quinta-feira, 23 de abril de 2015

Com a palavra: Tiago Lemos

O Brasil já vem a muitos anos revelando grandes talentos do skate mundial. O skate daqui é reconhecido e respeitado em qualquer parte do mundo graças a grandes nomes que escreveram a nossa história. Uma nova safra de grandes skatistas vem dando continuidade a este legado, e hoje tivemos a oportunidade de conversar com uma das maiores referencias desta nova geração que ainda vai trazer muitas alegrias ao skate brasileiro. Dono de um skate técnico, um pop absurdo e um carisma acima do normal, vêm deixando todos “de cara” com seu altíssimo nível de skate, abrindo novos caminhos e dando continuidade a nossa história de sucesso no skate, confira como foi nosso papo com Tiago Lemos.

Nome: Tiago Lemos Soares
Idade: 23 anos
Tempo de skate: 14 anos
Local: Jaguariúna
Patrocínio: DC Shoes, BLVD, Silver Trucks, FKD Rolamentos, AFNT Skate Shop, Grizzly Griptape, Diamond Supply, Gold Wheels.

SS- Fala Tiago, primeiramente gostaria de agradecer sua atenção no meio de tantos corres, um dos vídeos que está gerando mais expectativa no momento é o "We Are Blood" no qual você participa, como pintou a oportunidade de participar deste projeto e o que ele significa para você?
O que é isso, de boa mano. Sim, esse filme vai ser foda. Então foi “mó fita”, depois de 5 meses na Califa voltei para o Brasil para ficar um mês ou mais. Quando eu tinha acabado de chegar ao Brasil para ficar com minha família e amigos, matar a saudades né.
Fiquei apenas 20 dias aqui e logo recebi um email do monstro do Ty Evans me convidando para fazer parte do filme e tal. Foi louco quando vi isso não acreditei fiquei em choque, tinha ficado só 20 dias e já teria que voltar para lá de novo. Nem tinha curtido a família, amigos e namorada direito ainda, mas também não podia perder essa oportunidade única de estar fazendo um filme com esse maluco. Para mim isso significa um grande sonho que nunca imaginei, sendo realizado.

SS- Por falar em vídeos, sua parte no Gold Goons é pesada, como tem sido a repercussão deste vídeo e quanto tempo demorou para ser filmada?
Valeu Thiago, da hora que curtiu, valeu! Eu fiquei muito feliz com a repercussão, vários caras deram um salve falando que ficou da hora. Sem palavras “obrigah”, mas o mais legal de tudo é quando os originais skateboard tipo os manos que me inspiram a andar falando que ficou da hora, isso não tem preço.
Não esperava que fosse ser a última parte do vídeo da Gold, porque eu não tive tanto tempo para filmar, consegui filmar algumas e o resto das imagens os manos da Gold pegaram com outros makers.
 
SS- Esta é sua segunda vídeo parte ao lado do Iqui, outro fenômeno do skate mundial, como é sua relação com ele fora do skate?
Sim, é minha segunda parte com esse moleque monstro. É de boa conheço o Iqui já faz uns anos moleque é da hora.

SS- Hoje em dia seu skate é referência para muitos garotos, quem são os skatistas que te influenciaram e te influenciam até hoje?
Então maior doideira isso (risos) nunca imaginei, mas da hora. Minhas influências foram Keenan Milton, Rodrigo TX, Koston, Guy Mariano, Stevie Williams, Josh Kalis, Alex Carolino, Rodrigo Petersen, Adelmo Junior, Rodrigo Lima, André Genovesi, Cézar Gordo, Bruno Aguero, Fábio Cristiano, Fábio Castilho, Danilo Cerezini, Felipe Gustavo, Luan Oliveira. Na real foram vários e são vários, mas esses são os manos que me influenciaram. Eu gosto e me inspiro nos skatistas dos anos 90, nos manos das antigas que para mim foram os originais skaters, sem desmerecer ninguém, mas queria ter nascido na época deles para poder andar com eles.
SS- Você consegue conciliar bem seu skate na rua como em campeonatos, conseguindo se dar bem nos campeonatos da Drop e até no "Cash on the Table" aí na gringa por exemplo, você tem vontade de no futuro correr uma Street League ou outros campeonatos com a mesma expressão ?
Então na real, hoje em dia eu gosto de colar em campeonatos para trombar meus amigos que também vão, para me divertir, andar de skate e acertar as tricks que estou com vontade no momento.
Tem vez que funciona, sai as tricks quando tá valendo, mas tem vez que não (risos) é normal nem encano muito com isso porque a cara é a rua sem competições (risos). Vontade eu já tive, hoje em dia não tenho mais, mas se um dia eu receber o convite para o Street League, eu colo sim para ver qual que é desse “bagulho ai”.

