quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

O Cisto de Backer e o skate

No penultimo post falamos sobre “Água no joelho” um problema que atinge uma grande quantidade de skatistas devido o elevado número de lesões que acontecem no joelho.
Agora vamos falar sobre outro tema importante e que também pode atingir muitos skatistas da mesma forma que a “Água no joelho”, falaremos agora sobre o Cisto de Baker.
Cisto de Baker é o acúmulo de liquido sinovial em uma bolsa situada na região posterior do joelho (Fossa Poplítea), este processo ocorre quando o liquido presente na articulação do joelho extravasa para esta bolsa que se localiza entre os músculos Gastrocnêmio e Semimembranoso, causando o aumento de seu volume e conseqüentemente a formação do cisto. Esta região não é coberta por músculos e quando a bolsa sofre aumento de tamanho se torna facilmente palpável.

Geralmente ocorre devido a uma doença ou lesão pré-existente na articulação do joelho (resultado de uma patologia intrarticular no joelho, como artrite, artrose, lesão na cartilagem, lesões meniscais ou ligamentares), que provoca o aumento da produção de liquido sinovial, causando assim o edema. Quando este edema persiste, pode extravasar para a bolsa, formando o cisto.
Em alguns casos, o cisto de Baker não causa dor, e o paciente pode nem notar. Mesmo não tendo sintomas objetivos, você pode observar inchaço atrás do joelho, e às vezes na perna e na palpação da região posterior do joelho sentir uma estrutura semelhante a um balão cheio de água.
As queixas mais freqüentes de pessoas portadoras de cisto de Baker são o incômodo na região posterior do joelho e um aumento de volume local, principalmente quando o joelho está totalmente estendido, pois nesta posição o cisto é empurrado para trás. Porém o cisto atrapalha também a flexão do joelho, pois fica pressionado contra a articulação.
Os exames mais usados são o ultrassom e a ressonância magnética, essa última muitas vezes também mostra a causa primária que levou ao surgimento do Cisto de Baker.
Normalmente, não há complicações, há uma rara possibilidade da formação de "pedras" (litíase) no interior do cisto, o que causa dor e exige um tratamento cirúrgico para a retirada. Outra complicação, também pouco freqüente é a ruptura do cisto, causando dor intensa na musculatura da perna, apresentando sintomas semelhantes aos de trombose venosa profunda (TVP).

O tratamento em geral é endereçado a o tratamento da lesão primária do joelho, mas com o cuidado de não causar atrito entre os músculos Gastrocnêmio e Semimembranoso e evitar sobrecarga no joelho para não afetar o cisto. O edema também deve ser tratado e os alongamentos musculares precisam ser realizados com muita cautela, para que não haja uma pressão sobre o cisto alem do uso de técnicas de drenagem e eletroterapia com o Tens e o Ultra-som.
Caso após alguma sessão de skate em que o joelho sofreu algum trauma apareça o cisto, não se desespere e procure um médico ortopedista o mais rápido possível, tendo assim um bom prognóstico para voltar a andar de skate.
Lembre-se: ande de skate, evolua e divirta-se.