentro da medicina também, trazendo cada vez mais recurso que podem beneficiar os skatistas.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 30 de março de 2019

A importancia do OHS no fortalecimento do core do skatista

Nos dias de hoje se fala muito sobre ter um core forte para andar de skate, e é inegável a importância dessa musculatura bem desenvolvida para a prática de qualquer esporte em especial os esportes com prancha como o skate, como também para o aumento da qualidade de vida. Dores na lombar muitas vezes têm relação com uma musculatura de core fraca.
O OSH ou agachamento de arranco é o exercício essencial para o core. Por esse motivo, é um movimento indispensável para desenvolvimento de força e potência. Ele desenvolve a flexibilidade funcional e ao mesmo tempo treina a base do agachamento, punindo qualquer falha que você tenha na postura e estabilidade desse movimento.
Apesar de ser um exercício simples, ele é extremamente técnico e exige além de força bastante flexibilidade e coordenação para manter a barra no plano horizontal acima da cabeça. Mas, uma vez que você aprende o movimento, e começa a praticar com algumas cargas, ele expressa todo seu controle, estabilidade, força e geração de potência que você pode ter. O ideal para começa a treinar é ter uma certa amplitude articular de tornozelo e sustentar a barra em cima da cabeça enquanto agacha. Para executar o overhead squat você precisa manter o bastão acima da cabeca com cotovelos completamente estendidos e travados. Axilas apontando para frente e para fora. Olhe para frente e comece o movimento de flexão de quadril e joelhos. Agache até que o quadril passe os joelhos. Mantendo a barra sempre acima da cabeça, com a amplitude bem aberta, estenda as pernas e volte à posição inicial.
Este movimento vai mobilizar grupamentos musculares consideráveis enquanto você pratica a técnica. Dez minutos praticando o overhead squat no seu aquecimento antes de andar de skate já vai te trazer muitos benefícios em alguns meses. Pratique o OHS para melhorar sua força de core e comece leve focando na técnica e mobilidade do movimento até você conseguir trabalhar com cargas desafiadoras.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 23 de março de 2019

Aumento da potência no skate

Ser rápido e explosivo, ter músculos potentes faz toda a diferença em qualquer tipo de esporte. E no skate não é diferente, ter o “pop” para fazer o skate subir e a manobra sair no jeito faz toda a diferença para qualquer skatista. Potência muscular é a contração do músculo no menor tempo possível. Quanto maior a potência ao saltar (ou em outro movimento), maior a eficiência desses movimentos.
Há muitas formas de realizar um treino de potência muscular: dentro de uma sala de musculação com pesos, levantamento de peso olímpico ou em espaços livres como parques e praças, sendo que nesse último caso o mais comum é usar a pliometria como treinamento.
Este tipo de treinamento requer uma excelente coordenação motora e um nível de condicionamento legal, tendo em vista que a carga utilizada é média, o número de repetições é média e a velocidade de execução do movimento é alta, sem pausas ou ajuda no decorrer da atividade.
Sabemos que potência é contrair o músculo no menor tempo possível, logo os movimentos deverão ser rápidos, explosivos e sempre coordenados, isso quer dizer que depois de vencer a resistência, o retorno à posição inicial deve ser controlado.
O tempo de intervalo é longo e varia entre 2 e 3 minutos para recuperar bem manter o padrão de movimento para as proximas series. Com o treino de potência também observamos um aumento de força e maior resistência anaeróbica lática, ou seja, você suporta ficar por mais tempo em atividades intensas como o skate.
Este tipo de treino além de melhorar sua performance no skate ajuda a minimizar o risco de lesões que é muito importante para sua vida útil sobre o carrinho.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 16 de março de 2019

O treino de Boo Johnson

A preparação física vem ganhando um espaço cada vez maior entre os skatistas, sendo eles profissionais, amadores ou apenas aqueles que andam por diversão.
Grandes nomes do skate como Brandon Bieber, Luan de Oliveira, Letícia Bufoni entre muitos outros, atualizam constantemente suas redes sociais mostrando seus treinamentos físicos.
Recebi este vídeo do Boo Johnson onde ele demonstra sua rotina de treinos para a região abdominal.
Sinceramente não acho a melhor forma de treino para um skatista, acredito em linha de treinamento que procura a especificidade do esporte, trabalhando com exercícios integrados e multi-articulares, algo bem diferente do que é apresentado no vídeo.

Não que seja errado está forma de treino, até pelo nível absurdo que ele tem andando de skate, mas sigo uma linha de trabalho diferente desta. Indiferente da forma de treinamento, o mais importante é trabalhar seu corpo buscando uma melhora de performance, diminuir o risco de lesões e principalmente aumentar sua longevidade sobre o skate.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.