SS- A grande maioria dos seus patrocinadores hoje em dia são gringos e ainda sim você continua firme e forte vestindo a camisa da A.F.N.T aqui do Brasa, desde quando você faz parte do time da loja e como é a sintonia com os donos da firma?
Estou com a A.F.N.T Skate Shop porque os manos são skatistas e amam o skateboard. O Pablo e o Danilo "Daba" sempre fortaleceram, desde quando a loja estava no começo e eles não tinham nada ainda.Mesmo assim eles nunca deixaram de fortalecer. Valeu Pablo e Danilo!

SS- Você está trabalhando para algum novo projeto atualmente?
Sim, fora o “We Are Blood” estou filmando para minha parte no vídeo da DC que sai no final do ano.

SS- Sua carreira como skatista amador é impecável, várias imagens em revistas, ótimas colocações em campeonatos, tendo até ganhado um campeonato Pro, e vídeo partes incríveis, falta alguma coisa ainda para a profissionalização?
Valeu mano. É tem vários trampos como amador, até não muito, mas tem, mas ainda não é o suficiente para mim. Mas acredito que depois do “We Are Blood” e o vídeo da DC quem sabe eles não me passam para pro.
 
SS- Uma das melhores coisas no skate é poder viajar para conhecer novos picos e consequentemente novas amizades, até hoje qual foi sua Trip inesquecível e onde você tem o sonho de manobrar?
Trip inesquecível foi para Dubai onde encontrei muitos picos perfeitos. E agora meu sonho é conhecer os picos da China.

SS- Para finalizarmos, quais seus planos para o futuro?
Meus planos para o futuro são passar para profissional, continuar evoluindo, trabalhando, continuar andando de skate e me divertindo.

Agradecimentos: eu agradeço primeiramente a Deus pela oportunidade de estar vivendo esse momento, agradeço minha família, minha mina e meus manos que fecham comigo.

quinta-feira, 16 de abril de 2015

ÖUS apresenta : BETS

Durante a nossa infância, muitos de nós além do skate, participávamos de diversas brincadeiras na rua. Entre elas um jogo que marcou época foi o BETS, em algumas regiões do país também chamado de Taco.
Nossa parceira ÖUS acaba de apresentar seu novo modelo de tênis chamado BETS, em alusão a este divertido jogo.
O novo BETS, inova e utiliza uma técnica exclusiva de fusão de materiais: camurça, composto emborrachado e mesh - que juntos minimizam o uso de costura manual.
De perfil baixo e sola caixa, está disponível nesta coleção em 3 versões: Preto, Cosmos e Azul.
Mais um tênis perfeito para colocar na lixa sem dó.
Nunca largue os BETS.

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Flavio Samelo apresenta "Curso de Fotografia no Skate".

