domingo, 14 de abril de 2019

Joelho de skatista

As lesões nos ligamentos do joelho são comuns entre os skatistas, e quando ocorrem acabam trazendo um pouco de dor de cabeça para o skatista. A situação mais comum é quando o skatista fica com o pé fixo no chão ou no skate e o corpo gira sobre ele.
A melhor maneira de prevenir-se de lesões nos ligamentos do joelho é fazer o fortalecimento muscular e treino sensório-motor, este composto por exercícios que visam melhorar o equilíbrio postural.
A utilização de acessórios de proteção como joelheiras de compressãosão pouco eficazes, visto que durante a prática traumas diretos são muito comuns e entorses são imprevisíveis. O principal sintoma deste tipo de contusão é a dor aguda e uma consequente incapacidade funcional. Ou seja, o skatista passa a ter dificuldades para pisar no chão e de movimentar o membro machucado.
O grande problema das lesões ligamentares é a instabilidade articular causada, principalmente, se o ligamento afetado for o cruzado anterior. O joelho fica ‘frouxo’, assim impossibilitando o skatista de andar e até ter uma rotina de vida normal. Em casos de sintomas parecidos, é preciso proteger a articulação para evitar que a lesão se agrave. A aplicação de gelo também é indicada porque alivia a dor, evita o inchaço e o sangramento derivado do rompimento de vasos sanguíneos, assim facilitando o tratamento e recuperação.
Depois, é importantíssimo marcar uma consulta urgente com um ortopedista ou médico do esporte para um diagnóstico preciso através de ressonância magnética e testes específicos. Apesar de o processo cirúrgico ser comum em casos de lesões nos ligamentos do joelho, dependendo da gravidade e de qual ligamento for afetado, o médico pode prescrever um tratamento conservador baseado em medicamentos, repouso, imobilização e fisioterapia.
Preparar seu corpo para andar de skate é fundamental para diminuir o risco de lesões.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.

sábado, 6 de abril de 2019

Oxigenioterapia no skate

Com o crescimento do skate como “esporte” um monte de novos cuidados passam a cercar a rotina de alguns skatistas , preparação física, treino preventivo e reabilitação são palavras comuns no vocabulário, e cada vez mais novas técnicas e tecnologias vem se juntando a essa rotina.
O oxigênio, fundamental na respiração dos seres humanos, pode ajudar também no tratamento de lesões. A oxigenoterapia hiperbárica é uma modalidade terapêutica realizada dentro da câmara hiperbárica e que pode ajudar atletas a se recuperarem de lesões.

Durante o procedimento, o paciente respira oxigênio puro enquanto é submetido a uma pressão de duas a três vezes maior do que a pressão atmosférica ao nível do mar. Com a concentração de oxigênio no ambiente maior do que em condições normais, há o aumento na quantidade do gás transportado pelo sangue do indivíduo, cerca de 20 vezes o volume que circula no nível do mar. E é isso que os defensores da oxigenioterapia alegam que pode trazer benefícios. Por aumentar a concentração de oxigênio no sangue, esse tipo de tratamento pode acelerar o processo de recuperação em lesões agudas, como casos de infecções, cicatrizações e traumatismos comuns no skate. O número de sessões varia conforme a gravidade da lesão.
Quando um skatista sofre alguma lesão muscular, ligamentar, óssea ou de pele, ou seja, em qualquer lesão aguda, forma-se um foco de hipóxia localizada. O tratamento adjuvante com oxigenoterapia, acelera a recuperação celular e tecidual, muito importante para um skatista que precisa voltar o quanto antes a andar.

O skate evolui e a tecnologia dentro da medicina também, trazendo cada vez mais recurso que podem beneficiar os skatistas.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.