sexta-feira, 12 de outubro de 2012

As fraturas por estresse e o skate

O skate é um esporte de grande impacto que necessita muito esforço do corpo, tanto para a execução das manobras, como para absorver impactos e proteção do corpo durante quedas. Uma das lesões que mais tem aumentado ultimamente são as fraturas por estresse, que acabam trazendo muita angustia para os skatistas lesionados devido ao seu difícil diagnóstico.
As fraturas por estresse são fissuras microscópicas dos ossos, causadas por uma soma de quantidade de impacto. Esse esforço físico repetitivo aumenta as solicitações ósseas que, quando ultrapassam a resistência normal, ocorre a substituição da deformação elástica pela deformação plástica, isto é, não há retorno à situação anterior e, caso as exigências continuem, instalam-se microfraturas, prevalecendo então a reabsorção óssea.
Nesta fase da evolução, tem-se uma alteração fisiológica, a fratura, no entanto sem aparente comprometimento anatômico (deformidade). Os ossos não são feitos para absorver muita energia e os músculos agem como absorventes de choque adicionais. Mas, quando os músculos estão cansados e param de absorver a maioria da energia, as quantidades mais elevadas de choque vão para os ossos.
O osso envolvido é submetido a uma carga excessiva sem o devido respeito aos princípios de progressão e repouso, e inicia-se uma fratura da parte mais interna do osso (trabéculas ósseas), que pode se não tratado, progredir para uma fratura completa (incluindo a cortical).
Os ossos dos membros inferiores são os mais acometidos principalmente os ossos do pé, tíbia, fíbula e fêmur, cuja origem é a sobrecarga de forma intensa, mal realizada ou sem o devido intervalo de recuperação. A fratura por estresse tem geralmente uma lista estreita de sintomas, no geral são dores na região afetada, enfraquecimento e incomodo ao realizar determinados movimentos.
No diagnóstico há uma discrepância entre a clínica referida pelo paciente e os achados radiológicos, pois o RX em geral é normal (a não ser em fases mais tardias, em torno de 15 dias, onde pode aparecer uma formação de um calo ósseo discreto no local da fratura). Nas fases iniciais, em torno de 80% das fraturas de estresse não são evidentes nas radiografias. É necessária para confirmação diagnóstica o uso de métodos como Ressonância Magnética ou Cintilografia Óssea, que apresentam maior sensibilidade.
O tratamento é conservador, com repouso relativo, isto é, afastado de toda e qualquer atividade de impacto, podendo o skatista realizar atividades na água e exercícios de fortalecimento e alongamento para manter sua condição muscular e cárdio-respiratória. A reabilitação consiste geralmente no treinamento da força muscular para ajudar a dissipar as forças excessivas transmitidas aos ossos.
A melhor forma de prevenção deste tipo de lesão é realizar um bom trabalho de condicionamento físico, mesclando flexibilidade e força, valências fundamentais para a prática do skate. Outra forma de prevenção é a utilização de calçados adequados com uma boa absorção de impacto. Uma das empresas que mais tem se preocupado com este problema é a ÖUS que disponibiliza em toda a sua linha de tênis uma palmilha em poliuretano para total absorção de impacto, conforto e durabilidade. Com 11mm no calcanhar, seus pés estarão protegidos contra grandes impactos. Na parte da frente, os 6mm de espuma de poliuretano garantem o conforto e absorção de impactos , sem perder o contato com o skate. O poliuretano é um composto durável que mantem seu formato e características mesmo sendo submetido ao uso continuo por longos períodos, uma boa dica para quem quer se prevenir. Lembre-se:ande de skate, evolua e divirta-se.

Um comentário:

bloco12 disse...

Eu tive esse tipo de fratura por estresse na canela mais foi no inicio e fui no medico e estou tomando um medicamento e esta bem melhor..

#GoSkate