Fotografar é uma arte, a capacidade de “escrever com luz” é uma técnica muito difícil de aprender e ser aperfeiçoada. No skate e na vida a fotografia é fundamental, ela eterniza momentos e nos trás lembranças que o tempo faz questão de apagar. Hoje a fotografia no skate tem um enorme valor, mostrando sua história e evolução além de toda parte comercial que envolve este mundo.
Pensando nisso o fotógrafo, artista plástico, apresentador do programa Pela Rua do Canal Off e um dos caras mais sangue bom que existe na face da terra, Flavio Samelo, se juntou à Escola Online Saibalá para lançar um curso inédito, Fotografia de Skate: Equipamentos, Técnicas e Ponto de Vista.
O curso acompanha o fotógrafo durante uma sessão com o skatista profissional Fabio Cristiano na Praça Roosevelt, em São Paulo. As aulas mostram a seleção dos equipamentos para esse tipo de fotografia, a escolha dos enquadramentos, a utilização de flashes externos, as diferentes lentes, a ética na modalidade, os elementos fundamentais da fotografia de skate e as técnicas de edição e tratamento das imagens.
Além dos aspectos técnicos, Flavio também aborda a questão do estilo e impressão artística individual na fotografia.
As aulas fazem ainda um apanhado pessoal do histórico de Samelo com a fotografia e o skate, demonstrando como a evolução dessa prática no Brasil transformou um hobby em sua carreira profissional. O curso online atende tanto a iniciantes quanto fotógrafos mais avançados e já está disponível.
Se você gosta de fotografia e quer se aperfeiçoar em fotografar skate, não perca esta oportunidade de aprender com um dos maiores nomes da fotografia de skate no Brasil, basta acessar o site da Saibalá (http://goo.gl/7NgVr9) e garantir o seu curso completo pelo valor simbólico de R$65,00.
Corra e garanta o seu!

quinta-feira, 2 de abril de 2015

A importancia da mobilidade do tornozelo no skate

O skate tem em sua principal manobra o ollie e suas variações, por ser base para a execução de quase todas as demais manobras. O ollie tem um padrão de movimento muito similar à de um agachamento, por isso este é um dos exercícios que mais venho utilizado na preparação física dos skatistas.
Eu arriscaria dizer que o agachamento é o exercício isolado mais importante em um programa de treinamento de força. Digo isso porque um agachamento bem executado (técnica perfeita e amplitude completa) tem a capacidade de ativar um grande número de grupos musculares da forma que a natureza os projetou para a movimentação humana. Entretanto, nem todos tem a capacidade de realizá-lo em sua amplitude total de forma eficaz e segura. Um bom trabalho de mobilidade e estabilidade é fundamental para que se possa executar o exercício.
A mobilidade do tornozelo é essencial para uma boa técnica de agachamento e consequentemente que você se agache melhor na hora de manobrar, ela permite que a tíbia se incline levemente para frente diminuindo a necessidade de flexão do tronco, que quando ocorre em excesso aumenta a carga a ser suportada pela coluna lombar. Além disso, se a mobilidade do tornozelo for pequena, nas maiores amplitudes ocorrerá uma tendência de o calcanhar sair do solo o que pode aumentar o torque na articulação do joelho. Por fim, ainda existe uma associação entre a pequena mobilidade de tornozelo (dorsiflexão) e a tendência de medialização do joelho o que além de dificultar a performance das manobras pode potencializar o risco de lesões.
Vários estudos tem sido publicados demonstrando que a limitação na dorsiflexão tem impacto no agachamento, agachamento unilateral, aterrissar de um salto, descer um degrau. Limitações na dorsiflexão do tornozelo podem causar várias limitações funcionais bem como no desempenho, levando ao desejo de se realizar exercícios de mobilidade de tornozelo. Este tipo de exercícios se tornaram bastante populares ao longo dos últimos anos, e frequentemente são um componente importante de exercícios corretivos e da preparação de movimento.Estes são os blocos de construção de padrões de movimento funcionais, daí a importância de se planejar exercícios para melhorar a dorsiflexão. Após avaliação para ver a real necessidade do ganho de mobilidade o trabalho é dividido em três fases sendo a primeira a autoliberação miofascial na panturrilha e fáscia plantar, seguido do alongamento na panturrilha, e finalizando em exercícios de mobilidade de tornozelo.
Prefiro esta ordem para soltar os tecidos moles e maximizar a flexibilidade antes de trabalhar a mobilidade articular. Podemos citar alguns exemplos básicos de exercícios que você pode fazer antes da sessão de skate que vão ajudar muito a melhorar a mobilidade do seu tornozelo. Uma das técnicas mais simples de autoliberação miofascial para mobilidade de tornozelo é usar o rolo de espuma na panturrilha.
Após a liberação miofascial é hora de alongar a panturrilha com séries de no máximo 30 segundo. O clássico alongamento da panturrilha na parede que é simples de ser executado já pode trazer bons resultados.
Para fechar temos o exercício de mobilidade que pode ser feito com o auxílio de um elástico. Onde o objetivo é flexionar o máximo possível o joelho sem tirar o calcanhar do chão. Essas são algumas dicas que podem melhorar seu desempenho no skate como principalmente minimizar o risco de lesões.
Caso queira conhecer mais sobre nosso trabalho de avaliação física no skate basta agendar uma avaliação gratuita.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

