sábado, 25 de agosto de 2007

Avaliação Clinica

O primeiro passo para um bom tratamento esta na realização de uma precisa Avaliação Clinica.
Este texto discute o procedimento apropriado para a avaliação dos problemas ortopédicos. Estes procedimentos , quando seguidos de forma apropriada , permitem ao responsável pelo atendimento montar as partes de um quebra-cabeça de modo a obter uma visão geral do quadro, neste caso, a condição do skatista.
O protocolo de Avaliação Clinica consiste em:
_Histórico do Paciente – o histórico é um dos aspectos mais importantes do protocolo de Avaliação Clinica, imprescindível para a avaliação do estado do skatista.
Nesse histórico deve conter: início da queixa, considerações sobre provocação ou abrandamento da queixa, tipo de dor, irradiação para uma área específica, localização e gravidade da queixa e características cronológicas da queixa.
_Inspeção e Observação - observar o paciente quanto a aparência geral (magro, gordo, alto, baixo) e a condição postural (desvios posturais, defesa muscular e movimentos compensatórios).
_Palpação – a palapação deve ser realizada em conjunto com a inspeção, as estruturas a ser inspecionadas são as mesmas que devem ser palpadas.
_Amplitude de Movimento – a avaliação da amplitude de movimento não constitui apenas medida da função, mas também parte importante da análise biomecânica.
_Testes Físicos, Ortopédicos e Neurológicos Específicos – os testes físicos, ortopédicos e neurológicos específicos destinam-se a sobrecarregar funcionalmente as estruturas teciduais isoladas em termos de patologia subjacente. Os testes físicos não constituem isoladamente um diagnóstico, e sim, uma avaliação biomecânica a ser usada como parte de uma Avaliação Clinica completa.
Antes de realizar determinados testes específicos, você deve ter certeza de que eles não serão prejudiciais a condição do paciente.
_Imagem para Diagnóstico – os exames de imagem para diagnóstico ou testes estruturais englobam o uso de equipamentos especializado para visualizar determinadas estruturas anatômicas. Os procedimentos de imageamento diagnóstico mais comuns incluem radiografia simples (Raio-X), tomografia computadorizada, ressonância magnética.
Cada teste estrutural pode sofrer adaptações para visualizar estruturas variadas de maneira específica.
_Testes Funcionais – os testes funcionais para patologia musculoesquelética e neurológica envolvem testes da função neurológica que avaliam a atividade elétrica de estruturas neurológicas específicas.
É importante que na realização do exame sejam empregadas técnicas para avaliar o estado do skatista que apresenta uma característica funcional diferente dos demais esportes, com movimentos complexos que “desafiam a lei da gravidade”.
Seguindo todos esses critérios, teremos uma grande possibilidade de sucesso no tratamento, fazendo com que a volta ao skate seja a altura do esperado.
Lembrando sempre: ande de skate , evolua e principalmente divirta-se.

4 comentários:

Juliana disse...

Muito show seu blog...qual vai ser a próxima facul?
Jornalismo?hehehehehe

Leva essa ideia pra frente q vai dar certo viu!!!!!!!!!

Bju e boa Sorte!!!!!!!

Daniel disse...

mto bom o post heim thiago!!!
isso eh mto necessario na vida de um skatista!!!!
isso msm vamos q vamo mano...skatesaude eh nois!!!
falo!!!

Camila disse...

Tá arrebentando nos textos heim!
jornalista seria uma boa tambem pra vc
ahahahahahaha

bjo


vai que vai*

Liliane disse...

Olá Thiago!!
Primeiramente quero parabenizá-lo pela iniciativa!
Sou formanda em Educação Física e apaixonada por skate.. Acredito, assim como você que o skate é uma grande porta que se abre, não só para o mercado de trabalho, mas como questão a ser (re)pensada por nós, profissionais da saúde.
Bem, estou realizando um trabalho que engloba biomecanica e cinesiologia dos movimentos realizados por skatistas..estaria bastante interessada em trocar idéias a respeito com você!! Se puder, aí vai meu msn < lady_noya@hotmail.com>

Obrigada e mais uma vez, muito bem pela coragem e iniciativa, é disso que precisamos!
Grande abraço!