quinta-feira, 26 de março de 2015

Com a palavra: Alex Cardoso

Sair do Brasil para viver o skate em Barcelona, sonho de muitos skatistas brasileiros e realidade para alguns guerreiros que deixaram a família no Brasil para se dedicar ao skate em picos perfeitos. Não estamos falando de passar uma temporada para produzir imagens, mais sim de viver aquilo que Barcelona tem de melhor e pior. Confira nossa entrevista com Alex Cardoso que saiu de Salvador para manobrar no mármore e atualmente mora em BCN onde os corres não param.
Foto:Gee Varella
Nome: Alex Cardoso
Idade: 28 anos
Tempo de skate: 17 anos
Local: Salvador / Barcelona
Patrocínio: Paradox Decks, Third Floor Hardware, Edye Boards, Crail Trucks e Nype do Gueto Underground

SS- Salve Alex, como ocorreu essa mudança na sua vida, sair do Brasil para viver em Barcelona?
Salve Thiago primeiramente quero te agradecer pelo convite, então tudo começou quando vim pela primeira vez a Barcelona, para mim foi um grande impacto porque a cultura é muito diversa, tem uma atmosfera de liberdade, uma cidade que inspira sem contar os milhares de lugar para andar. Acabei ficando quatro messes e durante esse período conheci minha mulher que é italiana; um ano depois decidimos viver juntos aqui.

SS- O que tem de bom aqui no Brasil que você não acha em Barcelona e o que tem de melhor em Barcelona que a gente não vê por aqui?
O que aqui não tem muito é calor humano, o brasileiro vive com o sorriso no rosto e vai pra batalha, sempre feliz por mais que as coisas não estejam muito bem sempre seguindo com fé de que vai melhorar. Barcelona as coisas funcionam de verdade, transporte, segurança, educação, aqui tem muitas possibilidades e as pessoas não tem noção o quanto são privilegiadas de viver aqui . Às vezes penso “vai para o Brasa, ai sim vocês vão entender o que é veneno real” (risos).

SS- Você consegue viver só do skate por aí ou tem que fazer um outro corre por fora para fechar a conta no final do mês e como rolou de você conseguir novos patrocinadores por aí?
Certeza que não, tento sempre ganhar um dinheiro, mas é difícil sem a documentação correta, mas estou com fé de que vai mudar. Aqui tenho a Paradox Decks e Crail,que me dão um suporte em material, a Third Floor que da uma força também e tenho a Edye Boards que é uma marca baiana que me dá um suporte.

3RD FLOOR ALEX CARDOSO from 3RDFLOORHARDWARE on Vimeo.
SS- Barça é um dos principais locais para se andar de skate no mundo, consequentemente um dos mais explorados pelos skatistas, tem muito pico mocado por aí ou a maioria já saiu nas mídias? Certeza que muitos lugares já foram explorados, mas aqui em Barcelona não param de fazer reformas, automaticamente nasce um novo pico. Existem muitos picos nas cidades vizinhas, na real esses são mais mocados (risos).

SS- Quais projetos você vem trabalhando por aí e quais os seus planos para o futuro?
Continuar andando de skate, no momento estou filmando, ainda não sei o que vou fazer com as imagens, mas certeza que na melhor hora elas vão aparecer. Meus planos para o futuro são voltar para o Brasil e rever minha família, meus amigos e fazer uma trip no sul da América.